12 junho 2008

Cartão do INPS pra que? - Por: Kaika Luiz

Não sei quem cortou esse cabelo. Certamente foi com uma lata de sardinha. Pode ter sido "Roulien" ou, quem sabe, a minha mãe, na latada que tínhamos no quintal da casa que morávamos na Rua José Carvalho, imediatamente atrás da Paróquia de Nossa Senhora da Penha. Por incrível que pareça eu tinha a carteirinha do antigo INPS. Acho que precisei dela algumas vezes, mas muito pouco. Talvez para curar uma "dordolha" ou os meus sempre constantes "terçóis". Tive algumas "impinjas", é certo, mas nada que uma "violeta de genciana" não acabasse. As "cabeças de prego" apareciam de vez em quando, mas aí tinha o "Basilicão" que puxava tudo, até o "carnegão", que vinha muito depois de muito "sangue-pisado". Aí, tinha que usar vários capuchos de algodão, que vinha dentro de uma caixinha, separado com um papel roxo. Voltando aos "terçóis", lembro bem que tive que tomar levedura de cerveja para "limpar o sangue", pois "esse é um problema no sangue", diziam, não sei quem. Tomei sulfa-rosa, colocava uma pomada marrom que não recordo o nome agora (será que era oftil? rsrsr). Até óculos usei por causa dos terçóis. Tenho foto e tudo, mas depois mostro. Lembro que uma vez brincava eu em um parque infantil que tinha no Parque Municipal. Sim, ainda era no tempo do zoológico, com "porco-espinho" e tudo. Fui descer no escorregador de sapato tipo vulcabrás. Minhas pernas se abriram e engancharam nas laterais do escorregador. Com a inércia dei um "pulo de ponta" lá em baixo, ainda no escorregador. "Furei e cabeça". Me levaram nos braços direto pro Hospital São Francisco, que, ainda bem, era logo ali, vizinho. Ainda tenho a cicatriz. Outra doença que tive nesse período foi sarampo. Mas curei logo. Tive ainda "papeira" e "catapora", mas não lembro nunca de ter que usar o cartão do INPS. Foi tudo curado em casa, com as "meizinhas" de Vovó e mamãe. É desse período que tenho ainda hoje grande admiração pela cura através das plantas. Adoro mel de malva, chás em geral, mel de abelha, óleos medicianais, etc. Hoje não tenho carteira do INPS, nem do INSS, nem da UNIMED. O que tenho hoje é muita saúde, a não ser... deixa ver!

Por: kaika Luiz.

Carta do Leitor - Site Mundo do Cordel - Divulgação

Prezados,

Solicito que seja divulgado aos cordelistas do Cariri, o endereço do mundo cordel: http://mundocordel.blogspot.com.

--
Ricardo Morais

Resposta:

Aí está, Ricardo. O endereço está divulgado.
Aliás, parabéns pelo site!

Dihelson Mendonça
.

A VOLATILIDADE DO ETERNO


Houve um tempo em que a palavra amor não se fazia mero artifício de linguagem. O amor era quase um modus vivendi: cantado por poetas, trovadores e artistas ; a busca incessante das suas primícias e de seus mistérios consubstanciava-se no objetivo maior de muitas gerações. A amante era venerada e adorada, erguida aos altares divinos – onde se lhe faziam promessas e oferendas. O amor retribuído era o ápice da felicidade e a indiferença amorosa( um inferno terrestre) suportada , a duras penas, como um destino de Prometeu. Havia um sem número de livros sagrados para os amantes, desde os romances mais lamuriosos, ao Kama Sutra. Os menos criativos podiam, inclusive, se inspirar no “Cartas de Amor” , uma espécie de compêndio de receitas miraculosas, com missivas e bilhetes para todas as fases do namoro, desde a perspectiva do albor, ao seu violento crepúsculo. Os mais tímidos escreviam àquelas revistas periódicas, em que o “Coração solitário” procurava a “Violeta Desesperada” e muitos e muitos romances , contrariando a norma da ficção, passaram das páginas dessas revistas para os altares. Hoje, quando o “Eu te Amo” parece ter perdido , totalmente a sua força lúdica, em que a amada travestiu-se de deusa em mero objeto de caça, transcrevemos ( para as novas gerações) , a carta de um certo “Coração Dilacerado” para uma “Rosa Despetalada” , no Dia Dos Namorados.

“Meu Amor,

Imagino que teus lindos olhos um dia já tenham fitado um relâmpago, à noite. De repente, sem que se ao menos possa pressentir, abre-se , no céu , aquele clarão , como uma árvore elétrica, se ramificando e se esgalhando no firmamento. O fenômeno é súbito e inesperado e , como um flash, dura apenas alguns poucos instantes. Sua mágica, no entanto, está justamente na sua fugacidade: num átimo, o azul do céu reaviva-se , a paisagem se torna clara e visível, com suas árvores, seus rios, seu relevo e o mar volta a nos olhar com olhos convidativos. Até a lua que brincava de esconde-esconde por trás das nuvens, subitamente , reaparece e faz-se senhora absoluta do éter.

Assim é o meu amor. Abruptamente surgiu em meu coração, sem que ao menos possa compreender como de mim se apoderou. Sei apenas que clareou minha vida, que fez visíveis, pontos obscuros e que me deu outras cores para pintar a aquarela que brilha agora diante de mim. Atônito percebo esse novo mundo à minha frente e busco sorver toda beleza que se me depara aos olhos. Nem ao menos imagino-o como a perspectiva do trovão vindouro ou da tempestade anunciada; sequer percebo a fugacidade desse instante mágico , pois, no fundo de minha alma o sinto eterno. Apenas te convido a seguir comigo o seu encanto, nessa viagem dourada desde o “não- sei-porque” até o “não –sei- até –quando” ; passageiros deste sonho volátil e , por isso mesmo, infinito.

Te Amo!”



J. Flávio Vieira

Agende-se, outra vez!

DATA: SÁBADO,14 de junho de 2008

LOCAL : Salão de Atos do Instituto Cultural do Cariri - ICC

HORÁRIO: A partir das 09 horas da manhã

Objetivo

Propor diretrizes no campo da ECONOMIA e Geração de Emprego e Renda visando um programa de governo municipal participativo para o Crato.

PROGRAMAÇÃO

09:00 h Abertura – Composição da mesa/ Fala de representantes dos partidos;

09:30 h Palestra : POTENCIAL ECONÔMICO DO CRATO

- José Romildo Alves, BNB-Crato

10:00 h LANCHE

10:15 h Formação dos Grupos de Trabalho (GT) e discussão de temas afeitos à palestra principal.

11:30 h Apresentação de propostas dos Grupos de Trabalho (GT)

12:00// h ENCERRAMENTO

Crato Hoje - Rua Dr. Miguel Limaverde


Foto da Rua Dr. Miguel Limaverde, próximo à antiga Choppana. Vê-se ao fundo a praça da Sé.

Foto: Dihelson Mendonça
.

EM MATÉRIA DE SAÚDE A CAMPANHA AMERICANA É MAIS CORRETA QUE A CAMPANHA DOS LIBERAIS TERCEIRO MUNDISTA DO BRASIL

.
Os grandes jornais brasileiros, além das televisões, estão fazendo campanha aberta contra a contribuição para a saúde, aprovada por margem apertada ontem na Câmara Federal. É uma campanha clássica, ao estilo das centrais sindicais, expondo o nome dos deputados que votaram a favor, mas não os que foram contra. No final uma tabela de como votaram os partidos. Sem dúvida nenhuma quem andou vendo manchete ou lendo jornais hoje no Brasil está contra o imposto e de algum modo contaminado contra do Sistema Único de Saúde. E é que se encontra a grande questão.


Os liberais brasileiros continuam firmes em suas fortalezas ideológicas. Eles compreendem o mundo como a livre iniciativa, a grande concorrência e a justiça para os vencedores. Como vivem em sociedades de massa, apontam o raciocínio marginal que afinal todos ganharão. Não é verdade, seguramente em relação à saúde pública. E neste setor esta verdade se acentua à proporção de que novas e caras tecnologias são incorporadas ao cenário médico. A saúde pública se tornou um indicador das desigualdades sociais e econômicas (muitos outros existem) e este efeito, com as caras tecnologias, apenas se acentuam. A verdade é que estas tecnologias promovem a longevidade.

Estes jornais estão vivendo num ambiente democrático. Mas não fazem jornalismo, não informam, não confrontam, não debatem. Apenas acusam e como acusam. O mais paradoxal deste conteúdo ideológico é que eles dizem que não existem classes sociais e nem lutas de classe, mas não têm como negar: o jornalismo brasileiro fomenta a luta de classe. Fomenta mais do que qualquer socialista, qualquer membro do MST ou da Via Campesina. Agora mesmo estes jornalistas a soldo de ideologias violentas estão fomentando o ódio da classe média contra o sistema público de saúde.


E é fácil a classe média ser pegue em processo irracional. Lembremos do nazifascismo que a história foi exuberante nisso. Acontece que a classe média que paga plano de saúde, paga imposto mas teve uma renúncia fiscal que se estima em R$ 20 bilhões, mas esta conta pelo lado pagador. Se considerarmos as despesas dos planos de saúde com assistência de saúde e esta renúncia fiscal, as classes médias cuidaram de sua saúde com dezenas de vez mais dinheiro e mais tecnologia e mais desigualdade em relação ao resto.


Os jornais fazem um discurso de revoltados. Ainda não organizaram piquetes e nem quebra-quebra, mas preparam os espíritos para isso. Acontece que a classe média brasileira é protegida com ações de vigilância sanitária e epidemiológica, tem seus planos de saúde regulados, recebe vacinações, têm emergências à sua disposição, sistemas de ambulância e no mais remoto município algum serviço de saúde pública. Isso se faz com recursos públicos e no sentido universal da promoção, prevenção e recuperação da saúde. Não se pode imaginar, como alguns argumentos marginais espalham, que seja o Sistema Único de Saúde um mero prestador de assistência médica. Quem faz isso são os serviços de saúde, o SUS é o próprio dever do Estado com a saúde dos cidadãos brasileiros como apregoa a Constituição.


Finalmente eis o grande partido contra a saúde pública. Antigamente se dizia partido sanitário aquele segmento de militantes que lutava por uma saúde pública. O partido anti-sanitário é formado por: grandes jornais, redes de televisão, PSDB, DEM, PSOL, PPS em total unanimidade. Os demais partidos se dividiram entre o sim, não e não votou. O mais safado de tudo: o presidente do PT não foi à votação e os jornais que fazem campanha contra expuseram ainda mais suas vilanias, destacando este fato no adversário. Mas ora, se é jornalismo planfetário, porque estigmatizar quem engrossou as próprias fileiras.


Por: José do Vale Feitosa
.

Coisas que você só vê no Brasil - Vandalismo faz Curitiba trocar bronze de estátuas por resina

Bustos inaugurados recentemente foram feitos com nova opção de material.Prefeitura da cidade quer evitar novas tentativas de roubo.

Atos de vandalismo e tentativas de roubo observados pela Prefeitura de Curitiba fizeram com que a matéria-prima dos bustos e placas de homenagem na cidade fosse alterada. De acordo Sérgio Tocchio, diretor do Departamento de Parques e Praças de Curitiba da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, o tradicional bronze dará lugar à resina e fibras de vidro nas peças danificadas.

“Observamos que, desde o início do ano, várias peças foram afrouxadas, uma nítida intenção de tentativa de roubo. Duas peças foram levadas desde o fim do ano passado. Com a troca do material, esperamos diminuir esses atos de vandalismo”, afirma Tocchio.

Segundo o diretor, o novo material é mais barato, custa apenas 40% do valor do bronze. Além disso, não deve chamar a atenção dos ladrões, pois não é um material buscado por comerciantes.

Além das peças que irão repor as que foram alvo de vandalismo, o novo busto da cidade, em homenagem a Baden Powell, inaugurado recentemente foi feito com a nova opção de material.

Fonte: g1
.

Sua Empresa deseja Visibilidade ? - Seja Parceiro do Blog do Crato !

SEJA PARCEIRO DO BLOG DO CRATO !



O Blog do Crato é hoje o maior ponto de referência aqui e lá fora, quando o assunto é a cidade do Crato. Com mais de 22.000 acessos por mês, mais de 1.800 artigos escritos por mais de 50 dos maiores intelectuais do Cariri, o Blog do Crato parte para uma grande expansão, agora busca empresas que desejam se tornar parceiras do nosso mais novo empreendimento. O objetivo do Blog do Crato é levar a melhor imagem da cidade aos Cratenses e admiradores que moram longe, e mostrar a todos o que Acontece na Cidade, debater os temas, os problemas, buscar soluções para as grandes questões que afligem nosso povo.

E nesse ínterim, estamos montando nossa própria estação de TV, que funcionará no sentido da criação de um Museu da Imagem e do Som para a cidade do Crato, que já funciona em caráter experimental, e agora, construindo um com novo e dedicado estúdio. Brevemente, o Blog do Crato lançará também um Jornal impresso. Estamos buscando parcerias na área de divulgação, como CyberCafés, Anunciantes, etc...

Seja parceiro dessa grande idéia. Certamente, cresceremos, como temos feito, e sua empresa crescerá junto! Entre em contato agora mesmo pelo telefone: (088) - 3523-2272 ou diretamente pelo e-mail:

blogdocrato@hotmail.com

Dihelson Mendonça - Administrador
.

O FESTIVAL CARIRI DA CANÇÃO COMEÇA DOMINGO

FESTIVAL CARIRI DA CANÇÃO
De 15 a 17 de Junho no CENTRO CULTURAL DO ARARIPE - RFFSA
CRATO - CEARÁ



Repostando a matéria, para que todos participem !
.

CRATO - Campanha contra a queima do Lixo - Ajude a tornar o Mundo um Lugar Melhor !

.



NÃO QUEIME LIXO !

NÃO PRODUZA FUMAÇA !

A queima do lixo libera gases tóxicos que podem provocar Câncer e outras doenças. Denuncie quem faz isso no seu bairro!

Campanha contra a queima do Lixo.
Ajude a tornar o Mundo um Lugar Melhor de se viver !

Campanha do Blog do crato
.

Venha participar dessa campanha. Campanha da Gentileza !


Campanha da Gentileza

O executivo estava na capital e entrou em um táxi com um amigo. Quando chegaram ao destino, o amigo disse ao taxista: Agradeço pela corrida. O senhor dirige muito bem. E, ante o espanto do motorista, continuou: Fiquei impressionado em observar como o senhor manteve a calma no meio do trânsito difícil. O profissional olhou, um tanto incrédulo, e foi embora. O executivo perguntou ao amigo por que ele dissera aquilo. Muito simples – explicou ele. Estou tentando trazer o amor de volta a esta cidade e iniciei com uma campanha da gentileza. Você sozinho? – Disse o outro. Eu, sozinho, não. Conto que muitos se sintam motivados a participar da minha campanha. Tenho certeza de que o taxista ganhou o dia com o que eu disse. Imagine agora que ele faça vinte corridas hoje. Vai ser gentil com todas as 20 pessoas que conduzir, porque alguém foi gentil com ele. Por sua vez, cada uma daquelas pessoas será gentil com seus empregados, com os garçons, com os vendedores, com sua família. Sem muito esforço, posso calcular que a gentileza pode se espalhar pelo menos em mil pessoas, num dia. O executivo não conseguia entender muito bem a questão do contágio que o amigo lhe explicava. Mas, você vai depender de um taxista! Não só de um taxista, respondeu o otimista. Como não tenho certeza de que o método seja infalível, tenho de fazer a mesma coisa com todas as pessoas que eu contatar hoje. Se eu conseguir que, ao menos, três delas fiquem felizes com o que eu lhes disser, indiretamente vou conseguir influenciar as atitudes de um sem número de outras. O executivo não estava acreditando naquele método. Afinal, podia ser que não funcionasse, que não desse certo, que a pessoa não se sensibilizasse com as palavras gentis. Não tem importância, foi a resposta pronta do entusiasta. Para mim, não custou nada ser gentil. * * * Você já pensou como seria bom se agradecêssemos ao carteiro por nos trazer a correspondência em nossa residência? Ao médico que nos atenda, ao balconista, ao caixa do supermercado... E a um professor, então? Quantos se mostram desestimulados porque ninguém lhes reconhece o trabalho! Se receber um elogio, se alguém lhe disser como é bom o trabalho que está realizando com seu filho, como ele influenciará todos os alunos das várias classes em que leciona! E cada aluno levará a mensagem para suas casas, seus amigos, seus vizinhos. Pode não ser fácil, mas se pudermos recrutar alguém para a nossa campanha da gentileza... Diz um provérbio de autoria desconhecida que as pessoas que dizem que não podem fazer, não deviam interromper aquelas que estão fazendo alguma coisa. Pensemos nisso e procuremos nos engajar na campanha da gentileza. Pode não dar certo com uma pessoa muito mal-humorada. Mas também pode ser que ela se surpreenda por ser cumprimentada, e responda. Melhor do que isso: pode ser que ela decida cumprimentar alguém. E, em fazendo isso, se sinta bem. E passe a cumprimentar as pessoas todos os dias. Assim estaremos espalhando o germe da gentileza, que torna as pessoas mais próximas umas das outras. Uma campanha que espalha confiança, tranquilidade... Pensemos nisso e façamos nossa adesão à campanha da gentileza, transformando a nossa cidade num oásis de paz.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. O amor e o taxista, de autoria de Art Buchwald, do livro Histórias para aquecer o coração, de Jack Canfield e Mark Victor Hansen, ed. Sextante. Em 06.06.2008.

Por: Mônica Araripe
.

"Que País é Esse ??" Como fica a situação dos candidatos "Corruptos" nas eleições, com a nova decisão do TSE.

.

Amigos,

Recebi esse texto abaixo, enviado como comentário pelo nosso querido amigo Roberto Sousa, e repasso para todos como um artigo para apreciação. A manchete é nossa...

CAROS LEITORES DO BLOG DO CRATO

Infelizmente, a posição da Egrégia Superior Corte Eleitoral, que já era majoritária, foi mantida no julgamento proferido na noite de ontem, ao possibilitar que candidatos com a ficha suja estejam hábitos a participarem do pleito eleitoral de 2008. Devemos informar, sem muito didatismo, os leitores o que vem a ser vida pregressa: é a verificação da idoneidade moral e ética da vida do cidadão que quer participar do pleito eleitoral, antes do deferimento do registro de candidatura pela Justiça Eleitoral.Exemplifico: um gestor recebe uma verba para fazer um açude em uma determinada localidade e não o constrói. O sistema de controle externo – Tribunais de Consta – constata-se que o açude não foi edificado é o dinheiro desfiado. Também, o mesmo gestor comente um crime de estupro, tendo contra si, todas as provas do processo, indicando sua participação efetiva no ato delituoso. No primeiro caso, o Ministério Público entra com ação de improbidade administrativa para reaver os prejuízos causados ao erário publico e a suspensão dos seus direitos políticos, tendo o procedimento a efetiva caracterização da malversação do dinheiro; no segundo caso, o Ministério Público denuncia o acusado, e o leva para uma condenação no juízo de primeiro grau, este inconformado recorrendo para o Tribunal de Justiça. Nos dois casos, as provas são incontestes e demonstram a efetiva participação do possível candidato nas condutas delituosas.Pela tese derrota ontem no TSE – Vida Pregressa, no ato do registro de candidatura do gestor acima identificado, poderiam os legitimados impugná-la e a Justiça Eleitoral indeferi-la, pois a conduta do possível candidato não demonstra idoneidade moral para o desempenho do cargo público eletivo. Verifica-se que nas duas exemplificações não existiam o trânsito em julgado da decisão, ou seja, ainda poderia o interessado recorrer para instâncias superiores. Hoje pela situação consolidada no TSE – Superior Tribunal Federal, o candidato amoral, pode requerer o seu registro de candidatura e a Justiça Eleitoral local poderá até indeferi-la, mas se o pretenso candidato recorrer e o processo chegar à Superior Corte, o julgamento será pelo deferimento do registro de candidatura, assim poderá efetivamente participar do pleito eleitoral.Veja a incongruência da decisão. O candidato amoral, após ser eleito e empossado tem a condenação por estupro efetivado em definitivo, entretanto, não poderá ter o seu diploma cassado por fato superveniente a sua diplomação, mantendo, assim, no comando da gestão. Teremos, na espécie, gestor condenado por estupro, preso, mas administrando uma cidade, um estado ou o país.Lúcida é a posição do grande constitucionalista e equilibrado ministro presidente do TSE – Superior Tribunal Federal, Carlos Ayres Brito, que assim se posiciona com relação a vida pregressa: “A Constituição não exigiria do exercente do cargo um padrão de moralidade que já não fosse a natural continuação de uma vida pregressa também pautada por valores éticos”, disse o presidente do TSE”.Concordo com o que leciona o doutrinador Djalma Pinto, entretanto, não trago na literalidade do texto, mas somente o seu sentido: o gestor público fica em patamar de superioridade dos demais cidadãos, pois ele é quem gerencia a coisa pública e as finanças públicas.Segue este espírito o Ministro Carlos Ayres Brito, que leciona: “afirma que o detentor de poder tem garantias como a inviolabilidade material, imunidade processual e foro especial que o submetem a maiores exigências”.Fica uma indagação no ar: com a decisão de ontem do TSE – Superior Tribunal Federal, poderá pretenso candidato registrar a sua candidatura quanto teve suas contas desaprovadas pelo Tribunal de Contas, com o trânsito em julgado? E no caso do Parecer Prévio da Cortes de Contas ter sugerido ao Poder Legislativo a sua desaprovação, tendo o Poder acatado as observações técnicas do TCM, julgando as contas como desaprovadas? O que deverão fazer os pretensos candidatos para viabilizarem suas candidaturas? A regra continua a mesma, a Súmula 01 do TSE não foi tocada, continua imaculada. Os gestores que tiveram suas contas desaprovadas pelo Tribunal de Contas e Câmaras Municipais deverão buscar o Poder Judiciário para conseguirem uma tutela antecipada ou liminar desconstitutiva do ato da TCM ou da Câmara para tentarem viabilizar as suas candidaturas.

Por: Roberto de Sousa
.