12 outubro 2008

Onde fica o cemitério dos Deuses mortos ?



Algum enlutado ainda regará as flores de seus túmulos?


Houve uma época em que Júpiter era o rei dos deuses, e qualquer homem que duvidasse de seu poder era ipso facto um bárbaro ou um quadrúpede. Haverá hoje um único homem no mundo que adore Júpiter?E que fim levo Huitzilopochtli? Em um só ano – e isto foi há apenas cerca de quinhentos anos – 50 mil rapazes e moças foram mortos em sacrifício a ele. Hoje, se alguém se lembra dele, só pode ser um selvagem errante perdido nos cafundós da floresta mexicana.Falando em Huitzilopochtli, logo vem à memória seu irmão Tezcatilpoca. Tezcatilpoca era quase tão poderoso: devorava 25mil virgens por ano. Levem-me a seu túmulo: prometo chorar e depositar uma couronne des perles. Mas quem sabe onde fica? (...)Arianrod, Nuada, Argetlam, Morrigu, Tagd, Govannon, Goibniu, Gunfled, Odim, Dagda, Ogma, Ogurvan, Marzin, Dea Dia, Marte, Iuno Lucina, Diana de Éfeso, Saturno, Robigus, Furrina, Plutão, Cronos, Vesta, Engurra, Zer-panitu, Belus, Merodach, Ubililu, Elum, U-dimmer-an-kia, Marduk, U-sab-sib, Nin, U-Mersi, Perséfone, Tammuz, Istar, Vênus, Lagas , Belis, Nirig, Nusku, Nebo, Aa, En-Mersi, Sin, Assur, Apsu, Beltu, Elali, Kusky-banda, Mami, Nin-azu, Zaraqu, Qarradu, Zagaga, Ueras.Peça ao seu vigário que lhe empreste um bom livro sobre religião comparada: você encontrará todos eles devidamente listados. Todos foram deuses da mais alta dignidade – deuses de povos civilizados –, adorados e venerados por milhões. Todos eram onipotentes, oniscientes e imortais. E todos estão mortos.”


H. L. Mencken

3 comentários:

  1. Vote! Nunca vi tanto nome feio.
    E olhe que sou um saudosista roxo, e tenho cá as minhas verdades para tanto, embora respeite com a mesma intensidade as verdades dos que não são. Quando tomo umas cervejas, como agora, a saudade vai longe. Mas nunca ouvi esse nomes lá "in nois". Dr. Flavio, veja esta historinha de 1969. Éramos colegas no Colégio Estadual Eu, você, e os irmãos Pedro e Luis Antonio Arraes Feitosa, de Aiuaba, e outros tantos amigos. Hoje o Dr. Luis Antonio é engenheiro em Recife, Dr. Pedrinho é um dos maiores cirurgiões do Brasil, já você, Dr.Jose Flavio dispensa qualquer comentário, todos conhecemos muito bem o seu talento e por fim sua nobreza. Já anda até negando as ligações com a Raja-Alegre e "espaiando" que é de Matozinho. Pois bem, Naquela época a viagem para Aiuaba tinha uma escala em Iguatu. Certa vez, por falta de transporte, Pedro e Luis Antonio esperaram de um dia para outro na casa do nobre casal Vicente Vieira e Dona Senhorinha. Quase perderam a semana santa. Seu Vicente perguntou: O Vieira mandou uma encomenda para mim? Responderam-no: não! Muito bem, de volta seu Vicente entregou um bilhete para o Vieira. Os meninos trouxeram fechadinho talqualmente haviam recebido. Quando Vieira abriu estava metrificado:

    Tatu de formigueiro,
    Cavalo foveiro.
    E, piqui de Vieira,
    O diabo que queira.

    Vieirinha reagiu, ao insulto do pai, pegou uma Chevrolet que Jose do Vale possuía foi à chapada do Araripe encheu de piqui e mandou para o Iguatu com a recomendação de aguardar a meia noite e colocar a ruma por fora, mesmo na porta da casa de seu Vicente Vieira. Pois bem, quando seu Vicente se levantou para ir comprar o pão, meteu a chave na fechadura e puxou a porta, arreou o monte de piqui por cima causando-lhe o maior susto.
    Esses Vieiras são assim: tal pai, tal filho e tal Neto.
    Eu sei onde fica o cemiterios desses. Fica no meu coração.

    Um abraço, Velho.

    Antonio Alves de Morais.

    ResponderExcluir
  2. Caracas, não consegui ler nem os 2 primeiros. Além do mais, vendo essas 25.000 virgens, que maravilha!! A patroa deveria e vai ler essa mensagem...rsrsrs pra ir se acostumando. Estamos longe do Recorde...

    Abraços por trazer tão excelente texto, Zé Flávio.
    Devo ir lá pelo consultório em breve. Vou ver se te levo um negócio que tem aqui.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  3. Esse texto é excelente. Hoje chego à conclusão que não basta ser ateu, é preciso produzir contestações que ponham a prova toda fé humana no sobrenatural e que sirvam de herança às gerações futuras. Devemos isso às nossas crianças e ao futuro. Queremos um futuro humano, não um futuro divino!! Abrçs.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.