16 dezembro 2008

E me vem você com poesia numa hora desta?

"O mundo é muito belo sob o olhar entorpecido da poesia!
A poesia é como uma injeção de Diazepam,
faz você ver as desgraças de modo lindo.
S
ó funciona como poesia mesmo.
No mundo real, a coisa é bem diferente.
E se não houvesse celular ?"

( Dihelson Mendonça )


E se a incerteza discar teu número e
teu olhar de dúvidas se turvar no redemoinho
do que poderia e não foi
ou do sabido e não conhecido?

E se a necessidade destas notas musiciais que
soltastes nas tuas práticas de amor
pelas transversais capilares daqueles leitos e concertos,
qual movimento salvarias da inanição
com a audiência de um simples toque?

E se não houvesse a identificação?
E se não houvesse o celular?
Veja tu que tão somente regras para instrumentos,
enquantos nós,
deste lado de cá da linha,
nem um suspiro ouviremos.

Ao que ainda mais perplexo,
uma ligação não identificada:

Como já dizia Mitonho:
se o mundo fosse de poesia,
a neurastenia não seria matéria do comportamento.

Mas se pelos detalhes fossem notas musicais
aquilo do mundo de relação,
ouviríamos uma música metálica e irritante que
tu mesmo escolheu em teclados minúsculos,
só para deblaterar contra a poesia
e os poetas benzodiazepínicos.

Como já dizia seu Lunga:
ainda me vens com poesia?

José do Vale Feitosa

6 comentários:

  1. Zé do Vale,

    Tá trapaceando...não valeu, você pegou aquelas minhas frases banais sobre o Diazepam, e compôs essa obra-prima!

    Agora, vou ter de revidar com todos os canhões de navarone esses seus versos, rs rs

    Parabéns,
    Ficou genial, mas não serve como Duplix. Para Duplix eu farei algo realmente da minha parte, poético. O que escrevi, foi totalmente contrário a ela.

    E ainda me vem você com poesia ?

    rs rs


    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. E me vem você com poesia numa hora desta?
    (Depois de ler o Diário , assistir na TV o jornal Nacional ...)
    O mundo é muito belo sob o olhar entorpecido da poesia!
    (As manchetes dos jornais são reais
    As dores são tumores... crescem ,
    e precisam de morfina.
    Tem qualquer coisa mais forte além de um poema ? )
    A poesia é como uma injeção de Diazepam,
    faz você ver as desgraças de modo lindo.
    (Fala da saudade ...
    e o que passou , já passou ...
    Só a lembrança ficou)

    Só funciona como poesia mesmo.
    (E sem poesia ?
    O qeu fazem os meus olhos no vazio ?
    Céu escuro , sem estrelas ...
    Com quem falam os meus olhos sem centelhas ?)

    No mundo real, a coisa é bem diferente.
    E se não houvesse celular ?
    (Os poetas entram em sintonia...
    Falam e escutam por telepatia)


    E se a incerteza discar teu número e
    teu olhar de dúvidas se turvar no redemoinho
    do que poderia e não foi
    ou do sabido e não conhecido?
    (Na incerteza o certo é paralizar os dedos
    (Não discar...se enquadrar
    Atender a voz do coração ,
    que disca de um canto onde mora a emoção )

    E se a necessidade destas notas musiciais que
    soltastes nas tuas práticas de amor
    pelas transversais capilares daqueles leitos e concertos,
    qual movimento salvarias da inanição
    com a audiência de um simples toque?
    (A música não alimenta o corpo
    Ela fortalece a alma
    E se não existe alma...
    Ela acalma os sentidos...
    Eles se entorpecem de notas e melodias
    Já ouviu falar em música-terapia ?
    Salva do silêncio
    Levita no esquecimento...
    Funciona como UTI ...
    Último Tango (em Paris ou alhures)...Instiga-nos ! )


    E se não houvesse a identificação?
    E se não houvesse o celular?
    Veja tu que tão somente regras para instrumentos,
    enquantos nós,
    deste lado de cá da linha,
    nem um suspiro ouviremos.
    (Os suspiros são analfabetos ,
    mas dizem...
    Lembra aquele filme ?
    "O vento não sabe ler"...)

    Ao que ainda mais perplexo,
    uma ligação não identificada:

    Como já dizia Mitonho:
    se o mundo fosse de poesia,
    a neurastenia não seria matéria do comportamento.
    (O mundo é mito
    poema é lírico
    Sem mitologia
    como estudar a simbologia
    da vida ?
    Poesia é aeração ...)

    Mas se pelos detalhes fossem notas musicais
    aquilo do mundo de relação,
    ouviríamos uma música metálica e irritante que
    tu mesmo escolheu em teclados minúsculos,
    só para deblaterar contra a poesia
    e os poetas benzodiazepínicos.
    (Poesia , deixe os poetas em alfa , beta , lâmbda, ômega ... Seja vingativa !Apaguem todas as velas , inclusive a do luar ...
    E que os céus os protejam !)

    Como já dizia seu Lunga:
    ainda me vens com poesia?
    E como diria Seu Lunga
    Vá cutucar onça com vara curta,
    assovie uma música , declame um poema de Neruda ,ou cante uma sereia...
    Antes que ela te enfeitice !

    ResponderExcluir
  3. Pronto!

    Agora misturou foi tudo! Como diria o Mitonho!

    "Só sei que Nada Sei. E afora isso, já nem sei mais nada!"

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  4. gargalhadas !
    Já pedi perdão ao Papai do Céu .

    ResponderExcluir
  5. Socorro, O Texto do Zé do vale já era um Duplix que ele fez com umas bobagens que eu havia escrito noutra postagem sobre os poetas diazepínicos ( eu tomo bromazepam há mais tempo que a queda do muro de Berlim ), então o que vc fez foi um TRIPLIX...
    rs rs

    Bjus!


    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.