16 janeiro 2008

Aos que usam Velox (Vagarox).

Consegui um crédito dos 9 (nove) dias somados (dezembro e janeiro) que a Velox esteve nos chateando. Liguei e, pasmem! Me atenderam, adiaram o pagamento da fatura deste mês. Receberei uma nova fatura com o desconto. Convido todos a fazer o mesmo. Eles precisam respeitar os usuários do Cariri e quando tiver que acontecer isso de novo, passarem informações precisas.
Espero que todos consigam.

A Chama dos Velhos Carnavais




Há alguns anos, no assassino desmoronamento do edifício Palace II , no Rio, entre os oito mortos, havia uma mocinha que foi surpreendida, no interior do seu apartamento, quando tentava salvar a fantasia de carnaval que usaria no desfile do outro dia. Quão importante aquela festa para a mocinha que, ao invés de tentar resgatar bens mais duráveis, buscou desesperadamente salvar a sua fantasia! O Carnaval, que nos chegou com os portugueses ,aportou no Brasil como expressão máxima do anarquismo: festa onde cada um se fantasiava do que bem lhe aprouvesse, onde os escravos encharcavam os senhores e os súditos ridicularizavam os reis. Tudo era permitido naqueles quatro dias de trégua dos homens com o seu poder, seu status quo e suas regras sociais. Certo que, com o tempo, o capital começou a pôr leis e fronteiras na essência anárquica do Carnaval, vieram as arquibancadas, os cordões de isolamento, os trios elétricos, os abadás e a grande expressão da cultura brasileira foi se tornando burocrática, com uma alegria medida, uma transgressão controlada, uma anarquia regulada. Os reis já não se misturam com os súditos, os senhores já não se mesclam com seus escravos... o aparthaid brasileiro já não tem sequer um dia de trégua!
Soube de um tempo em que o Carnaval cratense tinha o doce sabor original dos velhos reinados mominos. Um tempo em que o Corso percorria toda a Rua do Commercio, em meio a guerra de serpentinas e confetes, entre pierrôs e colombinas que se espalhavam por toda avenida ou se encastelavam nas janelas dos velhos casarões e que , à noite, terminavam no baile carnavalesco no Clube Cariri, ali pertinho na Rua Formosa . O Lança-Perfume , na época, era um mero aromatizador e fazia as moiçolas lacrimejarem quando respingava nos seus olhos escondidos por trás das máscaras e corpos contidos pelos espartilhos. Vivi, depois, um tempo em que blocos organizados e Escolas de Samba desfilavam por toda a cidade e onde o Carnaval tinha seu apogeu nos Assaltos do Crato Tênis Clube, bailes comandados por figuras emblemáticas e inesquecíveis como Valdir Silva e Zé Maia e que terminavam, na madrugada da ingrata quarta-feira, em plena praça Siqueira Campos. Tempo que tão genialmente foi depois eternizado em dois frevos do nosso Abidoral Jamacaru. Época em que boêmios da nossa mais alta society roubaram, no romper do dia, um pato da Fonte Luminosa da Praça da Sé e foram saborear o petisco, após ser apetitosamente preparado pelas sábias mãos de Canena . O furto terminou em tanto alvoroço que rendeu uma Marcha:


“Levantaram um “falso”chato
Ao novo Clube das Rosas,
Só porque sumiu-se um Pato,
Lá da fonte luminosa”...
Quem paga o Pato?”

Depois o Carnaval cratense foi pouco a pouco esmaecendo, um pouco a cada ano, um tanto a cada gestão municipal. As poucas pessoas mais aquinhoadas arrefecem sua chama foliã nas praias do litoral e os foliões incorregíveis buscam Recife-Olinda que ainda conservam, como em um Museu, a chama inquebrantável dos velhos Carnavais. Ao povão resta seguir com seu eterno destino de escravo, sem poder sequer um dia mimetizar-se de marajá, de príncipe, de Rei. Resta-lhe tão-somente a velha e surrada fantasia de palhaço. Quem quiser um dia resgatar a nossa essência como cidade, terá que , necessariamente, resgatar nossos antigos e inesquecíveis carnavais. Precisamos trazer à tona a mesma chama que fez aquela mocinha , com todo perigo desse mundo, entrar no edifício que desmoronava, na vã tentativa de salvar sua fantasia para o Desfile do Carnaval...


J. Flávio Vieira


Foto: Arquivo Jurandyr Temóteo

???


O que você queria saber mas tinha vergonha de perguntar.


Por que a gente Soluça?


Soluço é a contração involuntária do músculo do
Diafragma, responsável pela respiração.
O soluço geralmente é causado por uma irritação no
Nervo frênico, responsável por ativar o diafragma
Devido a um aumento do volume do estômago.
E não é lenda a história de que um susto pode curar o
"soluçante", pois libera adrenalina e ativa o nervo
frênico, outra saída é a água gelada, que provoca o
Mesmo efeito.

Ih!, Meu Pé Dormiu!

Isso acontece porque a compressão do fluxo sangüíneo
(ao cruzar as pernas, por exemplo) interrompe o tráfego
De impulsos nervosos.
Ao restabelecer o fluxo, acontece uma espécie de
"curto circuito" nos impulsos elétricos dos nervos,
daí a sensação de formigamento".
Há até um problema conhecido como
"paralisia dos amantes".
O casal dorme junto e um deles fica em cima
Do braço do outro.
O fluxo sangüíneo pode ficar interrompido por horas,
Comprometendo por meses ou até para sempre o
músculo do braço".
A saída para o formigamento restabelecer o fluxo
sangüíneo, movimentando o músculo.
Dependendo do caso, é necessário fazer fisioterapia.


Por que tenho vontade de Urinar quando entro na Piscina?

Não é sacanagem.
Ao entrar na água, a pressão externa sobre o corpo
Aumenta.
"Os líquidos componentes do plasma que estão fora dos
Vasos são "empurrados" para dentro deles",com o aumento
Do volume de sangue nos vasos - chamado volemia - vem a
Vontade de urinar.
É como beber água.
Por falar em água, é verdade que torneira aberta e
Chuveiro despertam a vontade.
"É psicológico, chamamos de reflexo da micção".


De onde vem a Cãibra?

Segundo o neurologista Acary Oliveira, da Unifesp,
95% da população já experimentou esse espasmo muscular,
Em geral na barriga da perna.
"Após intensa atividade física, acaba a energia e a
Musculatura se contrai e não relaxa".
Para passar, o segredo é contrair o músculo oposto ao
Que está doendo, como fazem os jogadores de futebol.
Se a cãibra for na barriga da perna, por exemplo,
Basta alongar os músculos da parte da frente,
Puxando a ponta do pé para cima, em direção a canela.



O que causa o Arroto?

Também chamado eructação, o arroto é causado pelo ato
De engolir ar (aerofagia).
"Falar ou comer muito rápido, engolindo ar, são as
Causas mais comuns".
Ingerir alguma substância que contenha gás, como
Refrigerante, pode ser outra causa provável.
A cura não é muito educada.
Basta "eructar".



Por que, às vezes, meu Olho Treme?

O espasmo das pálpebras é causado pela contração do
músculo orbicular (músculo responsável pelo fechamento
Das pálpebras).
A causa mais provável é que seja provocado pelo cansaço
Ou tensão.
"É como uma cãibra", explica o oftalmologista Paulo
Henrique, da Unifesp.
O músculo se movimenta rápido para fazer circular mais
Sangue na região e dissipar o ácido lático, responsável
Pela irritação na terminação nervosa.



Por que há uma espécie de "Choque" quando se Bate o Cotovelo na Quina da Mesa?

A reação é causada pela compressão de um nervo
Chamado ulnar.
"No cotovelo, o nervo ulnar está muito exposto,
Ficando suscetível a pancadas".
Esse nervo está ligado aos dedos mínimo e anular.
Por isso, a sensação de choque se espalha do cotovelo
até esses dois dedos.



Estalar os Dedos Engrossa as Articulações?

Não. "Ao esticar o dedo, o líquido sinovial lubrificante
Da articulação responsável por diminuir o atrito se
Desloca sob o vácuo formado entre as articulações,
Fazendo o barulho do estalo", ensina o ortopedista
cirurgião de mão Luís Nakashima.
O mesmo fenômeno pode ser percebido nas
Costas e nos joelhos.
"Provocar o estalo no dedo não faz mal algum".



Por que tenho a Impressão de já ter Visto um Lugar Onde
Nunca Estive?


A sensação de "déjá vu" pode acontecer com quase todos
E tem origem biológica.
O hipocampo - região do cérebro responsável pelo
Processamento da memória - é ativado fora de hora,
Exatamente quando está ocorrendo um fato novo, dando
A impressão de que aquilo já estava registrado,
De que é um fato do passado.
O evento é mais freqüente em pessoas com epilepsia
No lobo temporal e isso, provavelmente, está
Relacionado com" disparo "anormal do hipocampo, um dos
Centros cerebrais da memória", explica o psiquiatra
Roberto Sassi.
Mas isso não implica que pessoas que tenham "déjá vu"
Sofram de epilepsia.



Por que a gente Boceja?

"É uma forma de ativar o cérebro e evitar o sono",
afirma o coordenador do departamento de distúrbio do
sono da Unifesp, Ademir Baptista Silva.
Ao bocejar, o segundo e o terceiro ramo do nervo
trigêmeo (um dos nervos da face) são ativados,
estimulando o cérebro.
O mesmo efeito pode ser obtido mascando chiclete.
"O único mistério é o fator" epidêmico "do bocejo
ninguém sabe porque as pessoas bocejam quando vêem
outras bocejando", diz Ademir.


Por que os Pêlos ficam Arrepiados?

"O frio e as fortes emoções são os principais
estímulos causadores da contração do músculo eretor
dos pêlos", afirma a neurologista Cláudia Garavelli.
A origem pode estar na teoria darwinista e sua
explicação é que o arrepio é uma forma de defesa.
No frio, a camada formada pelos pêlos retém o ar
quente, aquecendo o corpo.
No medo, aumenta-se o volume do corpo, assustando-se
assim um eventual agressor, como fazem os gatos.


Por que a Pele da Mão Enruga quando ficamos na Água?

"Porque a camada externa da pele do dedo é composta por
uma proteína - a queratina - que pode absorver
"água como uma esponja", explica o clínico geral
Luís Fernando.
A camada externa da pele da ponta dos dedos é "fixa".
Para caber o volume de água absorvido, a pele enruga.


O que causa o Espirro?

"É um mecanismo de defesa, uma forma de o organismo
liberar bactérias e vírus alojados nas vias
respiratórias, especialmente no nariz, limpando-o".
Explica o neumologista Clystenes Odyr Silva.
Não tente impedir o espirro e jamais bloqueie o
nariz para evitar fazer barulho.
A velocidade do espirro pode ser de 160 km/h; ao
tampar nariz, a pressão é transmitida para um canal
do ouvido e corre-se o risco de ter-se o tímpano
rompido.


É verdade que Orelhas e Nariz Crescem quando Envelhecemos?

Não. O problema é que o tecido de sustentação da pele
perde elasticidade.
"A partir dos 75 anos, a flacidez é mais acentuada
devido à perda da elastina, proteína responsável pela
elasticidade da pele", afirma o geriatra Clineu Almada.
"Assim, tecido "cai", dando a impressão de que o órgão
cresceu".

CULTURA & CINEMA - 16.01.08

I Fauna Cariri

O Cariri mais uma vez sai na dianteira da realização em audiovisual.Está previsto para março de 2008 a realização do I Fauna - FestivalNacional de Cinema Ambiental e Eco Cidadania, que acontecerá nascidades de Crato e Juazeiro do Norte. A coordenadora do projeto, acineasta Verônica Guedes, vem desde o final do ano passado realizandocontatos e parcerias na região. O prefeito do Crato, Samuel Araripe, eo presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente, AndréEsmeraldo Barreto, firmaram apoio para a realização do evento.Previsto para durar seis dias, o Fauna incluirá, além da mostranacional de longas, médias e curta-metragens, uma Mostra Internacionalde Produções Ligadas à Ecologia; um Seminário Sobre Aquecimento Globale Oferta Hídrica na Região Nordestina; um Workshop Sobre TurismoEcológico, quatro Oficinas de Arte-educação e duas Oficinas deAudiovisual, de onde devem sair vídeos realizados e montados pelosparticipantes. O melhor filme do I Fauna vai receber um prêmio novalor de R$ 5 mil. A captação de recursos será viabilizada, viarenúncia fiscal, por meio da Lei Rouanet e o orçamento do Festivalestá calculado em R$ 639 mil.

Patrimônio e memória de uma cidade (I)

Um dos mais novos sócios efetivos do Instituto Cultural do Cariri –ICC, o arquiteto e engenheiro Waldemar Arraes de Farias Filho, faz jusà honrosa agremiação da intelectualidade caririense que o acolheu, nomomento da publicação de seu trabalho "Crato: evolução urbana earquitetura, 1740-1960". O livro já nasce como obra de referência parageógrafos, historiadores, urbanistas e estudiosos das ciências sociaisque necessitem realizar investigações sobre o Crato enquanto espaçohistórico-social, além de poder subsidiar informações ao planejamentourbano local. O trabalho do autor é rigoroso sob o olhar sensível nãoapenas do engenheiro-arquiteto, mas incorporando também análisessócio-culturais na discussão bem ilustrada, com excelente arquivo deimagens, sobre a evolução urbana e arquitetônica de Crato desde oséculo XVIII até os anos 1960. Vale a pena adquirir e estudar a obrapela importância que representa no fomento da consciência depreservação do patrimônio material da cidade. Conforme o autor, "estepatrimônio tem grande importância para nossa comunidade, pois ele é oaspecto visual da história do município, a autobiografia do sistemaeconômico e das instituições sociais".

Patrimônio e memória de uma cidade (II)

A realização de um documentário sobre o Crato de ontem e o de hojeestá sendo idealizado por Waldemar Arraes. Para este projeto, nossoarquiteto e autor de "Crato: evolução urbana e arquitetura,1740-1960", contará com a parceria do grupo de pesquisa IMAGO –URCA/CNPq. O grupo IMAGO, agregado ao Laboratório de Ensino doDepartamento de Geociências da URCA, disponibilizará seu núcleo deprodução audiovisual para a edição do documentário.

De passagem

Encontra-se em Crato, Jefferson de Albuquerque Jr, cineasta caririenseque realizou diversos filmes nos anos 1970-80 na região. Hoje,residindo em Vitória, Espírito Santo, desenvolve permanente trabalhono audiovisual. No estado capixaba é o coordenador de oficinas daMostra de Vídeo Ambiental do Caparaó Itinerante. Recentemente, obtevereconhecimento social pelo seu trabalho, sendo-lhe conferido, atravésda Assembléia Legislativa, o Título de Cidadão Espírito Santense.Jefferson encontra-se realizando pré-produção e captação de imagenspara a realização de um documentário sobre a chapada do Araripe.Conforme Jackson Bantim (Bola), diretor de produção do projeto, odocumentário abordará diversos aspectos da Chapada, durante todo oano, sejam aspectos sociais e ambientais, incluindo imagens aéreas queserão realizadas ainda neste início de ano.

CineClubes

Segue uma boa sugestão para os amantes da Sétima Arte no Cariri.Sessões de cult movies, ou seja a de projeção de filmes que estão forado circuito comercial, ou que se constituem como obras exemplares degrandes diretores da história do cinema mundial, podem ser muito bemapreciadas a partir da formação de um cineclube. Há no Brasil o CNC -Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, que mantém um site(http://cineclube.utopia.com.br/) para cadastro e orientações aosinteressados em criar ou manter um cineclube no país. Conforme o CNC,os cineclubes, nascidos nos anos 20, se vinculam a uma concepçãorevolucionária e democrática de organizar a relação do público com aobra cinematográfica - agora audiovisual. Cineclube é o espaço do novoe do povo. Por isso sempre foram perseguidos pelo autoritarismo,marginalizados pelo poder econômico, ignorados pela maior parte dasesferas institucionais.
---------------
CULTURA & CINEMA (coluna do jornal "Contraponto" -16.01.08)
por Glauco Vieira - glauco.vieira@gmail.com - http://glaucovieira.blogspot.com
(geógrafo e cineasta - prof. do depto de geociências da URCA)

O Carnaval no Crato de outrora


Aproxima-se o carnaval, festejo que teve origem na Europa medieval, mas que teve sua apoteose no Brasil.
No Crato, as folias mominas são festejadas há bastante tempo. Irineu Pinheiro, no livro O Cariri, dedica-lhe um capítulo inteiro, tecendo pormenores de como era brincado o carnaval no Crato de outrora. Tinha o nome de entrudo, e era de natureza irreverente e extremamente popular. A água era o elemento central, talvez por nítida influência da estação invernosa, que aumentava em muito o já forte potencial hídrico do local. Eis como Pinheiro descreve o entrudo:
Era (...) o triunfo mais completo da água.
“Percorriam as ruas grupos armados de bisnagas de flandre, de cerca de 50 centímetros de comprimento e de 5 de diâmetro, cheias de água, cujos jactos não respeitavam sexo nem posições sociais.
“(...)’Assaltavam-se’ casas amigas, que se defendiam do melhor modo possível, com bisnagas também, com baldes e caneco d’água etc.
“(...)Não raro se viam nas ruas tinas com água, em que se mergulhavam implacavelmente todos os que por ali passassem, fossem quem fossem
”.
Com base nos relatos de Irineu Pinheiro e Paulo Elpídio, o costume de banhar-se nas ruas deixou de fazer parte do entrudo, ao que parece, já no final do século XIX. Permaneceram as bisnagas, chamadas de laranjinhas, “feitas de cera colorida ao derreter com anilina de cores variadas”(1), e, quando os ânimos estavam exaltados, canecos, potes e jarras.
Alcancei, na infância, o objeto que deu continuidade a essa tradição, a que chamávamos de xeringador (ou seria cherigandor?), uma bisnaga de plástico para espargir água. A intenção da brincadeira era a mesma dos velhos tempos: travar batalhas com outras pessoas, visando molhar o oponente com o precioso líquido. A partir de certa época, passou-se a usar, além da água, o colorau e a farinha de de trigo ou a maisena, para atacar o adversário, numa prática que hoje chamam de mela-mela.
O uso de lança-perfumes foi introduzido no Cariri em 1912, vendido pelo farmacêutico José Gonçalves Rolim(2). Até hoje, o lança-perfumes continua sendo usado, apesar de ser uma contravenção.
O disfarce, característica dos bailes carnavalesco, era utilizado no entrudo. Usava-se uma espécie de máscara, geralmente feita de couro. O mascarado era chamado de careta, que falava em falsete e aterrorizava a criançada mais ingênua, manejando um chicote de couro cru.
A elite cratense promovia bailes, realizados nas casas de família e promovida por clubes sociais, nos quais só os homens participavam. Irineu Pinheiro fala de um clube chamado Água e Cera no qual, “aos pares, de braços dados, cantavam a plenos pulmões, ao som da música Zé Pereira, tocado por uma orquestra composta de uma rabeca, uma flauta, um bombardino, um trombone e um clarinete”.
Em 1909, o Correio do Cariri, citado por Irineu Pinheiro, publicou nota sobre o carnaval cratense, destacando o Clube Água e Cera, registrando “ter ele exibido um belo carro alegórico em que se via a figura da República empunhando o estandarte brasileiro tremulante ao vento”(3) .
A evolução do carnaval do Crato trouxe inovações década a década. Em 1910, foi registrada pela primeira vez a presença de cortejos carnavalescos nas páginas do Correio do Cariri. Nos anos de 1935 e 1936, o carnaval foi pura animação, com destaque para os cordões, que desfilavam pelas ruas com destino aos bailes promovidos no Crato Clube. Em 1942, arrefeceram os cortejos, e o divertimento se restringiu aos salões dos dois clubes locais: o citado Crato Clube e a Associação dos Empregados no Comércio do Crato. Um ano depois, elegeram e coroaram rainhas, em evento bastante aplaudido(4).
______
1. MENEZES, Paulo Elpídio. O CRATO DO MEU TEMPO, p. 29.
2. O Cariri, p. 197.
3. Op. citado, p. 196.
4. Idem ibidem, p. 197.

Sábado tem JAZZ no Maria Café - Em Crato


Convidamos a todos para um delicioso happy hour ao som do melhor do
Jazz. Neste sábado (19/01) - A partir das 18 horas. Esperamos por vocês!
.

Se ligue! - Demutran vai anistiar multas em Crato !

Demutran informa que está em vigor a lei nº. 2.463/2007
DEMUTRAN vai anistiar multas em Crato
10/01/2008

O Departamento Municipal de Trânsito do Crato – DEMUTRAN informa que já está em vigor a lei nº. 2.463/2007 que concede a anistia de multas no âmbito do Demutran Crato para os condutores de veículos no período de janeiro de 2003 a 31 de novembro de 2007. Não poderão ser considerados os créditos inscritos na dívida ativa do Demutran que tenham sido pagos até a data em vigor da lei.

O diretor-geral do órgão Luiz Joatan de Souza avisa que os proprietários de veículos já podem ir ao Demutran para preencher
o requerimento solicitando a anistia das multas. Não há burocracia e o atendimento será rápido.

É bom lembrar que as pessoas que tiverem veículos apreendidos devem se dirigir ao Demutran pagar o licenciamento e seguro obrigatório, colocar equipamentos obrigatórios do veículo e retirá-lo do depósito.

Fonte: Website oficial da PMC

.

Classificados: Vende-se um JEEP FORD WYLLIS - De colecionador.




JEEP FORD WYLLIS

Caros amigos do Blog, uma oferta que nos convida a uma viagem ao passado e às lembranças que daí provêm. Quem não se lembra do velho Jeep - aquele carro durão, feito para enfrentar estradas difíceis, esburacadas e cheias de atoleiros. Ao mesmo tempo, porém, um carro simpático e querido por todos, que marcou época, deixando muita saudade naquelas pessoas que tiveram algum contato com ele, mesmo que tenha sido apenas através de uma fotografia de revista.

Pois bem amigos, se você sentiu saudades ou acalenta o desejo de possuir um jeep Ford Wyllis, chegou o momento. Encontra-se à venda um Jeep Ford Wyllis, 1975, cor verde, motor original, com seis cilindros, em excelente estado de conservação, como pode ser observado na foto (ou fotos).

Para maiores informações entrar em contato como o nosso amigo Océlio (088.8814.0883).

Por: Dihelson Mendonça
OBS - Quem quiser participar dos Classificados, mesmo sendo membro do Blog deve dirigir à mim via e-mail o anúncio.
.

Foto do Dia e Previsão do Tempo - Apresentando o fotógrafo: Haoni Caiena


Acima: Foto da esquina do Colégio Diocesano, tirada da sacada do msmo por Haoni Caiena.



Fonte: Climatempo: www.climatempo.com.br
.

Notícias para a População: Assinada ordem de serviço para a construção das 3 primeiras praças.

E agora, as notícias sobre a administração da cidade:

Prefeito assinou ordem para construção das 3 primeiras praças no final de semana passado:

O prefeito do Crato Samuel Araripe neste último final de semana assinou três ordens de serviços para a construção de praças no Conjunto Vitória Nossa, no Lameiro e no Baixio das Palmeiras.

Na sexta-feira o prefeito esteve no Conjunto Vitória Nossa onde assinou a ordem de serviço para uma praça que será construída em 150 dias, com espaço para lazer, uma quadra esportiva, ficando ao lado da capela da comunidade. No Lameiro a praça ficará ao lado da Igreja de São José.

Na próxima quinta-feira, 17/01, o prefeito assinará a ordem de serviço para construir ma praça no distrito da Bela Vista. Ao todo serão 16 praças a serem construídas em 2008.


Prefeitura do Crato vai reformar 20 escolas

O prefeito do Crato Samuel Araripe autorizou a Secretaria de Educação do Município trabalhar a recuperação das escolas municipais que necessitam de reparos. Nesta perspectiva a Secretaria de educação irá trabalhar a melhoria das escolas seja no aspecto físico e também a aquisição de novos equipamentos.
O Secretário de Educação Valentin Dantas acredita que com essas melhorias os alunos terão uma escola mais prazerosa e agradável para a atividade educativa. Pelo menos 20 prédios serão reformados nas mais variadas localidades do Município.

INFRA ESTRUTURA
Avenida Perimetral recebe novo asfaltamento

Foi iniciado em Crato, na última sexta-feira, o trabalho de pavimentação asfáltica da Avenida Perimetral Dom Francisco, em Crato. Segundo o secretário de Infra-Estrutura do Município, Jefferson Felício Júnior, serão 36 mil metros quadrados de asfaltamento, seguindo até o final da avenida Duque de Caxias, nas proximidades do Museu Histórico do Crato.
Conforme o Secretário, a meta é concluir os trabalhos até o final do mês, caso não haja impedimento por conta das chuvas. A melhoria do asfalto da Avenida Perimetral faz parte das ações da Prefeitura Municipal para a melhoria da malha viária da cidade.

Fonte: Website oficial da PMC.

OBS - As notícias sobre a adminstração do município são divulgadas no Blog do Crato como informação geral à população. São pegas no website oficial da prefeitura, e sem dia certo nem hora pra divulgar. As notícias são escolhidas por mim pelo grau de importância que possuem para a população do Crato. O Blog do Crato entende que como veículo de informação maior da cidade na internet, deve se constituir num ELO entre a população e a administração, qualquer que seja ela, e é dever de todo cidadão saber do que anda fazendo aqueles em quem depositaram sua confiança nas últimas eleições. Portanto, participem, cobrem, reivindiquem os compromissos de campanha. Este espaço aqui serve pra isso, não apenas para divulgar um lado da história!

Por: Dihelson Mendonça
.

Hoje no DN - Fim dos agentes rurais preocupa produtores

Clique para Ampliar

Na zona rural do Cariri, os pequenos produtores iniciam plantio e apontam possíveis prejuízos, caso não tenham mais a assistência técnica dos agentes rurais no manejo do solo e criação de animais (Foto: Elizângela Santos)

Clique para Ampliar

Comunidades ribeirinhas do Jaguaribe, em Limoeiro do Norte, enfrentam riscos com as chuvas (Foto: Melquíades Júnior)

A criação de uma cooperativa é uma das alternativas para o fim das bolsas dos agentes rurais no Interior

Juazeiro do Norte. A preocupação no campo aumenta com a saída gradativa dos agentes rurais, principalmente na região do Cariri, onde atuam 156 desses profissionais. Produtores rurais começam a se mobilizar e solicitam urgência do Estado para solucionar o problema. Com o fim dos contratos de três anos da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), os agentes deixam de receber o salário de R$ 900,00. Até o fim de março 70% deles deixam de atuar. Os agentes rurais foram contratados pelo Estado por meio de um processo de seleção. Uma das alternativas apresentadas durante os encontros que estão sendo promovidos com os agentes em várias cidades do Estado é a realização de concurso para efetivação de pessoal.

Produtores dizem que estão se sentindo prejudicados, por estarem sendo acompanhados pelos trabalhos dos agentes que já têm um conhecimento mais aprofundado de culturas específicas. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Crato, José Hildo Silva, já se sente um reflexo em relação a saída desses profissionais. “Eles, na verdade cobrem uma lacuna onde o técnico não chega. São pessoas treinadas e que estão dando conta do recado. São essenciais para o agricultor”, diz. No caso de inserção em custeio agrícola ou como pronafianos (Pronaf), segundo o dirigente sindical, são os agentes que elaboram o perfil dos produtores.

Conforme Hildo, a preocupação é grande e torna-se necessária uma solução para o problema, já que o momento é um dos mais propícios para a agricultura na região. O presidente da Associação dos Agentes Rurais do Estado do Ceará (Aagrece), José Araújo de Oliveira, afirma que este é um momento difícil para o campo no Estado e alguns agricultores estão pensando em entrar coletivamente na justiça por estarem se sentindo prejudicados. Ele cita alguns do município de Nova Olinda.

Mais de 100 agentes estiveram reunidos durante esta semana no Crato, para discutir a questão com técnicos da Ematerce, o deputado estadual Hermínio Rezende, o diretor administrativo e financeiro da Ematerce, Eduardo Aragão de Albuquerque e técnicos da região, além de alguns produtores. Eles deram depoimentos do trabalho desenvolvido pelos agentes em suas propriedades e a preocupação e os possíveis prejuízos para o campo com a saída dos agentes rurais.

Fora do campo

A situação é de urgência, conforme José Araújo de Oliveira. No Ceará já são cerca de 130 agentes fora do campo e isso significa prejuízo para o Estado. Só em dezembro, segundo ele, saíram 48 agentes. Ele destaca o Cariri com uma das regiões que exigem urgência no trato com essa situação por se configurar nesse período a quadra invernosa. Ressalta que, atualmente, com a saída de agentes, um dos setores mais prejudicados tem sido o da fruticultura, além dos plantios com oleaginosas como a mamona e girassol e o setor agropecuário. Na região se destaca a ovinocaprinocultura.

A rotina de trabalho dos agentes rurais é de oito horas ou mais. Os próprios agentes deram depoimentos da situação em que se encontram. Muitos dos que participaram da reunião estão sem perspectiva de trabalho e não terão encargos trabalhistas para receber. José Araújo destaca uma das medidas imediatas pensadas para uma contratação urgente: a criação de uma cooperativa. Outros municípios, por meio da Secretaria de Agricultura, estão tomando a iniciativa de contratar o agente rural que vinha dando assistência aos agricultores de suas respectivas áreas. Outra grande preocupação diz respeito aos financiamentos no campo, por conta dos possíveis prejuízos dos produtores desassistidos.

A diretoria da Ematerce destacou a preocupação maior com o homem do campo. Segundo o diretor Eduardo Aragão, 36 agentes foram enviados para a Funcap para serem contratados, sendo seis deles master. “O trabalho de vocês é importantíssimo e é por isso que estamos aqui”, disse diante dos apelos dos agentes.

Elizângela Santos
Repórter
- www.diariodonordeste.com.br

.

A INGERÊNCIA POLÍTICA COMO CAUSADORA DA POLUIÇÃO SONORA. Por: Mário Correia



CONTRA PONTO - Janeiro de 2008. ARTIGO

A INGERÊNCIA POLÍTICA COMO CAUSADORA DA POLUIÇÃO SONORA.

O Consumidor, como deverá agir nestes casos?

Para esta intromissão política, o Consumidor deve ficar alerta, exatamente nesta época festiva de início de ano, principalmente no carnaval. Como também, por se tratar de ano eleitoral. Não deixará de haver oportunidade para o mau político se aproveitar de pequenas festas com a finalidade de patrocínio. Quando de fato, quer “aparecer”. É exatamente onde reside o grande desrespeito aos Ordenamentos Jurídicos do nosso País, no que se refere à Poluição Sonora e infração à Lei Eleitoral. Portanto, o mau Político, acha que está agradando a população, mas, na realidade, está cometendo infração e levando consigo a Autoridade Pública a uma atitude ilegal e comprometedora de sua imagem perante a sociedade e as autoridades constituídas. Esta Autoridade Pública deu um jeitinho à brasileira, para a realização do evento.

-Primeiro: O Consumidor terá uma certa dificuldade, pois os infratores baixam o som com a presença da polícia e a grande maioria dos prejudicados não quer testemunhar, temendo represálias por parte dos infratores. Contudo, com um gravador sensível e uma câmera fotográfica fará o flagrante.

-Segundo: Fazer um levantamento minucioso para descobrir qual foi Autoridade Pública (Civil, Militar ou do Departamento de Trânsito) que autorizou o evento em local impróprio.

-Terceiro: O Consumidor fará uma Representação à autoridade Superior ou ao Ministério Público, como abuso de autoridade.

Pratica ABUSO DE AUTORIDADE, a autoridade pública Federal, Estadual ou Municipal, que autoriza proprietário comercial, seja este bar, restaurante ou similar a realizar evento de caráter comercial, interesse individual ou que não esteja albergado na Lei, em detrimento de toda a coletividade da circunvizinhança, área esta de alta densidade residencial e escolar, com o fechamento de Rua e emissão de sinais sonoros, em desrespeito a Lei. A Lei 9.636/98, em seu artigo 22, em que permite apenas a utilização de bens da União (Ruas), para a realização somente de eventos de curta duração de natureza recreativa, esportiva, cultural, religiosa ou educacional. Fora destes casos estará aautoridade infringindo a Lei das Contravenções Penais (Decreto-Lei 3.688/41) em seu artigo 42, inciso III – “Perturbar alguém, o trabalho ou sossego alheios” – “abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos”;

Para a Lei 6.657/79, autoridade é todo aquele que exerce cargo, emprego ou função pública, de natureza civil ou militar, ainda que transitoriamente ou sem remuneração. Esta Lei, sujeita a autoridade à tríplice responsabilidade civil, administrativa e penal.

No caso de responsabilidade civil, o consumidor deve entrar com uma Ação Ordinária, perante a Justiça Comum Federal ou Estadual, conforme a autoridade que cometeu o abuso de autoridade.

Em se tratando de responsabilidade administrativa e a penal, o consumidor entrará com uma Representação à autoridade superior ou ao Ministério Público competente para a Ação Criminal (a autoridade cometeu um crime de desobediência à Lei), se for o caso.

E havendo dano a saúde do consumidor ou mesmo dano material, desvalorização de seu imóvel por mau uso da propriedade vizinha, deverá o consumidor entrar diretamente com uma Ação de Reparação de Danos Morais e Materiais contra o Órgão Federal, Estadual ou Municipal, exigindo reparação de tais danos, de acordo com o caso.

O Novo Código Civil, em seu artigo 186, é cristalino quando expressa: “Aquele que, por ação..., violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito”. “As penas por abuso de autoridade vão desde a advertência administrativa até a demissão”.

A autoridade, sabedora de seus deveres, e mesmo assim, autorizou ou não autorizou, e por omissão não impediu a realização do evento, que ato ilícito cometeu?

Cometeu crime de prevaricação. Prevaricação é a terminologia usada na Lei para definir o crime cometido por funcionário público, no caso citado como exemplo, Autoridade Pública, que não toma providências ou deixa de fazer aquilo que é seu dever e não o fez. talvez para atender ou apadrinhar solicitação de mau político. Encontramos o amparo legal no Código Penal em seu artigo 319 – Pena: de três meses a um ano de cadeia.

Em sendo esta autoridade da Polícia Civil ou Militar notifique a Corregedoria de Polícia do Estado. Os Órgãos Públicos são obrigados a fornecerem serviços adequados, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos. Nos casos de descumprimento, total ou parcial, das obrigações serão as pessoas jurídicas compelidas a cumpri-las e a reparar os danos causados, na forma do CDC.

Faça valer seus direitos, com dignidade, educação e nunca desista no primeiro revés. Procure as instâncias superiores de seu Estado.

Por: Mário Correia de Oliveira Júnior.

Presidente da Comissão de Meio Ambiente OAB-CRATO.

Perfil:

Economiário, Professor, Corretor de Imóveis, Bacharel em Direito-URCA, Advogado Pós-Graduado em Direito Privado – UECE e Pós-Graduando em Docência do Ensino Superior-FLS/ Faculdade Leão Sampaio.

.