02 dezembro 2008

Restos mortais de bispos cratenses serão exumados neste sábado



Os despojos dos três primeiros bispos da diocese de Crato – Dom Quintino, Dom Francisco e Dom Vicente – que se encontram sepultados em locais dispersos na Catedral de Nossa Senhora da Penha serão exumados no próximo sábado,dia 6 dezembro, às 16:00h.
Em seguida, os restos mortais desses prelados serão sepultados na Capela da Esperança - onde será colocada uma imagem de Cristo Ressuscitado (foto ao lado) - ora em construção na catedral de Crato. Antes da inumação haverá a celebração de uma missa a ser presidida por Dom Fernando Panico, atual bispo diocesano.

Os bispos

Dom Quintino Rodrigues de Oliveira e Silva, cearense de Quixeramobim, foi o primeiro bispo de Crato. Ele governou a diocese por 14 anos (1916-1929) e foi o responsável – dentre outras iniciativas – pela reabertura do Ginásio São José, com o nome de Ginásio Diocesano. Criou a Congregação das Filhas de Santa Teresa de Jesus e o colégio com o mesmo nome. Fundou, em 1921, a primeira instituição de crédito do Sul do Ceará, o Banco do Cariri. Dom Quintino foi, ainda, o pioneiro do ensino superior no interior do Ceará, ao reabrir, em 1922, o Seminário São José, dotando-o dos cursos de filosofia e teologia, nos quais os novos padres recebiam a licenciatura plena.
Dom Francisco de Assis Pires, baiano de Salvador, segundo bispo de Crato, governou a diocese por 37 anos, de 1932-1959. Dom Francisco dotou a diocese de vários empreendimentos, dentre os quais se destacam o Hospital São Francisco, Colégio Diocesano, Patronato Padre Ibiapina (hoje sede da reitoria da Urca), Palácio Episcopal, Liceu Diocesano de Artes e o jornal "A Ação" que circulou até a década 70.
O terceiro bispo, Dom Vicente de Paulo Araújo Matos, cearense de Itapagé, chegou a Crato em 1955, como bispo - auxiliar, permanecendo até 1992, ou seja, por 37 anos. A ele a diocese deve, dentre várias iniciativas, a criação da Fundação Padre Ibiapina, da Faculdade de Filosofia de Crato (embrião da atual Universidade Regional do Cariri), dos Colégios Madre Ana Couto e Pequeno Príncipe, dos sindicatos de trabalhadores rurais nos municípios do Sul do Ceará, da Escola de Líderes Rurais e Organização Diocesana de Escola Profissionais, além da construção do Centro de Expansão que hoje leva o seu nome.

2 comentários:

  1. Bom lembrete, Armando.
    Estarei lá para filmar e fotografar!

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Prezado Armando
    Se a gente observar, os quatro bispos fizeram mais pelo progresso do Crato que muitos prefeitos. Assim como na França tudo lembra Napoleão, no Crato, o que marca na cidade, foi obra do prefeito Alexandre Arrais ou dos Bispos: Dom Quintino, Dom Francisco, Dom Vicente. E lembrar que não existe nenhuma rua no Crato homenageando Dom Vicente.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.