11 abril 2008

Crato, seja bem-vindo!


É com muita honra que o Blog dos RastreadoreS de ImpurezaS se congratula ao convite do Blog do Crato para aumentar o alcance de veiculação. Levar até o sul do Ceará uma crítica ousada à mídia cearense.
Chegamos a mais importe região do interior do Ceará. No Blog que agrega mais credibilidade, respeito, e um dos Blogs mais acessados do estado, além de possuir um grande patrimônio imaterial, com a corrente mais expressiva da intelectualidade caririense, este é o Blog do Crato. Uma importante ferramenta de comunicação do Crato para o mundo. Que agora recebe o conteúdo pavoroso, preocupante, alarmante para aqueles que têm impurezas a esconder da sociedade, seja na política, no egoísmo individual perante a coletividade ou através do QG dos meios de comunicação de massa.
Um olhar aguçado nas entrelinhas das manchetes dos Jornais de grande circulação e aos quatro cantos da TV cearense. A incomodar os pixels da televisão, aborrecer quem controla o controle remoto, azucrinar rostos emissores de substâncias via antena, chatear corruptos aguçados, ladrões desajeitados e a bandidagem saltitante que assola o chão quente e úmido das bandas do Ceará. Seja bem-vindo ao mundo dos RastreadoreS. Não vamos mudar o mundo, mas o mundo sabe da nossa existência.



Tiago Feitosa Viana


Editor e Autor dos RastreadoreS de ImpurezaS
http://rastreadoresdeimpurezas.blogspot.com/

Carta do Leitor: Ajuda em pesquisa Genealógica da família de J. Figueiredo Filho.

Prezado Dihelson
Meu nome é Odilio de Figueiredo Filho, sou natural de Juazeiro do Norte e resido em Fortaleza, desde 1958. Sou economista mas gosto muito de ler sobre genealogia da familia figueiredo. No final da década de sessenta, li um artigo de J.Figueiredo Filho, do Instituto Cultural do Cariri, publicado no jornal O POVO, no qual ele afirmava que os ancestrais do General João Batista Figueiredo eram de Crato e que um deles, teria sido convocado para lutar contra o Paraguai. Cita nomes que me fogem a lembrança. Dito isto, gostaria de solicitar a sua gentileza no sentido de informar como devo proceder para obter copia desse artigo, cujo original deve estar no referido instituto. Confesso-me grato pela atenção que vier a dispensar ao presente pleito. Cordialmente, Odilio Figueiredo Filho.

Odílio de Figueiredo Filho.

Nota do Blog do Crato:
Peço aos internautas e membros que souberem de alguma informação que tente ajudar nosso colega Odílio.

Abraços,

Dihelson Mendonça
.

PAU NELES: DIZEM OS "EDUCADOS"

Nas sociedades modernas a referência a políticas públicas é uma espécie de ladainha em louvor ou em confiança com a civilização. Acontece que políticas públicas são regras de viver coletivamente, portanto têm muito daquilo que se chama alma, ou cultura ou hábitos de um povo. Também são intenções e ações da sociedade, normalmente pelo seu Estado, em torno da melhoria da vida material das pessoas. Portanto, assim sendo, políticas públicas expressam de algum modo a realidade cotidiana da sociedade. Então vamos às políticas de segurança aqui no Brasil e em especial ao Rio de Janeiro.

Antes um adendo. Em se concordando que política pública é o que se disse, convenhamos que a educação de um povo e a classe social das pessoas tem enorme efeito sobre a realidade vigente. Por exemplo, é comum que pertença às classes médias e mais ricas aqueles mais educados (só não é verdade absoluta dada a natureza de "cassino" que é o capitalismo"). Desse modo, uma referência ao recente debate sobre o filme ganhador de um título internacional o Tropa de Elite. Aliás, sobre uma perna do debate (não me refiro ao filme) que era mais ou menos assim: estes usuários de drogas financiam os traficantes, portanto pau nos usuários e nos traficantes. Acabemos com a hipocrisia, chega de mansidão, pau em todo mundo. Aí se revelou o verdadeiro espírito da política pública de segurança no Brasil: pau nos pobres, nos marginais e nos desequilibrados. Acontece que o pau é executado por forças públicas e privadas e estas também têm modos próprios e, uma vez delegadas da violência, tome violência espanada. Dois exemplos típicos a seguir.

Um homem de classe média. Dançarino de sucesso, professor de referência e grande sonhador. Aposenta-se, confronta a realidade e se recolhe na pequena cidade litorânea do Ceará em que nasceu. Por lá um grupo de jovens pede que os ajude a dançar bem o forró e lambada. Ele, retornando ao desejo deles, propõe algo mais. Disso nasce um grupo de dança e depois uma Companhia cuja qualidade já é notória. O impacto social é enorme. Mais de quatrocentas crianças disputando vagas na companhia. Crianças dançando como rumo de vida, sem o tédio das crianças de classe média cujos pais as entopem de coisas por fazer: escola comum, curso de computador, curso de inglês, escola de música, balé e mais as traquitanas dos shoppings. Como dizia o impacto é tamanho que se reflete na educação formal: três municípios vizinhos passam a incluir aulas de danças nas escolas públicas. Os professores são os alunos mais avançados da companhia. Outro efeito da Companhia é a mudança de eixo no turismo internacional que inunda o nordeste de estrangeiros. Um turismo predador, baseado em sol, cerveja e prostituição, inclusive infanto-juvenil. A cidade passou a oferecer cultura, agregou valor à qualidade do turismo local. No final toda a sociedade ganhou, especialmente aquela mais aquinhoada em recursos materiais.

Qual o desdobramento da história de segurança? Um grupo de policiais militares passa a perseguir o professor. Vêm nele uma oportunidade de ganho e punição. Especialmente ganho. Numa das ações, num local ermo e distante do município, quando o professor sozinho se desloca, um grupo de seis homens armados, faz uma enorme pressão sobre o mesmo. Por final alegam que encontraram maconha suficiente para caracterizá-lo como traficante e o levam preso para a delegacia. O delegado nem surge na cena, mas por trás deixa um "investigador" fazer toda a "negociação": seis mil reais para soltar o professor. Aproveita que o juiz saiu no final de semana da cidade e prometem deixá-lo preso por três dias até que o juiz retorne. Mais tarde os policiais achacadores vão ter com o "investigador" para receber sua parte, mas não havia tal coisa. Espalham pela cidade que além de ser traficante o professor se acompanharia por um rapaz menor de idade. Finalmente o professor é solto, humilhado socialmente e a Companhia de Dança entra em crise de realidade.

A situação hoje é a seguinte: o professor está sendo processado por tráfico de drogas, com o processo no juizado. O juiz: espera-se (apenas se espera) que tenha o senso do conjunto, tenha a visão das forças de segurança e adote uma posição segura, não atue insensivelmente apenas como burocrata medroso.

O outro dado. No Rio de Janeiro. Um rapaz, negro, um tanto feio para os padrões globais, vai visitar a ex-sogra numa favela no caminho entre o trabalho e sua casa. Enquanto conversavam chegam soldados da polícia militar dizendo que ele seria um determinado traficante. O rapaz se defende dizendo que não. A ex-sogra diz que se trata de um trabalhador, os policiais empurram a senhora, algemam o rapaz e o põe num carro da polícia. Passam com ele por chefes das milícias (todas oriundas das forças policiais) para observar se os reconhece, mas não é reconhecido. Circulam com ele por um hospital da Zona Oeste da cidade onde um alcagüete recém agredido por bandidos, dado o seu papel, estava em tratamento, e este não o reconhece. Não satisfeitos levam o rapaz para a delegacia de polícia. Nisso a família do rapaz está chegando e junto ao delegado o defende. A mãe do rapaz, uma senhora com um pouco mais de um metro de sessenta, é brutalmente empurrada pelos brutamontes. Segundo a senhora, homens imensos, com olhos fixos e siderados, pareciam sob efeito de algo além deles. Afinal o delegado leva o rapaz, com o horror da mãe que já imaginava fosse o rapaz ser torturado, para ser submetido a listagem de passagem policial. Inocente é liberado e tudo fica por isso mesmo. Nenhuma medida contra os soldados e nenhuma proteção para a família. Nesta altura, ninguém irá fazer nada, o medo de retaliação é tremendo.

Então os "educados" deram a senha para os homi. Os governadores não têm o apoio social para efetivamente proteger a cidadania. A política de segurança é....todos são vítimas potenciais, especialmente os mais pobres, diferentes e marginais. Quanto a civilização ela é de absoluto desperdício, incapaz até mesmo de se valorizar como um futuro promissor.

Crato - PARCERIA DOS ESCOTEIROS PARA O COMBATE À DENGUE



A Secretaria de Saúde do Crato estará capacitando o Grupo de Escoteiros "Jay Norma Charles", no auditório da Secretaria, neste dia 12, a partir das 8 horas. Este á mais uma parceria da Saúde, no sentido de unir esforços com os parceiros para combater o mosquito transmissor da dengue. Após cada capacitação os jovens irão unir-se aos demais parceiros, nas atividades promovidas pela Secretaria de Saúde, por meio do setor de Mobilização Social, com caminhadas de sensibilização, visitas domiciliares e panfletagem.


Fonte: Tarso Araújo.
.

Hoje no DN - Região aponta danos causados pelas águas

Crato. As chuvas diminuíram no Cariri, mas os prejuízos aumentaram. Com o solo encharcado, qualquer chuva provoca uma enchente. O açude Atalho, em Brejo Santo, considerado o maior da região, com capacidade para 108 milhões de metros cúbicos, deve sangrar ainda esta semana. De acordo com o monitoramento da Companhia de Recursos Hídricos do Ceará (Cogerh), o reservatório está com 96% de sua capacidade total. Uma das pontes da saída de Barbalha para Missão Velha foi interditada. Os carros utilizam apenas uma das pistas da Avenida de Contorno.

As enchentes do “Riacho do Ouro” que passa ao lado da cidade danificaram a estrutura da ponte. Equipes da construtora Coral, que presta serviço ao governo do Estado, trabalham na recuperação da ponte que está sendo sustentada por cabos de aço. A água destruiu o muro de sustentação. O engenheiro chefe do Distrito Operacional do Departamento de Edificações e Rodovias (DER), Luiz Salviano Matos, informou que a ponte será liberada na próxima semana. A estrada Crato-Arajara, que foi cortada em vários pontos, dá passagem, mas os trabalhos não foram concluídos. O DER está com equipes espalhadas na maioria dos municípios na região do Cariri.

Em Mauriti, quase 100 famílias estão desabrigadas. A assessoria de imprensa do município informou que os desabrigados estão alojados no Centro Pastoral e em casas de parentes. A prefeitura oferece assistência médica e alimentação. Algumas estradas da zona rural foram cortadas pelas chuvas. O prefeito Isaac Gomes, do Partido dos Trabalhadores, vai decretar estado de calamidade pública. O prefeito do Crato, Samuel Araripe, tinha audiência marcada ontem com o governador Cid Gomes. A principal reivindicação é a liberação de recursos para recuperar is estragos deixados pelas chuvas. O canal do rio Granjeiro, que passa por dentro da cidade, está, aos poucos, em processo de degradação.

Chuvas no Ceará

Cidade - mm

Cariús 129
Várzea Alegre 64
Umirim 42.4
Araripe 38.4
Iguatu 36
Cedro 35
Jucás 32
Granja 29
L. da Mangabeira 27
Saboeiro 22
General Sampaio 20
Itatira 20

Fonte: www.diariodonordeste.com.br
.