07 fevereiro 2008

Algo ameaçando o Blog do Crato ?

Dihelson: não entendo bem do assunto. Mas hoje à noite em duas vezes que entrei no Blog do Crato o programa de anti-vírus do meu computador deu alarme que havia a tentativa de redirecionar o endereço para um endereço de má fé. Não sei se como administrador do blog você tem autonomia para verificar isso ou se isso é uma coisa aqui no meu computador. De qualquer modo estou verificando anti-spy e anti-vírus nele. O que chamou-me a atenção é que noutros endereços que entrei o aviso não apareceu. Só no blog do Crato. Isso poderia ser a fama do blog que atrai tais picaretas.

Ói nós aqui!


Pense num entusiasmo de viajante! Pense! Pois fora assim que ele chegou da Europa. A primeira vez que atravessara o Atlântico desde a ponta do Mucuripe até o Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa. O cabo fica há 140 metros do nível do mar e localiza-se na freguesia de Colares, no Concelho de Sintra, Distrito de Lisboa. Para que servem tais informações? Isso eu deixo para vocês decidirem. Isso sem contar que apesar do Word ter estranhado a palavra Mucuripe, para minha alegria estranhou, também, Concelho e Sintra. Aqui no meu não mais estranhará: anexei ao dicionário do programa. E o quê isso tem a ver? Não sei.

Mas voltando à regra narrativa. A Europa valeu o que pagou. Até mesmo o Euro aos olhos da cara em relação ao famélico Real fora compensado pelas intensas alegrias da viagem. E a compra da máquina digital? "È uma coisa fantástica. Depois de se acostumar que não tem mais que comprar filmes, a liberdade de fotografar é total". É bem verdade que sobrou para a família no retorno ao santo lar. Horas de olhos pregados no vídeo da televisão. do Oceanário de Lisboa o relógio bateu tantos minutos que no final o caixa de tempo se esgotara.

Era frio. Final de ano. Inverno de agasalhos, roupas sobre roupas e calefação. E tantas foram as taças de vinho, pão e primo piatto - e chega: o Euro mata, - que os corpos saíram do continente falando mais alto com a gravidade e a balança. Lisboa no Natal e quase nem jantavam, nada funciona, durma-se mais cedo, pois no dia seguinte nada estará aberto. Vida de turista é um caminhar através das veredas das possibilidades.

Paris. Ah! Paris! Que coisa. Mas não precisava ter sido apressado e entrado no toalete auto-lavante logo após a saída do último usuário. Tomar um banho em regra junto com a higienização da casinha solitária. Mas isso foi um acidente isolado, pois logo sabia andar pelos buracos do metrô. Bem que tentou achar o que levaria a Farias Brito, sua terra natal, mas não encontrou. Culpa dos engenheiros franceses que conhecem umas tal de Sorbonne Cliny, Montparnasse, La Defense e assim por diante.

Paris é uma festa. Pena que os japoneses tomaram conta do baile, da orquestra e do bar. O lugar onde os japoneses amadurecem é no Louvre. eles ficam de um corredor para outro, aos montes, subindo e descendo, de sala em sala clicando suas máquinas digitais. O lugar exato em que todo os japoneses do mundo brotam fica de frente da Mona Lisa. É como uma fonte jorrando água continuamente. Até mesmo de noite eles devem brotar, pois no dia seguinte, assim que as portas do museu se abrem eles ocupam os espaços entre uma pintura e outra, subindo a escadaria da Vitória de Samotrácia.

Mas nada igual a Roma. Não existe quem se equipare. Nem o Crato. Roma é demais! Nas ruas, nos jardins, nos prédios antigos, nas igrejas e os museus. A coisa mais linda – pareceu-lhe que noutra encarnação tivera algo com ele - foi o Prédio de Vittorio Emmanuel. Ficou pasmo sob a sua monumental composição. Roma inteira vale um Vittorio Emmanuel. Até a noite de ano novo, sem fogos e samba, na Via Veneto. Roma fora a jóia de sua viagem.

De uma coisa se arrependera. agora ter podido ir a Roma. Seria tão bom que por tivesse antes que os prédios da Roma Imperial se tornassem aquelas ruínas que ninguém entende nada. Apenas colunas caídas, pedaços de paredes, pisos e muito entulho. Mas não tem nada não, Roma ainda tem o Vaticano, a Pietá, o Coliseu aos cacos mas ainda de e suas colinas.

Por último a língua estrangeira. Foi em Verona que a experiência se mostrou fértil. Entregando o carro na locadora. Pedem à moça da recepção que os levem até o hotel em que se hospedavam. Afinal estavam entregando o carro com antecedência e aquilo poderia ser uma cortesia. a moça olhou para eles e disse: " Mais rapaz não precisa não. É bem ali. uns passinhos e vocês estão no hotel. Fica bem aqui ". E apontou para o mapa. Nisso um destes chatos que sempre existem se virou e perguntou se o diálogo tinha sido mesmo em tais termos. Bem ele disse: " Mas foi em italiano." E o chato não deixou de chatear: "E como é que se diz em italiano: não precisa não." ele explicou que não saberia repetir as palavras estrangeiras, mas fora aquilo mesmo que ela dissera apontando para o mapa da cidade. E o chato: " E como é "bem aqui" em italiano. " Ele resmungou e respondeu: " Falar estrangeiro é uma experiência única, não dar para repetir".

Curso de Ciências Agrárias - Por Quê ? - Por: Luiz José dos Santos.

Por que?

A Escola Agrotécnica Federal do Crato funciona há mais de 50 anos no sítio Almécegas ao sopé da Serra do Araripe, em 180 hectares de terras férteis, água perene e clima excelente para as práticas agrícolas e hortifrutigranjeira. Sempre foi esperança de que um dia, em suas instalações viesse a funcionar uma faculdade de agronomia, numa espécie de promoção natural.
Nesse meio século o Colégio Agrícola, como sempre foi chamado, foi aos poucos ganhando estrutura, equipamentos e instituindo em seu currículo, tecnologia de ponta, tornando-se uma escola moderníssima. Estando hoje com sua estrutura física em igualdade, ou ainda melhor do que muitas das boas faculdades da área do país.
Com o advento de um campus da UFC - Universidade Federal do Ceará para a região do Cariri, seria obvio e lógico que um curso de agronomia viesse funcionar da Escola Agrotécnica de Crato, tanto pela favorável localização como pelo seu avançado complexo em equipamentos agrários.
A reitoria e vários cursos vêm funcionando em Juazeiro do Norte, a exceção da Faculdade de Medicina que há vários anos está instalada na cidade de Barbalha, e o curso de Ciências Agrárias que, precariamente e sem razões que se possa explicar, funciona em uma sala de aula simples da Urca – Universidade Regional do Cariri, a contragosto da comunidade acadêmica e do povo da região, que por todo o ano de 2007 tem cobrado justificativas da reitoria da UFC em Fortaleza, que até então não legitimou a causa da incoerência. A pergunta paira no ar: “Por que o curso de agronomia da UFC/Cariri não funciona na Escola Agrotécnica Federal do Crato, sendo a duas instituições entes do mesmo Governo federal?”
Por último, em polvorosa, acadêmicos, instituições, clubes de serviço e a Prefeitura Municipal do Crato estão assistindo o Curso de Ciências Agrárias, neste 2008 continuar a funcionar em singelas salas de aula na cidade, subestimando e deixando para trás toda uma estrutura com salas de aula próprias, datas-show, bibliotecas, laboratório, ilha de informática, máquinas e equipamentos, campos agrícolas, aviários, pocilga, estábulo, fontes de água, transporte em ônibus, alojamentos, refeitórios, auditórios, áreas de recreação com todo tipo de equipamentos e quadras para práticas esportivas e o ambiente agrícola natural nas proximidades da Floresta do Araripe.
Por estes dias, sucedem-se reuniões em todos os níveis acadêmicos e sociais da região com objetivos de encontrar os caminhos e meios para fazer chegar aos dirigentes da Universidade Federal do Ceará e aos ministros da Educação e da Agricultura a incoerência ou mesmo descabidos propósitos políticos para alterar a ordem das coisas e malsinar o Curso de Ciências Agrárias da UFC/CARIRI.


Texto do jornalista Luiz José dos Santos - matéria a ser divulgada no jornal Gazeta de Notícias

.

Dom Fernando Panico lançou a Campanha da Fraternidade 2008

Bispo Dom Fernando

Durante missa celebrada na tarde de ontem, dia 6, na Catedral de Nossa Senhora da Penha, o bispo diocesano de Crato, Dom Fernando Panico, lançou a Campanha da Fraternidade 2008.
O lema da campanha deste ano, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é "Fraternidade e defesa da vida". Ela propõe, aos católicos, assumir uma atitude corajosa em favor da vida, a partir da constatação do valor incondicional e inviolável que a vida humana possui, contrapondo-se aos modelos da sociedade atual, que reduzem o seu valor em todas as suas formas de expressão.
O objetivo da Campanha da Fraternidade 2008 é, ainda, levar a Igreja e a sociedade a defenderem e promoverem a vida, desde a sua concepção, passando por todas as etapas de seu desenvolvimento até a sua morte natural, compreendendo-a como um dom de Deus e uma responsabilidade de todos na busca da sua plenitude, assumindo para isso um compromisso ético e cristão de amor ao próximo.

Clique p/ ver ampliado (Brasão do Bispo Don Fernando)Brasão de Dom Fernando Panico, MSC

Bispo de Crato


Hoje no DN - Construção de hospital deve iniciar em 60 dias

CARIRI

Clique para Ampliar

Maquete eletrônica do Hospital Regional do Cariri, apresentada recentemente em reunião do Governo Itinerante, em Juazeiro do Norte (Foto: Elizângela Santos)

O Hospital Regional do Cariri (HRC) está situado em ponto estratégico da região, no conhecido triângulo Crajubar

Juazeiro do Norte. O Hospital Regional do Cariri (HRC) deverá ter sua construção iniciada em 60 dias. No momento o projeto está em fase de licitação, que durará 40 dias. O subsecretário de Saúde do Estado, Marcelo Sobreira, afirma que até o próximo ano o local estará em funcionamento na região cobrindo às carências na área de saúde. Serão investidos R$ 53 milhões. O Hospital Regional ocupará uma área de 16 mil metros quadrados.

O HRC está localizado em ponto estratégico da região, no conhecido triângulo Crajubar, na saída da área urbana de Juazeiro. Na última fase de licitação serão incluídos equipamentos e recursos humanos. Segundo o subsecretário, o hospital atuará 24 horas com várias especialidades, e será administrado de forma diferenciada. “A nossa meta é fazer com que seja num regime de organização social, a exemplo do Waldemar Alcântara, na Capital”, diz ele, ao acrescentar que o objetivo é não ter hospitais com os mesmos problemas do Instituto José Frota ou Hospital Geral de Fortaleza.

Não superlotar

Outro aspecto importante é não superlotar os hospitais de Fortaleza. O HRC irá cobrir uma área de abrangência de 150 quilômetros, em média. Em um ano o equipamento deverá estar em funcionamento. O subsecretário afirma que o governo quer agilidade na obra. O terreno para construção foi adquirido por cerca de R$ 1 milhão, após pesquisa em vária áreas.

A aquisição do terreno aconteceu após várias análises de espaços em Juazeiro. Debates com a sociedade civil e representantes da saúde foram travados no intuito de adaptar a idéia do governo à realidade regional, inclusive levando em consideração a instalação de cursos superiores na área da saúde, em Juazeiro do Norte, Barbalha e Crato, principalmente das duas faculdades de Medicina. Essa é uma das propostas apresentadas pelo governador do Estado, Cid Gomes, à região, para ser desenvolvida durante o seu mandato. O critério de escolha da cidade sede do hospital partiu de um comum acordo das administrações dos municípios com o governo, durante as reuniões itinerantes na região.

Serão construídos cerca de 160 leitos, inclusive aumentando os de Unidade de Terapia Intensiva, uma carência nos maiores hospitais do Cariri. O hospital vai contemplar as especialidades na área de urgência clínica e cirúrgica, um centro de atendimento para casos de envenenamento, doenças transmissíveis, traumas e unidade de queimados. Atuará com unidade reguladora e atenderá a estudantes da saúde, sendo centro de formação.

A maquete eletrônica do HRC foi apresentada recentemente. A meta de atendimentos para o hospital está sendo projetada para os próximos 20 anos. Sobreira esteve no Cariri com a finalidade de visitar o terreno onde será construída uma policlínica, no município de Barbalha. Outras localidades também serão contempladas, além dos Centros de Especialidades Odontológica.

CUSTOS

R$ 53 milhões serão investidos na construção do Hospital Regional do Cariri (HRC), em funcionamento a partir do próximo ano. A unidade cobrirá uma demanda para os próximos 20 anos.

Mais informações:
Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa)
Avenida Almirante Barroso, 600
Praia de Iracema - Fortaleza
(85) 3101.5123

Matéria do jornal Diário do Nordeste
www.diariodonordeste.com.br

.