13 fevereiro 2008

Artistas terão até dia 29 para inscrever trabalhos na Mostra desUSA

O último dia para inscrever trabalhos na Mostra desUSA de Artes Visuais será 29 de fevereiro. O evento será realizado na cidade do Crato, Estado do Ceará, no período de 01 a 30 de abril de 2008. A Mostra visa fazer reflexões e questionamentos artísticos em torno do imperialismo norte-americano. O evento consistirá de exposição coletiva e virtual, exibição de vídeos, debates, oficinas, lançamento de livros e performances poéticas. A programação completa será divulgada no início de março. Mas já estão confirmadas palestras com José Reinaldo, diretor do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz - Cebrapaz, Professor Dr. em Artes, Fábio Rodrigues, professora Ms. Sandra Espínola dos Anjos Almeida, ambos da Universidade Regional do Cariri - URCA, Jefferson Luiz (Bob PTG) - diretor da Nação Hip-Hop Brasil e a artista e antropóloga nicaragüense Nandi Riguero.
Um dos objetivos é possibilitar a participação do grande público. Neste sentido estarão sendo mobilizados estudantes e professores do Ensino Básico para participar de atividades de fruição e criação artística, através de uma proposta estético-pedagógica de junção do pensar e fazer artístico.
A Mostra deverá reunir trabalhos de artistas nacionais e internacionais. Os artistas interessados em inscrever trabalhos deverão acessar o blog: www.coletivocamaradas.blogspot.com para obter o regulamento e a ficha de inscrição. As inscrições serão gratuitas e poderão ser efetuadas no IEC, localizado no campus Pimenta URCA ou via Correios. A mostra não terá caráter competitivo e nem premiação.
O evento é uma realização do Coletivo Camaradas, em parceria com a Universidade Regional do Cariri - URCA, através do Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho - IEC.

Canal do Rio Grangeiro

Matéria repostada acima.

Que chuva!







Que chuva, rapaz! Bela chuva com trovões e benditos relâmpagos que me parecia Deus testando o flash de sua nova câmera digital. O Cariri se enverdece e a gente fica feliz e revigorada. A água não perdoa e faz estragos, também! Pobre do nosso rio Grangeiro! Deus nos deu um belo rio que por duas centenas de anos nos propiciou a bonança e, modernamente, o transformamos em esgoto. É o nosso mais incisivo atestado de subdesenvolvimento!
A propósito, a quem devemos recorrer sobre a des(obra) do canal do rio Grangeiro? Fiquei surpreso com a placa (veja fotos) que, sutilmente, transfere a (ir)responsabilidade para o prefeito anterior. É meio esquisito! Quer dizer que teremos que votar no prefeito anterior (que foi incompetente) porque o atual prefeito não tem competência (?) para corrigir as mazelas deixadas pelas administrações anteriores. Em verdade, lhes pergunto, quando sairemos desse modelo de gestão onde a comunidade se torna refém de incompetentes? Quando vamos enxergar que a nossa cidadania tem que ser exercida cotidianamente e não apenas no dia que votamos? Para onde caminhamos? É preciso que façamos uma reflexão urgente sobre o que queremos para o futuro de nossas vidas. O efeito do aquecimento global, o derretimento das geleiras nos pólos, o buraco na camada de ozônio, etc. e tal, não estão distantes de nós. Da mesma forma, corrigir todas estas distorções depende unicamente da gente. Nosso Planeta é a Nossa Cidade!.
Crescimento de verdade é aquele que tem por excelência a qualidade de vida e o bem comum.



Patrimônio histórico destruído. - Artigo de Ana Paula Gurgel.

.

Olá Dihelson,

Meu nome é Ana Paula Campos Gurgel. Estou concluindo minha graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN. Porém, sou nascida no Crato, e como boa cidadã cratense cresci admirando as belezas de minha cidade: lugar de histór e cultura que Deus abençoou em um abraço da Chapada do Araripe. O que aos de fora pode parecer à primeira vista alguma defesa bairrista é na verdade fruto do orgulho de também pertencer a esta terra de tantos heróis do passado.

Porém meu orgulho encontra-se ferido. Em recente visita ao Crato me choquei com as atrocidades feitas à imagem do centro cidade, especialmente do ponto de vista do patrimônio arquitetônico. Prédios de valor histórico da cidade encontram-se em péssimo estado de conservação. A Antiga Casa de Câmara e Cadeia – Museu de Arte Vicente Leite precisa não só uma reforma física como também de uma completa reorganização de sua exposição no sentido didático e de melhor acondicionamento das peças (algumas das quais me recordo da época das visitas escolares ao museu sequer existem mais). E, além dos prédios públicos, muitos imóveis de propriedade particular não são zelados, deteriorando o conjunto urbano do Centro Histórico do Crato.

Também impiedosa é a ação do comércio nos edifícios. Prédios belíssimos da Rua Dr. João Pessoa estão escondidos atrás de platibandas e anúncios desproporcionais. Em meio a tanta poluição visual, destaca-se muito mais a fachada recuperada da loja Casulo, e aqui aproveito a oportunidade para parabenizar a loja pela iniciativa e espero que muitas outras sigam este exemplo.

A importância da preservação histórica revela-se em diversos aspectos, sejam eles de ordem cultural ou econômicos, impulsionando especialmente o turismo. No mundo globalizado em que vivemos onde há tendência para a padronização, fascinam os lugares que preservam sua paisagem local. A paisagem urbana de uma localidade é o que lhe confere sua identidade, sua memória. E triste é o povo que não tem história!

Muito obrigada pela oportunidade de exteriorizar minha idgnação com a história da cidade.
ps: em anexo envio-lhe algumas imagens de meu arquivo pessoal que podem ilustrar o texto.

Ana Paula Campos Gurgel

.

DN - Chuva danifica ponte sobre o Rio Granjeiro

DN - Chuva danifica ponte sobre o Rio Granjeiro

Departamento Municipal de Trânsito interditou, ontem, a ponte que dá acesso ao Tiro de Guerra (Foto: Antônio Vicelmo)

Crato. A chuva de 95 milímetros, acompanhada de ventos, relâmpagos e trovões, que desabou ontem no pé da serra do Crato, encheu o Rio Granjeiro, que corta a cidade, e danificou a estrutura da ponte que dá acesso ao Tiro de Guerra. O Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) interditou a ponte, colocando blocos de concretos na passagem.

A parte nova do canal , que foi construída há quatro anos, está comprometida. As enchentes das últimas chuvas arrastaram a cobertura de cimento e concreto do Rio Granjeiro.

O Corpo de Bombeiros no Município registrou uma ocorrência grave. O desaparecimento de uma criança no Sítio Fundão em decorrência da chuva . Os bombeiros foram acionados para localizá-la.

Com relação aos problemas provocados pela enchente do Rio Granjeiro, a Secretaria de Infra-estrutura informou que a Prefeitura Municipal não tem condições de recuperar o canal que corta a cidade que, ao longo dos anos, vem sendo danificado pelas enchentes.

A solução definitiva, segundo o prefeito Samuel Araripe, é a execução de um projeto de construção de barragens nas cabaceiras do Rio Granjeiro, com o objetivo de conter as águas que descem do pé da serra. A execução do projeto está na dependência de liberação de recursos pelos governos Estadual e Federal.

Sem nenhuma providência concreta, o canal que passa ao lado da Prefeitura, vem sendo destruído gradativamente. A cada enchente do Rio Granjeiro, desce um pedaço de canal. Uma chuva acima de 50 milímetros é suficiente para provocar estragos , reclamam os moradores da Avenida José Alves de Figueiredo, advertindo que o canal pode transbordar e inundar as casas, como aconteceu no ano passado.

Segundo informações da Empresa de Assistência Técnica a Extensão Rural (Ematerce), no Centro da cidade foram registrados 69 milímetros de chuvas. O chefe da empresa no Crato, Antonio Moliterno, informou que é muito boa a situação da lavoura. Não tem faltado chuva e sol para o desenvolvimento do plantio.

Antônio Vicelmo
Repórter
www.diariodonordeste.com.br