28 novembro 2008

A PRAÇA DA SÉ - Uma Reclamação sobre os Vendedores Ambulantes...

Privilegiadamente localizada ao sopé da Serra do Araripe, na cidade do Crato temos uma gama enorme de belezas – naturais ou não – que impressionam àqueles que têm a oportunidade de conhecê-la.

Um simples exemplo? A extraordinária visão que temos, ao adentrar a cidade, vindo das bandas de Juazeiro e nos deparamos, de frente, com o paredão inexpugnável, imponente e esverdeado da Chapada do Araripe, como que a proteger a cidade. É algo indescritível, ímpar e de uma beleza esfuziante. Uma cena espetacular, um momento particularíssimo, belo e único (e a qualquer hora do dia), que somente a mãe natureza pode nos propiciar (e, para completar, algo que Juazeiro ou os "nossos" maus políticos não nos podem tomar ou destruir).

Dentre tantas belezas, as nossas praças, outrora mantidas arborizadas e sempre tão bem cuidadas, destacavam-se (atentem para o “tempo” do verbo) como autênticos cartões-postais, dignos de orgulho para todos nós, filhos da cidade.

De uns tempos para cá, entretanto, a coisa mudou e mudou para pior.

A Praça da Sé, por exemplo, de inolvidáveis e ternas lembranças, até recentemente ponto turístico e parada obrigatória para nossos visitantes, de favorecida localização, amplos e generosos espaços, cercada de frondosas árvores e clima agradabilíssimo, propício a uma parada estratégica para recuperar o fôlego, tanto para quem vai como para quem sai do centro da cidade, hoje já não é a mesma, constituindo-se, sim, lamentavelmente, uma vergonha para todos nós e uma rota a ser evitada.

Tomada de assalto, de uma ponta a outra, por ambulantes dos mais diversos matizes e produtos, com a complacência irresponsável, criminosa e inadmissível do poder público municipal, aquele agradável logradouro não mais que de repente virou um autêntico mercado persa, (temos coxinha, filhós, bombom, pastel, refrescos, charuto, sorvete, batata, refrigerantes, churros, sanduíches e uma gama infindável de outros), verdadeira torre de babel, um autêntico “beco-da-poeira”, sujo, feio, anti-higiênico, desorganizado e fedorento, onde a simples passagem do transeunte ficou seriamente comprometida, tal o enxame de “comerciantes” (?) que o emporcalham e às suas adjacências (sem se falar que a segurança naturalmente ficou seriamente comprometida).

Seria oportuno, pois, que o BlogdoCrato, com o respeito e a credibilidade que hoje detém, encetasse alguma campanha ou provocasse a manifestação de outros cratenses, visando convencer a Prefeitura da cidade a relocalizar tais “comerciantes” (?) num lugar mais adequado e apropriado, devolvendo a Praça da Sé à cidade e seus visitantes (não custa lembrar que o turismo é, hoje, uma autêntica e rentável indústria).

Afinal, a eleição já passou, o senhor prefeito foi reeleito e já não precisa “fazer média” com ninguém.

Por: José Nilton Mariano Saraiva

7 comentários:

  1. Prezado José Nilton
    A sua reclamação é procedente em número, gênero e grau, mas fique tranquilo, que a partir do dia 02/01/2009, o sr. prefeito eleito ( dr. Samuel )vai dar início a tão sonhada reforma da praça, como também disciplinar a questão dos ambulantes.


    Heladio duarte

    ResponderExcluir
  2. Prezado José Nilton
    A sua reclamação é procedente em número, gênero e grau, mas fique tranquilo, que a partir do dia 02/01/2009, o sr. prefeito eleito ( dr. Samuel )vai dar início a tão sonhada reforma da praça, como também disciplinar a questão dos ambulantes.


    Heladio duarte

    ResponderExcluir
  3. A economia e o mercado de trabalho do Brasil n está lá essas coisas no entanto as pessoas tem q e virar como podem p sustentar suas familias aumentando muito o trabalho informal como o de ambulantes e vendedores de lanches em barracas. Mas Sr. José Nilton tem certa razão, pois a praça da Sé é um dos cartões postais da cidade de Crato então o poder publico pode dar alguma alternativa n apenas retirar as barracas mas sim padronizar e locar em um lugar especifico p elas ao lado da praça pois os frequentadores tbm se beneficiam c as barracas. Esse é um problema q todos os frequentadores discutem principalmente pelo risco q algumas barracas oferecem como tachos de óleo quente próximo as pessoas e fios passando por todo lado pela praça. Não sou d acordo de apenas tira-los e sim de reloca-los e organiza-los.

    ResponderExcluir
  4. Um pouco da alma do Crato está na Praça da Sé. Não consigo, apesar das reclamações, vislumbrar aquele espaço, sem a presença de pessoas maravilhosas como Dona Noemia e Dona Luzanira.
    Uma solução inteligente precisa ser rascunhada, sem transformar a praça no entanto, num cemitério entregue às moscas, e aos desocupados.

    ResponderExcluir
  5. Glória Pinheiro disse;

    Senhor José Nilton,
    embora resido distante, não sou eleitora em Crato, mas me senti no dever de dar meu grito de alerta quando algumas semanas atrás me dirigi ao blog oficial do Crato solicitando que tomem providências quanto a limpeza das ruas da cidade. Não vejo uma fotografia e slide sequer que não apareçam as ruas mal cuidadas. Este problema é antigo. Lembro de um primo de meu pai ao visitar o Crato após muitos anos ausente, reclamar da sujeira das ruas. Muito oportuno e necessário seu texto. Obrigada.

    Senhor Heládio Duarte,
    pelo que pude observar em 2004, quando estive pela última vez em Crato, a Praça da Sé não requer reformas. Ela necessita de cuidados/limpeza e muita disciplina por parte do povo. Que o Legislativo crie Leis que coloquem ordem na cidade. Multas nos infratores!!!
    Ao invés de "reformarem" a praça, nos mesmos "moldes" de prefeitos anteriores, por que a prefeitura não recicla água e faz aquisição de caminhões pipas?
    Lavem a cidade!!!
    O povo mais consciente agradece como também o Turista vai levar boa imagem da cidade.
    Desculpe meu desabafo.
    Glória

    ResponderExcluir
  6. Aqui vai nossa sugestão:
    Fazer um calçadão entre a praça e o predio da diocese( doado pela prefeitura, antiga biblioteca municipal).
    Naõ atrapalhava em nada e abria um espaço para todos os vendedores ambulantes. Pois a praça precisa de pipocas, balas, cafezinho etc para seus frequentadores.
    Mãos a obra....

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.