15 março 2008

Coluna Cariri - Tarso Araújo ("O Povo", 16-03-2008)



VIVA ASSARÉ

Uma grata surpresa está reservada para quem visitar, durante a Semana Santa, a cidade de Assaré: o excelente estado de conservação e limpeza da igreja-matriz de Nossa Senhora das Dores. O pároco, padre Joaquim Ivo, substituiu os antigos e feios altares de alvenaria por outros, feitos de madeira. Uma beleza! A estátua da padroeira foi recuperada por restaurador especializado. Com a retirada das demãos de tintas - feitas por amadores - descobriram-se na imagem os olhos de vidros, até então encobertos. As novas pinturas - externa e interna - do templo são de muito bom gosto. Padre Ivo serve de exemplo para alguns párocos da diocese de Crato!


VERDE QUE TE QUERO VERDE

Setores da população de Farias Brito começam a cobrar dos poderes públicos mais ação na preservação ambiental naquele município. O livro de Eldinho Pereira da Silva, Inventário dos Estoques e Perdas dos Estoques Naturais do Município de Farias Brito, é um grito de alerta nesse sentido. Lideranças daquela cidade defendem a introdução da disciplina Educação Ambiental nas escolas públicas. E pedem a implantação de um viveiro de mudas frutíferas e ornamentais para serem distribuídas com a população, criando uma consciência de recuperação dos espaços verdes. Aí incluídos as margens do rio Cariús - que corta a cidade - as quais, além de poluídas, perderam suas matas ciliares.


CAMPUS DA UFC

As instalações físicas do Campus-Cariri da UFC, localizadas em Juazeiro do Norte, deverão ser inauguradas no próximo mês de abril. Agora, a população da Terra do Padre Cícero reivindica a construção de uma via expressa ligando o campus à cidade de Barbalha, que será denominada de Avenida Monsenhor Murilo de Sá Barreto.


PAIXÃO DE CRISTO Nesta Semana Santa moradores da colina do Horto, em Juazeiro do Norte, voltarão a encenar a 27ª versão da peça teatral Jesus Nazareno. Trata-se de espetáculo ao ar livre, produzido por Raimundo Rocha, da Companhia de Produções Artísticas e Turísticas (Compactur). São cerca de 120 atores e figurantes, todos caracterizados, pertencentes à comunidade da Rua do Horto.


PIONEIRISMO DO CARIRI

Regressou do Mato Grosso do Sul o professor da Urca, Alexandre Sales. Ele foi orientar a criação do Geopark Bodoquena-Pantanal, o segundo que será instalado no Brasil. Nesse sentido está sendo preparado dossiê, que será apresentado no próximo congresso dos geoparks mundiais, a ser realizado, pela Unesco, na Alemanha. Alexandre Sales fez parte da equipe implantadora do Geopark Araripe, o primeiro criado no continente americano e no Hemisfério Sul.


MODA PEGOU

O ex-reitor da Urca, André Herzog, esteve no Paraná. Ele foi convidado para proferir palestras orientando a criação de um geopark. Autoridades daquele estado também pensam em dotar o Paraná de uma área voltada à promoção e proteção de território com relevantes valores do patrimônio geológico, educacional, cultural e recreativo. Herzog foi o responsável pela implantação do Geopark Araripe.


ARAUTO DO EVANGELHO Cícero Sobreira de Sousa - cratense e membro dos Arautos do Evangelho - está deixando a direção dessa instituição religiosa na África do Sul. Voltará a residir nas Filipinas, onde, a pedido do fundador da associação, padre João Clá, assumirá a expansão dos Arautos do Evangelho na Ásia, agora incursionando pela Coréia, China e Vietnã. Cícero vai ter que aprender mais três línguas asiáticas.


BATE-PAPO

TROCA-TROCA 1

Mudanças aleatórias de nomes oficiais. Eis um reprovável modismo sempre a assolar o Crato. Quem hoje passa pela Rua Leandro Bezerra (que já foi Rua da Glória) constata que trocaram também o nome do Grupo Escolar Alexandre Arraes. Agora a denominação é Escola de Ensino Fundamental São Francisco. Nada contra o santo, mas Alexandre Arraes merece ter sua memória preservada pelo muito que representou para o progresso da Cidade de Frei Carlos.


TROCA-TROCA 2

Outro dia, a população soube que os vereadores denominaram de Orestes Costa a Rua Imperatriz Leopoldina, no bairro Barro Branco. E o fizeram sem revogar a lei anterior. Ou seja, uma mesma rua tem duas denominações oficiais. Outra da Câmara Municipal: foi apresentado projeto mudando o nome da Rua Presidente Kennedy para Desembargador Edmilson Cruz. Enquanto isso, Frei Carlos Maria de Ferrara (fundador de Crato) e Dom Vicente Matos (o maior benfeitor da cidade) nunca receberam a homenagem que estão a merecer da cidade de Crato...

21 anos da Universidade Regional do Cariri - por José Teodoro Soares



(artigo publicado n'O POVO em 15-03-2008)


Há exatamente 21 anos, graças ao esforço da comunidade caririense, capitaneada pelo saudoso professor Martins Filho, nosso criador de universidades, nascia a Universidade Regional do Cariri (Urca), trazendo no seu bojo a esperança de um futuro melhor para toda a sociedade de uma região que não é só cearense, mas que se estende pelos confins do Piauí, sertões pernambucanos, paraibanos e norte-rio-grandenses. Sediada no Crato, com atuação em Juazeiro do Norte, Santana do Cariri e, já neste ano, Barbalha e Iguatu, a Urca atende a uma comunidade em torno de onze mil alunos, de 91 municípios.
A semente foi lançada por dom Quintino Rodrigues de Oliveira e Silva, primeiro bispo do Crato. Em 1922, ele dotou o Seminário São José do primeiro curso superior do interior do Ceará, o de Teologia. De duração efêmera, é bem verdade, mas foi o funcionamento desse curso que ensejou, 37 anos depois, em 1959, a criação da Faculdade de Filosofia do Crato, que teve no 3º bispo, dom Vicente de Paulo Araújo Matos, um dos principais responsáveis pela sua fundação. A criação e instalação da Urca representa, pois, o coroamento de esforços convergentes de homens de boa vontade, de idealistas, de políticos e de educadores do Vale do Cariri.
Em dezembro de 1986, convidado pelo economista Antônio Rocha Magalhães, deixei minha função de secretário geral adjunto do MEC para participar da equipe de transição do governo das mudanças de Tasso Jereissati, Neste período fui convidado pelo professor Antônio Martins Filho, reitor da UFC, para implantar seu projeto de Universidade Regional como reitor na Região do Cariri. O então governador Tasso Jereissati deu todo apoio para tornar realidade esse sonho que há tanto tempo era acalentado pelo povo do Cariri. O ex-governador Tasso Jereissati pode ser considerado um dos grandes promotores da interiorização do ensino superior no Crato e posteriormente em Sobral, quando da consolidação da Universidade Estadual Vale do Acaraú. Durante minha gestão à frente da Urca, realizei dois seminários internacionais sobre a temática do Pe. Cícero Romão Batista em Juazeiro.
Ambos tiveram ampla repercussão atraindo professores de universidades brasileiras e do exterior, como as universidades de Louvain la Neuve, na Bélgica, e a René Decartes, na França. O sociólogo Ralph Della Cava defendeu tese de doutorado sobre o fenômeno de Juazeiro. O seu livro Milagre em Juazeiro é uma análise muito bem feita e fundamentada da trajetória deste padre simples e humilde que dedicou toda sua vida aos pobres, partilhando com eles seus bens materiais e pregando fidelidade à doutrina da Igreja. O livro de Ralph Della Cava, do princípio ao fim, é uma defesa desse santo homem, que em todos os momentos da questão religiosa da qual foi o epicentro, jamais abandonou a Igreja e procurou provar sua fidelidade aos ensinamentos de Jesus Cristo.
A cada ano, a sociedade caririense recebe provas e mais provas do trabalho e do esforço diuturno da Urca para bem trilhar sua senda rumo à excelência. Em 2005, por exemplo, o MEC reconheceu o curso de Enfermagem da Urca como o melhor do nosso Estado. Em 2007, foi a vez dos cursos de História e Geografia. Tudo isso serve de incentivo e aumenta o compromisso de todos os que formam o grande corpo da Urca, docentes, discentes e funcionários, tendo à frente o magnífico reitor professor Plácido Cidade Nuvens, em quem reconheço como um esteio firme e um sustentáculo do respeito e da admiração que todos dispensam à Urca. Um dos seus maiores desafios tem sido incentivar as mudanças tecnológicas e, simultaneamente, investigar e preservar as tradições populares da região onde atua.
Do Geopark Araripe à Lira Nordestina, toda uma gama de ações e intervenções vem acontecendo, num crescente de construção de uma nova sociedade identificada com o meio, a sua cultura e tudo o que ocorre de novo e de mudança no mundo. Toda essa bela história é um trabalho de todos os que fazem a instituição, mas seus reitores, desde o início com professor Martins Filho brilhantemente assessorado pelo prof. João Teófilo Pierre, a quem tive a honra de suceder, o professor Manuel Edmilson do Nascimento, a professora Violeta Arrais, o professor André Herzog e agora o professor Plácido Cidade Nuvens merecem o reconhecimento pelos seus esforços e competência na construção de uma bela Universi
dade.

SESC Promove Curso de Música !! - Ôba !!!

Meu Cariri - Por: Josilson Lobo


Meu Cariri

Composição: Josilson Lobo

Amanheci chorando de sede
E não sei o que fazer
Para matar esta saudade
Que eu sinto de você

A vida passa, passa tão depressa
Que mais parece que tudo terminou
Porque tanta rapidez
Até a vida não está mas aí

Onde está meu cariri
Onde está meu cariri
Onde está meu cariri, cariri...

Quem sabe um dia tudo volta ao começo
Porque tanta solidão
Se a vida não é mais aquela
E você não é mais um cidadão...
Por: Josilson Lobo - Cantor e Compositor Caririense residente em Brasília
.

O Blog de Várzea Alegre vem aí...

Olá, Dihelson
Venho informar que hoje foi criado o blog de Várzea Alegre.
Ainda estamos engatinhando, mas com o propósito de crescer.
Gostaria de informar que, como foi sugerido por você, estamos aderindo à rede Blog do Crato
e já até tomamos a liberdade de colocar o LOGO no nosso blog.
Sem mais
Blog de Varzea Alegre
_____________________________
Welton Rodrigues


Nota - Faltou o Welton nos dizer qual é o endereço do Blog. Ih!
.

Apicultores de Picos entram com Representação - Por: João Batista de Barros


Ao Ministério Público Federal
Procuradoria da República no Município de Picos - PI
Picos (PI)
Assunto: Representação (Faz)

Nós, abaixo assinado do Movimento Popular de Apicultores da Grande Picos, vimos através desta representação relatar, denunciar e questionar a situação em que se encontra a nossa atividade e Ao Ministério Público Federal (1)
Procuradoria da República no Município de Picos - PI
Picos (PI)
Assunto: Representação (Faz)

Nós, abaixo assinado do Movimento Popular de Apicultores da Grande Picos, vimos através desta representação relatar, denunciar e questionar a situação em que se encontra a nossa atividade e de modo especifico a vida do apicultor, ao tempo em que solicitamos providencias naquilo que for de competência deste órgão a curto, médio e longo prazo.

Relato:

Nós, apicultores, estamos vivendo na pele uma crise que nos deixa desencantados, decepcionados, desamparados e isolados do acesso a novos créditos do FNE (Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste) e outros créditos por conta da inadimplência, conseqüência de vários problemas, como fenômenos da natureza, queda de preços e perseguições, travando assim o direito a inovar, renovar e investir para continuar crescendo na atividade. Estamos asfixiados, morrendo à mingua, dando os últimos suspiros como se fossemos impotentes. O contrario do que se vê na mídia e no marketing daqueles que nos usam para “promover a apicultura”, mas por trás disso há uma outra realidade, outros interesses, e não a vontade em ajudar o apicultor nas suas necessidades elementares, sempre ficamos a ver navios. Sabemos que os recursos existem, vem muito dinheiro para investir na apicultura, mas nós apicultores não estamos tendo a oportunidade clara, ampla, e transparente para aperfeiçoar nossa atividade através dos recursos federais. O que estamos vendo e vivendo é uma apicultura morta, se desfazendo dos bens adquiridos, como caminhão, barracões e colméias. Na tentativa de sobreviver à atividade, chegamos ao extremo de termos que vender parte das colméias habitadas para poder transportar de um local para outros as que sobraram. Isso é insuportável, é a nossa luta de anos, a nossa história que está sendo destruída por falta de justiça para dar sustentabilidade à atividade. O que nós queremos? Saber por que toda a cadeia produtiva da apicultura (bancos, governo, autarquias, marqueteiros, promotores dos eventos, diretores e presidentes das entidades que nos representam etc.) está muito bem às nossas custas, menos o apicultor?! Este ficou apenas na cadeia, preso às dívidas, ao isolamento, à tortura de não poder fazer novos investimentos, à triste humilhação de não ter condições de dar a devida assistência às suas abelhas, principalmente na hora “H “de migrar para o Maranhão, Ceará e Pernambuco! Saber quem está tendo privilégios, regalias, onde e como estão sendo aplicados os recursos federais da apicultura em nosso Estado, de modo particular em Picos, capital o mel.

Picos (PI) 29 de janeiro de 2008

João Batista de Barros

Movimento Popular de Apicultores da Grande Picos.
Av. Senador Helvídio Nunes de Barros, km 10.
Atenciosamente, nós abaixo assinado:

...
...
( assinaturas )

.

BlogPoem - Quando se Morde a Isca - Wilson Bernardo.

QUANDO SE MORDE A ISCA!

O povo merece o governo que tem?
O governo é que é merecedor
Do povo quem tem!
O governo merece o povo que tem!

(Rebanho)

wilson Bernardo

.

A Homofobia, o Direito e o Futebol - Por: Dr. Orestes Guedes Alcoforado.

"Não há lugar no futebol para homossexuais" – disse Telê Santana, bicampeão mundial de futebol com o São Paulo e técnico da emblemática seleção canarinho em 1982. Para que repetir um vitupério destes?

Segundo o psicanalista Tales Ab'Saber, Telê Santana é a síntese do avanço e do retrocesso da sociedade brasileira, porque Telê – excelente técnico – foi capaz de defender o futebol arte e a lisura administrativa nos clubes de futebol, mas ratificou posturas públicas machistas e irracionais; repudiáveis, como esta acima. O psicanalista chegou a estas conclusões após dirigir o Documentário "Esperando Telê", com uma coletânea de entrevistas deste técnico da seleção brasileira.

Este tema voltou à tona, após o jogador do São Paulo Richarlyson, em 30 de junho, formalizar uma queixa-crime contra um dirigente do Palmeiras, por conta de comentários sobre sua homossexualidade num programa de TV.

Daí o juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho decidiu, no processo criminal, com uma pobreza lógica franciscana, assim: o caso "não reúne condições de prosseguir", porque "o futebol é jogo viril, varonil, não homossexual". Ou seja, o jogador de futebol tentou defender-se de uma atitude criminosa e obter a reparação dos danos morais que lhe foram causados, todavia foi frustrado no seu pedido e sofreu um novo dano por parte do juiz.

Veja-se que o maior problema da decisão judicial não é lógico. Trata-se de uma ignorância com o Estado Democrático de Direito, protetor de várias ideologias, raças, confissões religiosas e opções sexuais. Este caso é um completo abuso de autoridade, principalmente no uso das palavras grosseiras e retrógradas, e um desconhecimento dos preceitos republicano e de justiça, que já lhe deveriam ser velhos companheiros.

Note-se que, apesar do machismo imperante na sociedade e de determinados preconceitos irracionais, em todas as esferas e famílias da sociedade pode haver homossexualismo, já sendo inclusive permitida a adoção de crianças por casais homossexuais, bem como os tribunais já lhes reconhecem a igualdade de Direitos no tocante à união civil ou ao "casamento homossexual", como se casal heterossexual fossem.

Este tipo de caso, no Judiciário brasileiro, deve servir de reforço para demonstrar que juízes não são reis nem deuses, mas recebem punições prescritas em lei quando seus atos são abusivos e descompromissados socialmente. Sem insinuar que o poder econômico do dirigente do Palmeiras influenciou a agressão moral infundada do juiz, decisões judiciais deste tipo devem ser relegados ao nosso passado pré-constitucional, para não dizer pré-histórico.


Por Dr. Orestes Guedes Alcoforado
Cardiologista, pós-graduado na Fundação Jatene de São Paulo
.