07 junho 2008

BZU 666














Marilaque, quando novinha, não era definitivamente de se jogar no lixo. O rosto, a sala de estar do corpo, não era lá estas coisas, os olhos bonitos e claros embaçavam-se em meio ao um nariz adunco e proeminente que dava sombra a uma boca um pouco rasgada demais. O corpo, no entanto, era sinuoso como um violão, os seios fartos e pontiagudos, a cintura finíssima e uma bunda tanajurosa de fazer inveja a muitas mocinhas da sua geração. O conjunto agradava, mesmo porque homem foge dos detalhes, não percebe culotes, estrias celulites : invenções de outras mulheres fofoqueiras e de bichas. O corpão de longe parecia de cara muito convidativo e isto na verdade era o que interessava. Namorou bastante, num tempo em que se permitia apenas a mão naquilo e aquilo na mão; aquilo naquilo terminava sempre no altar , na polícia ou em capação. O problema maior de Marilaque diziam as amigas: a menina mostrava-se banqueira demais, cheia de riquififes, para namorar até que não escolhia tanto, mas na hora de casar só queria árvore frondosa tipo : juiz, médico, promotor, banqueiro. Com opções tão restritas , o tempo se foi escoando e quando Marilaque deu por si a juventude havia evaporado, junto com sua inebriante essência. Demorou um pouco, assim, em alargar os critérios rigorosos para escolha matrimonial e quando cuidou já era tarde demais. Todos os homens interessantes da sua geração haviam casado, os novos queriam uma espécie de indenização monetária para ficar ao seu lado e os descasados só se interessavam por meninas novinhas. Com pavor descobriu, já próximo aos quarenta, que suas chances haviam se acabado, que ficara pra titia. Tornou-se, então, uma das peruas mais deslumbradas de Matozinho, parecia um carro alegórico. Maquiagem carregada de palhaço, roupas arroxadíssimas, uma pastinha no cabelo desta que só senta em criança até os 12 anos e adereços dourados por tudo quanto era lado : brincos, cinto, fivela, colares, pulseiras, parecia um tabuleiro de Micheline.

Coroa, passou a freqüentar todas as festas que apareciam na região. Conseguiu até uns namorados, uns fica, mas nada de proposta matrimonial. Terminou por concluir, desesperadamente, que por vias comuns seria impossível arranjar marido. Decidiu , então, partir para o sobrenatural. Freqüentou terreiros, encomendou trabalhos, fez promessa com São José e nada de desencantar o príncipe. Recomendaram, então, Santo Antonio da Barbalha e seu Pau Miraculoso. No dia aprazado até tentou tomar chegada, mas a multidão gigantesca a impediu de se aproximar do mastro enorme da bandeira carregado por centenas de homens suados e embriagados. Temeu, inclusive, ser esmagada por aquele falus sagrado nos momentos em que o punham no chão. Teve então uma idéia sensacional, esperou a madrugada, se dirigiu então à praça da matriz e, com uma faca, tirou raspas de casca do pau do santo casamenteiro. Chegando a casa, fez um infusório delas com água fervente , deixou esfriar e depois acondicionou em um tonel de alumínio. Como o desespero fosse inimaginável, resolveu utilizar uma dosagem bem acima da prescrita normalmente pelas beatas de plantão. Durante toda a semana seguinte passou a utilizar o chá miraculoso em diversas vias de administração. Pingou nos olhos, como colírio, nos ouvidos como solução otológica, fez gargarejo e , finalmente, colocou o remédio numa bacia enorme e fez seguidos banhos de assento por mais de uma semana.

Depois do tratamento, Marilaque ficou esperando o resultado da magia. Não demorou muito e a simpatia, incrivelmente, passou a dar resultado: começou a ser assediada por inúmeros pretendentes. Animou-se toda , criou alma nova e ante tanta fartura, voltou à pabulice de sempre. Primeiro porque lembrou que o querido Santo casamenteiro tinha fama de escolher pouco os pretendentes. É que eram tantos os pedidos que chegavam ao seu departamento celeste que para dar de conta não podia ser muito exigente, ia despachando conforme a necessidade. Depois porque sempre fora mesmo cu doce e percebia os mínimos defeitos , todos eles graves e totalmente irreconciliáveis. O primeiro pretendente que a procurou era um senhor de meia idade, calmo e de vestes simplíssimas. O dispensou prontamente de início por conta dos visíveis sinais de pobreza, depois porque , estranhamente, andava arrodiado de passarinhos. Um preguiçoso daqueles não poderia sustentar uma casa ! O segundo noivo que lhe apareceu um cavaleiro montado em um lindo cavalo branco, vestido para guerra e empunhando uma longa e aguda lança. Um guerreiro, afeito aos campos de batalha, lá teria tempo de cuidar de uma esposa a contento ? Dias depois lhe bateu à porta um senhor de face sisuda emoldurada por uma barbichazinha branca, carregando uma criança de uns oito anos, propôs matrimônio, prometendo amá-la eternamente. Marilaque despachou-o afirmando que ele era muito velho para ela e , além do mais, não queria servir de babá para filho de ninguém. Finalmente, um belo dia, apareceu um cara altíssimo , de olhar penetrante, com um perfume estranho, fala envolvente e que lhe prometeu todas as riquezas deste mundo. Sequer precisou pedir-lhe a mão, arrebatou-a num pulo, levou-a para um banho de loja no shopping, carregou-a depois para uma Clínica de Cirurgia Plástica e lhe pagou um serviço geral de lanternagem. Saiu de lá com a cara da Angelina Jolie depois que caiu do avião. Foram então dias e mais dias de amor turbulento destes de pelar e assar todas as partes que tinham sido banhadas pelo infusório de Santo Antonio. A felicidade parecia completa até que percebeu que a placa da caminhonete Pajero do marido lhe parecia familiar: BZU 666. Tarde demais, viu-se de repente arrastada por uma força estranha para o firmamento. Despertou da vertigem , em cima de uma nuvem de onde se avistavam duas portas uma iluminada e resplandecente e a outra enferrujada, tosca, pavorosa. Enquanto era carregada para a porta negra por uma anaconda imensa, avistou um dulcíssimo Santo Antonio que lhe falou:

---- Vocês mulheres não têm mesmo jeito. Mandei três maridos perfeitos e você recusou, Marilaque. O primeiro São Francisco de Assis , mal teve tempo de falar com você. O segundo , São Jorge , no seu cavalo, teve que voltar para a lua imediatamente sem sequer ter recebido um minuto da sua atenção e o terceiro, São Vicente, só porque levava um meninozinho você pensou logo que o homem era pedófilo! Não tem jeito não, santo com vocês não leva vantagem nenhuma. O povinho pra gostar do satanás !

J. Flávio Vieira

De : http://simborapramatozinho.blogspot.com/

E AGORA JOSÉ?

A ciência por mais que revele evidências não tem condições de criar normas definitivas para a vida humana. Dois fatos sustentam a frase: a) a ciência fala no condicional dos eventos presentes na ocasião do anunciado científico e b) a espécie humana além de muito criativa é muito apegada a regras oriundas delas mesmo e por isso mesmo mutáveis.

Como diz o Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz: os bancos centrais formam um fechado clube, dado a manias e modismos. Demonstrando o aspecto tipicamente humano do temporário e transitório ele aponta para os idos de 80 e 90 quando a hegemonia do monetarismo (teoria simplista de Milton Friedman) redundou num rotundo desastre econômico e social das nações em todos os continentes. Agora o economista aponta para as políticas fundamentalistas de controle da inflação pelo aumento dos juros. Na verdade ele não aponta para a teoria (ou não teoria) por trás de tais políticas assim como acentua o seu traço essencialmente hegemônico dos países centrais, especialmente os EUA.

Acontece que toda vez que o regime de metas de inflação aciona o gatilho dos juros altos reflete apenas que os luminares de hoje na verdade estão testando uma teoria rala em diversos países e o Brasil entre eles. Onde estaria a quase certeza que tais testes falharão? È que as inflações deste ano não decorrem da macroeconomia dos países, mas sim da inflação internacional, especialmente da energia e dos alimentos. Por isso a inflação aumenta na China e no Vietnam, por exemplo, mas no EUA ela é baixa, se mantém em 3%. Neste caso os aumentos de juros na China e no Vietnam seriam inócuos, pois a inflação é importada. A única elevação de juros que poderia fazer diferença na produção mundial seria a americana, enquanto este aumento na China não afetará os preços internacionais.

Então as medidas macroeconômicas mais contundentes para a ameaça da inflação deveriam ser internas e que favoreçam a produção e descolem a economia interna da insuficiência mundial. Elevar juros, diminuindo a demanda agregada especialmente em alguns bens e serviços, não modifica o quadro externo como se disse. Então o laboratório de experiências adotaria medidas mais drásticas ainda nos juros, reduzindo o emprego e gerando uma amarga solução no nível social. Ou seja, a panacéia que domaria a liberalização comercial mundial demonstra claramente as suas limitações.

E agora? Vozes se elevarão no sentido de seguir exemplos dos paises mais fortes, que liberalizam, mas criam muralhas de proteção interna à sua economia doméstica. Vejam que saímos do encontro da FAO em Roma sem mudanças substanciais no panorama: a Europa e os EUA continuarão com suas políticas econômicas na Agricultura que protegerão seus consumidores e produtores.

Nisso tudo uma grande contradição na era da Globalização. Se todos recorrem ás metas de inflação a produção mundial cairá e a inflação internacional se acentuará assim como, do mesmo modo, isso aprofundara a crise ainda mais se todos buscarem se proteger em bloco. De fato a humanidade necessita de novos arranjos, novas verdades científicas e de muito senso de que é necessário agir no próprio interesse, E isso não será fácil com o espectro da degradação ambiental estiolando a vontade de todos.

Vale a pena Lembrar: O Festival Cariri da Canção acontece na próxima semana em Crato !

De 15 a 17 de Junho no Largo da Reffesa - Crato

A memória das pessoas para anúncios na internet costuma ser de apenas 3 dias no máximo. Por isso, anuncio novamente o Festival Cariri da Canção. De 15 a 17 de Junho, no Largo da Reffesa. Prestigie, participe. Vamos revitalizar os Festivais da cidade !

.

De Nova York a Nova Olinda - Os Blogs como veículos de Utilidade Pública

De Nova York à Nova Olinda
Que a tecnologia abriu os horizontes da informação, mudando as perspectivas e opiniões, não restam mais dúvidas. Muito se tem escrito sobre isso ultimamente. A questão que trago agora, são mais específicos: Os Blogs.

Os Blogs surgiram como pequenos diários virtuais, quase todos pessoais, onde se proliferou de forma incrível entre as mocinhas, que gostam de desenhar aqueles corações, bonequinhas róseo, e aqueles poeminhas que toda adolescente gosta de escrever quando estão apaixonadas e se deparam com as primeiras dificuldades da vida. Blogs eram diários. Talvez derivados dos antigos murais, que foram uma febre na internet por volta de 1998, onde qualquer site que se prezava tinha seu mural. O mural representou uma forma muito democrática dos povos primevos ( essa palavra é demais...! rs ) terem acesso fácil nas duras Home-Pages que mantinham o monopólio e o controle absoluto. Na maioria das vezes, essas Home-Pages representavam o primeiro acesso ao mundo virtual, pois era a fachada das próprias empresas de prestação de serviços de internet, conhecidos como "provedores de acesso" ( uma coisa que vc irá contar para seus netos ). Então, esses murais por não ter muito controle, geralmente virava artigo de postagens pornográficas, veiculação política, anúncios de festas, desabafos, brigas, etc, mas foi uma forma bastante democrática da população participar dentro da tecnologia que existia.

Baseado na linguagem XML, que por sua vez derivou do HTML, o famoso código de que é feito a internet, surgiram os Blogs como uma espécie de mistura da facilidade de acesso dos Murais com a multimídia e o controle centralizado. Assim é que hoje, pela facilidade de acesso, construção, manutenção e muitas outras razões, é que na maoria dos casos, é muito mais prático se construir um Blog do que uma Home-Page, que em geral, é de difícil manutenção, além do fato de ser bem menos interativa, ou dessa interatividade carecer de um bom preparo das tecnologias de webdesign e de funções específicas dos servidores que a acomodam.

Portanto, nessa conjuntura, os Blogs são um passo além dos tradicionais websites, e talvez por isso haja essa explosão tão grande deles, aliados ao fato de que a internet só tende a crescer em volume de acesso. Cada cidade hoje, por sua vez procura divulgar as suas belezas, seus encantos, manter uma home-Page para seus turistas com informações, etc. Lembro-me bem que em 1994 já se poderia acessar diversas páginas da cidade de Nova York, com roteiros turísticos e outras informações. Hoje, não só Nova York, como até Nova Olinda possui seu website, e isso com certeza, revolucionou o mundo de uma forma nem sonhada por nossos pais.

Os dinâmicos Blogs das cidades, bem como seus websites ainda que mais estáticos, certamente que estão mudulando o mundo moderno, proporcionando rápido acesso à informação sobre suas cidades de forma nunca antes imaginada. E com a ampliação do acesso à internet em banda larga, o uso intenso de multimídia, e as novas tecnologias de voz sobre IP e sistemas de telefonia 3G e além, que garantirão acesso pleno à internet de forma constante por uma tarifa fixa, estamos marchando para cenários de total integração entre as pessoas, entre as cidades, onde nenhum lugar é longe e onde ninguém será inacessível. No presente, e durante algum tempo, entretanto, os blogs servirão de veículo principal de comunicação entre as pessoas de uma cidade, provendo informações, formando opiniões, promovendo o convívio social ( pelo menos a nível virtual ), e sendo uma extensão dos serviços de relacionamento, por oferecerem através de artigos escritos de forma técnica e com certa credibilidade, matérias que em nada deixam a desejar dos jornais impressos. E creio mesmo que num futuro breve, os grandes jornais em papel terão que enfrentar seu inexorável destino. Não posso garantir que seja o fim da mídia impressa, pois muita gente ainda gostará do papiro inventado pelos egípcios, mas que certamente a mídia impressa terá que repensar formas mais rápidas para concorrer com a extrema velocidade dos Blogs em termos de informação.

Por: Dihelson Mendonça
.

Crato - Exproaf estima movimentar R$ 1 mi

Festa no Cariri

Clique para Ampliar

Casa de engenho foi montada na Exposição de Produtos da Agricultura Familiar (Exproaf) (Foto: Antônio Vicelmo)

Agricultura familiar alia-se à programação de aniversários dos dois anos do Centro Cultural do BNB no Cariri

Crato. Aberta na última quinta-feira, será encerrada amanhã, a Exposição de Produtos da Agricultura Familiar (Exproaf), promovida pelos sindicatos rurais e associações comunitárias de 26 municípios do Cariri, tem como objetivo principal a valorização e comercialização dos produtos dos pequenos agricultores do Cariri, com destaque para a agricultura familiar e os produtos orgânicos. A programação cultural do evento, aberta com show do cantor Moraes Moreira e do grupo Dr. Raiz, marca os dois anos de aniversário do Centro Cultural Banco do Nordeste-Cariri, com sede em Juazeiro do Norte.

No rastro da feira, foram reativados o engenho de rapadura e a casa de farinha que funcionam dentro do parque durante a Exposição Agropecuária do Crato (Expocrato). O volume estimado de negócios durante o evento está em torno de R$ 1 milhão. O gerente da Ematerce no Cariri, Adonias Sobreira, informa que serão assinados projetos de financiamento no valor de R$ 700 mil.

O engenho e a casa de farinha, que são administrados por trabalhadores da agricultura familiar, devem faturar cerca de R$ 15 mil com a venda de garapa, alfenim, rapadura, mel, beiju, tapioca, goma e bolo de mandioca. O administrador do engenho, Francisco Antônio da Silva, informou que serão moídas oito toneladas de cana-de-açúcar.

Também estão funcionando mais de 100 barracas, com artesanato, alimentos caseiros, como doces, sequilhos, bolos, mel e produtos orgânicos, uma variedade de origem animal ou vegetal, obtido sem a utilização de produtos químicos ou de hormônios sintéticos que favoreçam o seu crescimento de forma não natural.

Shows

A programação social foi aberta na quinta-feira à noite com shows do cantor e compositor baiano, Moraes Moreira, do Projeto Criolina (dupla formada pelos cantores e compositores maranhenses Alê Muniz e Luciana Simões) e da banda caririense, Dr. Raiz. Os artistas foram patrocinados pelo Banco do Nordeste que, segundo os organizadores do evento, tem sido um grande parceiro da agricultura familiar.

Nos dois anos de atividade, o Centro Cultural Banco do Nordeste-Cariri atingiu um público de 414.537 pessoas, sendo que 223.440 pessoas somente nesse segundo ano de funcionamento (17% acima do primeiro ano), que acompanharam mais de 1.300 eventos artístico-culturais realizados.

Mais informações:
Escritório da Ematerce, no Crato (ao lado do Parque de Exposições),
(88) 3221.1283

Fonte: Jornal Diário do Nordeste.

Caça-níqueis apreendidos na cidade de Crato - Por: Antonio Vicelmo


OPERAÇÃO NO CRATO

Clique para Ampliar

Máquinas recolhidas: a Polícia vai tentar identificar os responsáveis pelos equipamentos (Foto: Elizângela Santos)

Crato. A Policia Civil deste Município (a 540 quilômetros de Fortaleza) apreendeu, ontem, 19 máquinas caça-níquel e deteve 10 pessoas em quatro pontos da cidade. A operação terá continuidade na próxima semana, prometeram as autoridades.

A Polícia tem informações de que existem outras casas de jogos funcionando clandestinamente na cidade. Os proprietários das máquinas apreendidas durante a operação desencadeada ontem, não foram ainda identificados.

O escrivão da Delegacia de Polícia Civil do Crato, Mário Gomes, informou ao Diário do Nordeste que não existe uma legislação específica sobre a exploração de máquinas caça-níquel. Segundo ele, para a apreensão do material, as autoridades policiais se basearam no artigo 50, da Lei das Contravenções Penais, que diz: “estabelecer ou explorar jogo de azar, em lugar público ou acessível ao público, mediante o pagamento de entrada ou sem ele, pena prisão simples, de três meses a um ano e multa”.

Os dez funcionários e clientes que foram flagrados pela Polícia nas casas de jogos foram ouvidos pelo delegado regional, Levi Gonçalves Leal, que instaurou o inquérito para apurar responsabilidades.

Na rua Pedro II, onde funcionava uma das casas, os moradores disseram que as máquinas pertenciam a empresários de Juazeiro que semanalmente paravam “carrões” na frente da casa de jogo para recolher o dinheiro apurado. Os outros pontos funcionavam nas ruas Madre Couto, 24, Centro; José de Alencar, 1º andar, sala 1; e Janaína Gomes Dantas 24.

Em Fortaleza, a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) também iniciou uma operação para localizar e interditar vários bingos que vêm funcionando ilegalmente, desafiando as autoridades.

Antônio Vicelmo
Repórter

Fonte: Jornal Diário do Nordeste.