12 março 2008

Reivindicação ao Sr. Prefeito - O Asfalto do Crato - Quanto desprêzo - Por: Lucieldo.

QUANTO DESPREZO

É super lamentavel a postura exercida por nossos gestores. Temos um secretario de obras que pouco está se lixando para o estado em que se encontra a malha viária da nossa terrinha, digo isso convicto, porque estou sempre pecorrendo os 4 cantos do Crato, pois sou corretor de imóveis e vejo o tamanho do prejuizo que isso traz para o nosso municipio. Pra se chegar no bairro Mirandão hoje é um Deus nos acuda, Parque Granjeiro, com excesão das ruas que dão acesso seguro a casa do nosso dignissimo prefeito é um caos. Será que lá não houve ou não há eleitor dele. Pelo amor de Deus isso chama-se brincar com o bom senso do povo, ali na 21 de junho a rua do colégio Pequeno Principe nem se fala. Eu hem vai ser muito dificil qualquer um desses pretensos candidatos me arrancar um voto para prefeito, vereador o seja lá o que for.

Por: Lucieldo.

.

Como se Proteger dos Raios e Descargas Elétricas - Autor: FisicoMaluco

Olá, Amigos,

Nesta época de muitos raios aqui na cidade do Crato, encontrei num excelente blog da internet chamado FisicoMaluco, este excelente artigo que resume o problema dos raios.


Author: Fisicomaluco
raios e descargas elétricas realmente matam...

Aumenta a incidência de raios no sudeste brasileiro, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE só no Rio de Janeiro nos primeiros 40 dias do ano o aumento é de cerca de 240% em relação ao mesmo período de 2007.

COMO AGIR EM CASO DE DESCARGAS ELÉTRICAS.

As descargas elétricas são um perigo iminente sempre que chove, e apesar do avanço tecnológico a ciência ainda não consegue prever e evitar o fenômeno, o que nos resta é saber conviver com o perigo.

A melhor maneira de evitar acidentes com os raios é evitar ambientes descampados, locais altos e abertos e principalmente praias, campos de futebol e piscinas.

Nunca tente se proteger embaixo de árvores, perto de linhas de transmissão, postes, cercas metálicas e próximo de pára-raios.

Caso esteja trafegando mantenha toda a família no interior do veículo e nunca pare embaixo de árvores, o veículo te isolará dos raios com base no princípio da gaiola de Faraday.

TOME CUIDADO MESMO DENTRO DE CASA.

A casa é um abrigo seguro, mas alguns cuidados devem ser tomados:

- Evite tomar banho durante a tempestade.

- Evite falar ao telefone.

- Se possível, retire aparelhos da tomada.

Lembre-se que os raios dão descargas de até 100 milhões de Volts e um choque desses é um milhão de vezes mais forte que de uma tomada. Todos os anos cerca de 1000 pessoas são vítimas de raios e a maioria por falta de informação.

.

O Garoto de OURO de Várzea Alegre - Ricardo Oliveira da Silva.


Alfabetizado pela mãe, garoto ganha ouro em matemática

ITALO NOGUEIRA
da Folha de S.Paulo, no Rio ( matéria do dia 27/02/2008 )

Nas estatísticas, a presença de Ricardo Oliveira da Silva, 19, na sétima série do ensino fundamental contribui para a alta defasagem escolar --repetência-- no país. No mundo real, é a história de um vencedor. Vítima de amiotrofia espinhal (doença neurológica que causa a atrofia da medula espinhal e fraqueza muscular), Ricardo foi condecorado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ontem ( dia 26/02/2008 ), no Teatro Municipal do Rio, com sua segunda medalha de ouro nas Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas, ocorrida no ano passado, um galardão destinado aos 300 melhores do país, numa disputa que envolveu 17,5 milhões de estudantes.

Ricardo, que vive em Várzea Alegre (CE), a 467 km de Fortaleza, foi alfabetizado pela mãe, a dona de casa Francisca Antônia da Conceição, 45, que cursou só até a sexta série. Ela lhe ensinou regras de português e as quatro operações básicas de matemática (soma, diferença, multiplicação e divisão).

"Não tenho internet. Comecei a estudar com livros do meu irmão. Agora estudo com livros emprestados lá da escola. Meu irmão foi medalhista de bronze estadual no ano passado. Quem me matriculou foi o diretor da escola, que soube da minha história e foi me procurar", conta em tom de voz baixo, parte por timidez, parte pelas dificuldades motoras causadas por sua doença, que o obriga a usar cadeira de rodas.

Atualmente, para fazer as provas na escola municipal Joaquim Alves de Oliveira, seu pai precisa carregá-lo por cerca de 1 km em um carrinho de mão. As professoras levam matérias e exercícios a sua casa.

Ricardo vive em um pequeno sítio cujo acesso é apenas por estrada de barro e pedra. Sua família sobrevive com plantação de arroz, feijão e milho --para subsistência--, R$ 100 da bolsa de iniciação científica que ganha devido às olimpíadas e R$ 76 do Bolsa Família.

A Prefeitura de Várzea Alegre não oferece condução para Ricardo freqüentar o colégio. "Quando chove fica impossível andar por ali", diz o pai, Joaquim Oliveira da Silva, 43.

As medalhas de ouro lhe garantem ainda aulas particulares com o professor de matemática Valberto Rômulo Feitosa, 33. "Ele consegue, com livros simples, criar teorias matemáticas. É uma honra dar aula para um aluno como ele."

Ontem, na cerimônia de entrega das medalhas para os 300 melhores alunos das Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas, Ricardo foi ovacionado pela platéia do Teatro Municipal do Rio. Ao fazer o discurso final do evento, o presidente Lula pediu que o estudante ficasse a seu lado e o citou como exemplo para os demais alunos.

"O Ricardo diz que quer fazer um curso superior e seguir a carreira na área de ciências exatas, matemática ou computação, se o [banco] Itaú der um computador. Ele sonha ajudar o país com seus conhecimentos e diz que, hoje, é o Brasil que está lhe ajudando, mas, amanhã, pode ser ele que esteja ajudando o Brasil", afirmou o presidente Lula.

"A deficiência física não atrapalha, o que conta é o talento e o esforço. Todo mundo tem algum defeito. Algumas pessoas parecem perfeitas, mas têm defeitos muito graves como a preguiça e o desinteresse, por exemplo", declarou.

A referência ao banco Itaú foi uma cobrança bem-humorada feita por Lula --e, anteriormente, também pelo governador Sérgio Cabral-- pelo fato de o banco, parceiro do governo também na organização da primeira Olimpíada de Língua Portuguesa, ter distribuído laptops apenas aos alunos vencedores da olimpíada por três anos seguintes. Ambos sugeriram ao banco que, da próxima vez, premie os 300 alunos que receberam medalhas, e não apenas os tricampeões.

"Diga-se de passagem, com o lucro que o Itaú está tendo, isso não vai custar nada", disse o presidente.
.

Hoje no DN - Pela beatificação de padres - Por Antonio Vicelmo

Documento de presbíteros

Clique para Ampliar

Padre Cícero conta com movimento que pede sua reabilitação, e agora beatificação e canonização

Clique para Ampliar

Casa do Cariri, no Crato, que tem a estátua do padre Ibiapina, avaliado pelos presbíteros (Foto: Antônio Vicelmo)

Presbíteros avaliam que a beatificação e canonização de padres brasileiros é estímulo para o ministério presbiteral

Crato. O pedido de canonização dos cearenses Padre Cícero, dom Helder Câmara e padre Ibiapina foi encaminhado à Sagrada Congregação para a Causa dos Santos, órgão do Vaticano responsável pelos processos de beatificação e canonização. A solicitação foi feita por 500 padres e bispos reunidos no 12º Encontro Nacional de Presbíteros do Brasil (ENP) realizado em Itaici, município de Indaiatuba, interior de São Paulo e somente agora divulgado. A informação é do padre Rocildo Alves, que participou da reunião como representante da Diocese de Crato.

Além dos três cearenses, o documento inclui também os nomes de dom Luciano Mendes de Almeida, padres Josimo Moraes Tavares, Ezequiel Ramin, Rodolfo Luckenbein, João Bosco Penido Burnier, dentre outros. Padre Rocildo disse para a reportagem que, quando foi abordado o processo de reabilitação do Padre Cícero, houve uma manifestação de apoio e entusiasmo da imensa maioria dos participantes em plenário no encontro.

Os propositores argumentaram que o encaminhamento destes processos de beatificação e canonização de padres e bispos brasileiros seria de grande estímulo para a vida e o ministério presbiteral. O tema do encontro foi “Presbíteros, Discípulos e Missionários de Jesus Cristo na América Latina”, e o lema: “Chamou-os para estar com Ele e enviá-los em missão”. O 12º ENP é convocado e organizado pela Comissão Nacional dos Presbíteros (CNP), organismo vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Os padres aprovaram também um texto contendo a síntese das reflexões do encontro e pistas de ação para serem debatidas pelos vigários em suas dioceses. A carta, que está sendo enviada aos 18 mil padres do Brasil, chama a atenção para o processo de globalização e adverte que “vivemos numa sociedade capitalista que se expressa em vários contextos complexos, dinâmicos, envolventes e que ocasionam uma grande angústia, pois nossos irmãos e irmãs, em número muito elevado, não têm acesso à cidadania e aos bens essenciais para a vida com dignidade”.

O documento manifesta também a preocupação da Igreja com a ecologia, ao afirmar que “sentimos uma grande indignação com o processo de destruição da natureza”. “A nossa Igreja, não raro, aparece com estruturas ´pesadas´ e com dificuldade para ser fiel à dinâmica de Jesus e ao projeto do Reino de Deus e a sua justiça”, diz a carta.

De acordo com o padre Rocildo, os sacerdotes debateram também a missão dos presbíteros nos vários campos, a realidade latino-americana, o contexto socioeclesial e os desafios à missão: miséria, fome, avanço da violência urbana e rural, crises na família, corrupções políticas, avanço de grupos religiosos autônomos, sobretudo, de caráter pentecostal, limites na formação do clero e certo avanço no número de ordenações de padres.

ANTÔNIO VICELMO
Repórter


TEMAS DE AÇÃO

Documento define questões para reflexão

Crato. Dentre muitas proposições levantadas e questões abertas debatidas durante o 12º Encontro Nacional de Presbíteros do Brasil, os participantes apresentaram temas em pequenos grupos que depois foram levados ao plenário. Alguns se destacaram por serem questões cadentes e de forte atualidade. Foi dirigida uma menção sob o título de “Pistas concretas de ação” para serem refletidas na comissão nacional dos participantes, junto ao clero das Dioceses e também nas Congregações Romanas junto à Santa Sé em Roma.

Das dezenas de pontos levantados no subsídio para estudos, uma direcionada à Sagrada Congregação para o Clero assim se expressava: “Possibilitar outras formas de ministério ordenado que não seja apenas do presbítero celibatário”. Padre Rocildo explica que “continua válido e cotidiano a tradicional disciplina do celibato dos padres”. Segundo ele, não se pediu ou insinuou o “fim do celibato” sacerdotal.

O sacerdote esclarece que “pediu-se para se refletir mais e abrir perspectivas no sentido de também se ter ao lado do clero solteiro e celibatário, também homens casados e ordenados para o pleno exercício sacerdotal”. Seria ampliar possibilidades e enriquecer o serviço presbiteral nessas duas realidades. “A Igreja no Oriente (Ortodoxa) e também a Anglicana vivenciam tal realidade”, exemplifica ele.

Outra proposição sugere a revisão do processo de nomeação dos bispos. Segundo o documento aprovado pelos participantes, “dentro de um espírito mais transparente, democrático e participativo junto aos presbitérios e ou dioceses”.

Uma tese que versa sobre uma Igreja que exerça melhor o seu ser comunhão e participação. A abertura e o diálogo demonstram maturidade e espírito fraterno em qualquer posição, inclusive nas mais relevantes. Este ponto, segundo avalia padre Rocildo, foi para ser encaminhado à Sagrada Congregação para os Bispos.

OPINIÃO

Depoimento de um padre casado

Eu não sou o ex-professor Eugênio Dantas. Onde eu passo as pessoas me chamam de professor Eugênio. É assim que eu sou conhecido. Mas algumas pessoas que me conhecem há mais tempo, às vezes, me chamam de padre Eugênio. Quando assim o fazem, logo pedem desculpa como se estivessem me ofendendo. Eu somo e digo: não se preocupe. Se você conhecer a doutrina da Igreja saberá muito bem que eu sou padre Eugênio e não ex-padre. Pois não existe ex-padre. Aliás é uma das situações em que não existe ex. Há ex-sogra, ex-mulher, ex-namorado... Mas não há ex-pai, ex-filho, ex-irmão, como não há, conforme afirmei acima, ex-padre.

Diz a doutrina da Igreja a qual pertenço com muita honra e que por isso dou muitas graças a Deus, que o batismo, a crisma e a ordem imprimem um caráter indelével em quem os recebe de modo que permanecerá para sempre neste estado. E quanto ao sacerdócio diz ainda, citando texto da Bíblia: “tu és sacerdote eternamente segundo a ordem de Melquisedec”. E assim eu aprendi no seminário que o padre é padre até no inferno. A Igreja exige de seus sacerdotes que abracem o celibato. Ora, o celibato é um carisma, isto é, um Dom que Deus dá a quem ele quer. Da mesma forma o sacerdócio, pois ninguém deve querer ser sacerdote, mas somente quem for chamado como Aarão. A pessoa pode ter recebido o carisma do celibato sem ter recebido o do sacerdócio, como também pode ter recebido o carisma do sacerdócio sem o do celibato.

EUGÊNIO DANTAS
Professor universitário

Mais informações:
Padre Rocildo Alves
Colégio Diocesano do Crato
Rua Nelson Alencar, 569, Centro
(88) 3523.2010

Fonte: Jornal Diário do Nordeste - www.diariodonordeste.com.br
.

Utilidade Pública - Cartório Virtual - Por João Ludgero

Alô Amigos,

O Blog do Crato sempre procura servir à comunidade, trazendo novidades que certamente irão beneficiar muita gente que não estava a par das novidades. Esta aqui nos foi enviada pelo Prof. João Ludgero:

CARTÓRIO VIRTUAL:

Quem quiser tirar uma cópia da certidão de nascimento, ou de casamento, não precisa mais ir até um cartório, pegar senha e esperar um tempão na fila.

O cartório eletrônico, já está no ar! Nele você resolve essas (e outras) burocracias, 24 horas por dia, on-line. Cópias de certidões de óbitos, imóveis, e protestos também podem ser solicitados pela internet.

Para pagar é preciso imprimir um boleto bancário.

Depois, o documento chega por Sedex.


www.cartorio24horas.com.br

Passe para todo mundo, que este é um serviço da maior importância.

DIVULGUE. É IMPORTANTE: AUXÍLIO À LISTA


Telefone 102... não!

Agora é: 08002800102

Vejam só como não somos avisados das coisas que realmente são importantes...

NA CONSULTA AO 102, PAGAMOS R$ 1,20 PELO SERVIÇO,

SÓ QUE A TELEFÔNICA NÃO AVISA QUE EXISTE UM SERVIÇO

VERDADEIRAMENTE GRATUITO.


Não custa divulgar para mais gente ficar sabendo

.

PARALELO DE IMPORTÂNCIAS ENTRE A AMAZÔNIA BRASILEIRA E A CHAPADA DO ARARIPE - Por Prof. – João Ludgero

A floresta Amazônica possui aproximadamente 5,5 milhões de km², sendo que 60% no Brasil, e o restante (40%) na Colômbia, Equador, Bolívia, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela. No Brasil, a floresta é chamada de Amazônia Legal e abrange os Estados do Amazonas, Amapá, Mato Grosso, oeste do Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima, Acre e Tocantins. Enquanto isso temos a nossa FLONA, situada em uma região onde as condições de clima e solo predispõem a desertificações, onde a redução da área de cobertura vegetal nativa entre 1984 e 1990 atingiu 274.950 km2 e em um Estado onde a área antropizada atinge 84%, esta nossa floresta tem uma importância relevante na manutenção do equilíbrio hidrológico, climático ecológico e edáfico do complexo sedimentar do Araripe. É situada na Região Nordeste do Brasil, no extremo sul do Estado do Ceará, na Chapada do Araripe, abrangendo parte dos municípios de Santana do Cariri, Crato, Barbalha com uma área de 39.262,326 há, criada pelo Decreto 9.226 (02/05/1946), sendo assim a primeira do Brasil.

Mapa da Amazônia Legal e Floresta Nacional do Araripe:



As florestas, Amazônica e do Araripe tem em comum o fato de serem densas e fechadas, o que dificulta a sua penetração e ocupação, higrófitas (adaptada a grande umidade), perenifólia e sub-perenefólia respectivamente (apresenta folhas verdes nas copas durante o ano todo), e latifoliada (folhas grandes e largas). Possui grande biodiversidade (variedade de espécies animais e vegetais).
Há milhões de anos, a área onde estão localizadas era um mar e, por isso, elas apresentam solos geologicamente pouco férteis e arenosos. As florestas derrubam seus galhos, frutos, folhas, animais morrem, etc. formando uma camada superficial de matéria orgânica que se decompõe e transforma-se em húmus que, por sua vez, alimenta a vegetação. É bom frisarmos que a FLONA do Araripe fomenta e protege as matas existentes na Chapada como também protege as nascentes da área, conserva a fauna, além de promover facilidades de recreação pública e de combater incêndios florestais ocorridos na área.
Elas se auto sustentam, pois se mantém produzindo o seu próprio alimento e criando um ciclo de carbono relativamente fechado. Por isso quando são queimadas ou desmatadas e se desenvolve a agricultura durante alguns anos, em grandes áreas, a dinâmica da floresta é interrompida e os nutrientes depositados são consumidos. É necessário muito tempo para elas se recuperarem ou, pior, as florestas podem entrar em um processo de degradação com processos erosivos intensos, principalmente a nossa FLONA que se situa boa parte nas vertentes da Chapada do Araripe.
O ciclo de oxigênio também é algo polêmico por que alguns autores chamam a Amazônia de pulmão do mundo, querendo dizer que ela produz muito oxigênio para o planeta todo, o que não é verdade: apesar de produzir muito oxigênio, pelo processo da fotossíntese, este é consumido à noite e pela decomposição da matéria orgânica.
A Amazônia é muito importante para o ambiente do planeta, pois ela fixa o carbono da atmosfera, através do crescimento das plantas e da fotossíntese, reduzindo, assim, o efeito estufa. Ela reduz a variação da temperatura junto ao Equador, atuando como um aparelho de ar condicionado, caso a floresta não existisse a grande variação diária de temperatura poderia provocar deslocamentos intensos de vento o que mudaria o clima terrestre. Já a nossa FLONA juntamente com a Chapada, guardando suas devidas proporções tem uma importância talvez até maior para nossa região, pois quando denominamos que o Cariri é um enclave úmido no sertão nordestino, isso se deve ao fato da existência da Chapada, que devido sua altitude em torno de 900 a 950 metros de altitude, condiciona a existência desta floresta plúvio-nebular na vertente voltada para o Ceará, onde denominamos de barlavento, pois o paredão da chapada barra as massas úmidas promovendo assim maior umidade na região da encosta e conseqüentemente as chuvas orográficas ou de relevo.
Também não podemos esquecer que a Floresta Amazônica abriga um grande número de povos indígenas, sem falar em sua riqueza de matéria prima variada (remédio, minerais, alimentos, etc). Em uma análise por satélite da Amazônia, foram identificados 104 sistemas de paisagens, o que revela uma alta diversidade e complexidade de ecossistemas. As árvores da Amazônia variam entre 40 e 300 espécies diferentes por hectare. Das 250.000 espécies de plantas superiores da terra, 170.000 (68%) vivem exclusivamente nos trópicos, sendo 90.000 na América do Sul.
Podemos dividir a floresta Amazônica em três grandes grupos:
1) Florestas de Igapó: ocorrem em solos que permanecem alagados durante cerca de seis meses, em áreas próximas aos rios. As árvores podem atingir até 40 metros de altura e raramente perdem as folhas - geralmente largas para captar a maior quantidade possível de luz solar. Nas águas aparecem as folhas da vitória-régia - que chegam a ter 4 metros de diâmetro. Ocorrem associadas aos rios de água branca.
2) Florestas de Várzea: as árvores são de grande porte (até 40 metros de altura) e apresentam características semelhantes ao igapó - embora a várzea apresente maior número de espécies. Ocorrem associadas aos rios de água preta.
3) Florestas de Terra Firme: apresentam grande porte, variando entre 30 e 60 metros; o dossel é contínuo e bastante fechado, tornando o interior da mata bastante úmido e escuro. Esta formação está presente nas terras altas da Amazônia e mescla-se com outros tipos de associações locais, como os campos e os cerrados amazônicos.
A Floresta Nacional do Araripe com uma área: 38.626,32 há, tem sua cobertura vegetal também bastante complexa com 10,95% de Floresta úmida semiperenifolia, a Mata de transição floresta úmida/cerrado, representa 48,53% da mesma, onde temos 27,49% de Cerrado, ficando 1,52% de Carrasco e restando 11,52 de Floresta úmida degradada pelo fogo.
A Floresta Nacional do Araripe apresenta diferentes fisionomias, classificadas por Lima, Mauro F. em:
Floresta Úmida Semi-Perinifólia: Principais espécies: Jatobá (Hymenaea spp.), Pau d'arco (Tabebuia spp.), Murici (Byrsonima spp.), Pau d'óleo (Copaifera langsdorfil Desf.), etc.
Transição Floresta Úmida/Cerrado: Espécies: Piquizeiro, Visgueiro, Faveira, Janaguba, Lacre, etc. Cerrado: Piqueteiro, cajuí amarelo, etc. Carrasco: Catuaba, Jiquiri, Muvanã, Cidreira brava, Jurubeba, etc.
Floresta Úmida Degradada pelo fogo: Constitui uma formação atípica, ideal para estudo de impacto do fogo sobre a floresta. Representa bem o efeito dos incêndios que anualmente preocupam e ocupam os servidores da FLONA-Araripe. O comprometimento da matéria orgânica, e do sub- bosque, levam ao empobrecimento da floresta, provocando um retrocesso na sucessão vegetal.
A avifauna: Segundo Teixeira, Dante M., são 34 gêneros totalizando 88 espécies, das quais duas são incomuns na região, uma é rara e duas fazem parte da lista dos animais ameaçados de extinção. Algumas das aves da FLONA- ARARIPE citadas pelo nome Azul, Periquito, Chorró, etc.
A mastofauna: veado, cotia, tatu, tamanduá, onça, gato-do-mato, raposa, morcego, guaxinim, etc.
Herpetofauna: Teiú, camaleão e algumas espécies de cobra dos gêneros Bothrops,Crotalus e Micrurus.
Insetos: sem dúvida a entomofauna da Floresta do Araripe é muito rica. As ordens mais abundantes são coleoptera, isoptera, homoptera, hemiptera e hymenoptera.
Temos a certeza da importância da FLONA – Chapada para nossa região. É imensurável, mas nestas poucas linhas espero ter despertado a importância de cuidar da nossa FLONA, mas também pretendo atingir os educadores ou todos aqueles que tem a missão de educar, que só se cuida quando se ama e só se ama quando se conhece, e este imenso laboratório natural que é a Chapada, juntamente com sua FLONA, estão ai para serem estudados por nós e nossos educandos. Devemos estimular mais as visitas, caminhadas, ou seja as Aulas de Campo, só assim formaremos uma juventude com espírito de zelo e cuidado com a natureza. Tenho um bom acervo de roteiros e Projetos de Aulas de Campo na região do Cariri, no Nordeste e Brasil, que posso disponibilizar aqueles que se interessam e entendem que o aprendizado em quatro paredes é importante, más junta a natureza é bem melhor!

Saudações Geográficas!
João Ludgero
.