15 dezembro 2008

CAMPANHA - "Eu Não Atendo Telefonemas sem Identificação no Celular"



Há pessoas realmente mau-caráter neste mundo!
Alguns que não conseguem nos roubar fisicamente, rouba-nos o precioso tempo,
que seria empregado em coisas mais produtivas.

Estou lançando uma campanha:

"Eu Não Atendo telefonemas sem Identificação"

E peço às pessoas que façam o mesmo. Porque que eu devo atender a um telefonema de alguém que quer se esconder sem revelar o número, e talvez aplicar trotes ? Por via das dúvidas, não atendo mais telefonemas não-identificados. Quem ligar, irá perder seu tempo...

Dihelson Mendonça
.

8 comentários:

  1. É isso aí, Dihelson, concordo com o seu posicionamento. Já faz algum tempo que adotei esta medida, acho que não perdi nada com isso e ainda me livrei de alguns aborrecimentos. Um abraço, Valdetário.

    ResponderExcluir
  2. E se a incerteza discar teu número e teu olhar de dúvidas se turvar no redemoinho do que poderia e não foi ou do sabido e não conhecido?

    E se a necessidade destas notas musiciais que soltastes nas tuas práticas de amor pelas transversais capilares daqueles leitos e concertos, qual movimento salvarias da inanição com a audiência de um simples toque?

    E se não houvesse a identificação? E se não houvesse o celular? Veja tu que tão somente regras para instrumentos, enquantos nós, deste lado de cá da linha, nem um suspiro ouviremos.

    ResponderExcluir
  3. José do Vale,

    O mundo é muito belo sob o olhar entorpecido da poesia! A poesia é como uma injeção de Diazepam, faz você ver as desgraças de modo lindo. Só funciona como poesia mesmo.

    No mundo real, a coisa é bem diferente. E se não houvesse celular ?

    Meu Deus! Não me diga como o Ser Humano conseguiu sobreviver 5.000 anos sobre a superfície da terra sem essa "maravilha tecnológica" que mais aporrinha do que outras coisas.

    Sabe, eu vou lhe contar minha máxima que eu inventei ( pleonasmo ), sobre o Celular:

    "Celular é um bicho que passa o dia sem tocar, mas se você estiver fazendo algo de muito importante no banheiro de modo que não possa sair, é exatamente a hora em que ele toca. Se você for atender, ou é ligação errada, ou gente que não te interessa lhe pedindo algum favor! E se não atender, era a única pessoa no mundo que você não poderia deixar de atender"

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  4. Valdetário,

    O que são esses raios saindo da sua cabeça nessa foto ? que coisa esquisita!

    Abraços.

    DM

    ResponderExcluir
  5. Como já dizia Mitonho: se o mundo fosse de poesia, a neurastenia não seria matéria do comportamento. Mas se pelos detalhes fossem notas musicais aquilo do mundo de relação, ouviríamos uma música metálica e irritante que tu mesmo escolheu em teclados minúsculos, só para deblaterar contra a poesia e os poetas benzodiazepínicos. Como já dizia seu Lunga: ainda me vens com poesia?

    ResponderExcluir
  6. Dihelson, como pessoa inteligente que você é e como fotógrafo arretado de bom, já dava pra você ter percebido que se trata da minha auréola rsrsrsrsrsrsrsrs. São poucos o que conseguem mostrar sua auréola. Outros dizem que isso é fruto de tantos plantões noturnos o que me obriga a deixar a companheira só rsrsrrsrsrsrs. Falando sério, trata-se de uma grade de ferro. Essa foto foi tirada no alpendre da casa da mão da minha namorada, um bonito local chamado Araporanga, na zora rural de Santana do Cariri, no dia 05.10.2008,portanto, no dia da última eleição municipal, daí eu estar todo de preto, simbolizando o luto pelo que fizeram com o PT aqui do Crato. Um Abraço. Valdetário.

    ResponderExcluir
  7. Dihelson, me surpreendeu a sua fala sobre poesia. Acho que você falou brincando. Quando a poesia não servir mais pra nada, ela ainda servirá para nos emocionar... e isso não tem preço. Um abraço. Valdetário.

    ResponderExcluir
  8. Juntando as peças , sobrou poesia !
    risos


    Claude implantou a mania "Plix"

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.