06 janeiro 2009

Assis Marat - Por: Pedro Esmeraldo

Por volta dos anos de 1950 vivia um casal, possuidor de prole numerosa (cerca de 16 filhos), nos arredores do engenho de meu pai, no sítio Pau Seco, neste município. Munido de poucos recursos, trabalhava assiduamente na agricultura a fim de conseguir os meios necessários para sua existência. Como era paupérrimo, às vezes meu pai tinha que contribuir com algum legado para a sobrevivência de seus filhos; abastecia com gêneros alimentícios.
Constantemente, seus filhos eram despertados para procurarem frutos silvestres: como mandacaru, etc, e a caça de pequenos animais como preás e rolinhas que complementavam a alimentação da família.
No período da moagem, no engenho do meu pai, seus filhos faziam pequenos serviços leves que serviriam para amenizar a situação triste e nebulosa dessa família.
Um dia, meu pai querendo ajudar a família, falou em criar um de seus filhos. Em troca daria melhores condições de vida e colocaria em uma escola para aprender a arte da leitura.
O guri não quis estudar, dizia que só desejava aprender as primeiras letras, já que não tinha a menor vocação para arte desse ofício.
Escolheu o mais habilidoso trabalho que era transportar bagaço do engenho para a bagaceira. Chamava-se Francisco de Assis Moreira Justo, era calmo, paciente, maneiroso e com muita destreza no trato dos animais.
Quando trabalhava no engenho os cambiteiros colocaram-no apelido de Assis Marat, nome de um médico e político francês, assassinado durante a Revolução de 1789 (Jean Paul Marat). Não posso compreender ainda no meio dessas pessoas rudes encontraram esse nome francês, talvez seja inventado por eles mesmos.
Era um menino franzino, honesto, com muita dedicação ao trabalho, não admitia roubo e nem tolerava a preguiça. Era vigilante na defesa dos direitos individuais. Não dormia em serviço e tratava o patrimônio alheio com muita dedicação.
Após a morte do meu pai, Assis Marat foi ser leiteiro e caiu no vício da embriaguez. Como era franzino, contraiu um enfraquecimento, adquirindo uma doença pulmonar. Tratou-se mas não se controlou do mal-hábito de beber.
Após a cura da mancha pulmonar, arranjou um emprego de vigilante na Escola Maria Amélia. Cumpria corretamente com sua obrigação até quando, um dia, foi encontrado morto no prédio da referida escola.
Não se sabe da causa mortis desse rapaz, talvez tenha sido causado pelo vício da embriaguez, visto que fora encontrado nas moitas, ao redor da escola, várias garrafas vazias de cachaça, pois, tudo leva a crer que bebia às escondidas.
Assis, como era conhecido, teve um enterro digno e merecido. Muito humilde, todos gostavam dele. Era sincero, calado e não maltratava ninguém. Falava sempre a verdade, não tinha rixa e era fiel cumpridor do seu dever. Sua morte causou consternação e abriu uma lacuna irreparável, já que deixou de ajudar aos amigos com sua parcela de trabalho e prestação de serviços.

Apoio: Firenze Cosméticos
Rua Doutor João Pessoa, 401
Crato: (88) 3521.7072
ACIMBEL

OBS.: Portagem a pedido de seu autor, com permissão do responsável pelo "blog".

3 comentários:

  1. Conforme explicamos alguns artigos atrás, enquanto estamos aqui numa dura batalha para conseguir patrocinadores para MANTER o BLOG DO CRATO no ar, seria de muito bom grado se a "Apoio: Firenze Cosméticos" resolvesse ser um dos patrocinadores do Blog do Crato, pois somente esses é que têm direito a postar propagandas de lojas, empresas e serviços por enquanto. Nossa batalha é dura e precisamos de empresas que estejam do nosso lado.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Prezado Dihelson
    Já havia remetido um e-mail para você sobre esse assunto e ele retornou, acredito porque sua caixa estivesse lotada.
    Já falei com meu irmão Pedro Esmeraldo para retirar a publicidade. Ele distribui previamente seus artigos impressos em boletins com alguns amigos e cuja impressão é por cortesia dessas duas empresas. Esqueceu-se de informar ao Emerson para retirar essa publicidade. De modo que o amigo sinta-se à vontade para exclui-la do presente texto. Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Meu Querido amigo Carlos Eduardo Esmeraldo.

    Agora que tudo foi esclarecido, vamos fazer essa cortesia e deixar por essa vez a propaganda da FIRENZE COSMÉTICOS. Quem sabe assim, até se no futuro eles venham a ser parte do grupo de empresas que tanto procuro para serem os nossos patrocinadores permanentes ?!

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.