16 setembro 2008

Santuário recebe título de Basílica Menor

MARCO HISTÓRICO

Clique para Ampliar

Romeiros de várias cidades do Estado participaram da missa de oficialização da Igreja Matriz de Juazeiro do Norte como Basílica Menor, na manhã de ontem (Foto: Thiago Gaspar)

A umbrella, símbolo semelhante a um guarda-chuva, foi colocado do lado esquerdo do altar com as cores do vaticano

Juazeiro do Norte. O Santuário de Nossa Senhora das Dores, em Juazeiro do Norte, recebeu o título de Basílica Menor, do núncio apostólico, dom Lorenzo Baldisseri, representante do papa no Brasil. A celebração aconteceu na manhã de ontem, com a presença de bispos, padres e várias autoridades políticas. Ao meio-dia foi realizada a despedida do romeiro, além da procissão de encerramento da festa da padroeira de Juazeiro, a Mãe das Dores, no final da tarde, com cortejo, pelas principais ruas do centro e adjacências, da imagem da santa, acompanhada por milhares de fiéis de várias cidades.

A romaria, considerada a segunda maior do ano, foi iniciada no último dia de agosto, com a presença de cerca de 500 mil pessoas, conforme estimativa da própria igreja. O governador do Ceará, Cid Gomes, esteve presente e anunciou a retomada, após repasse da obra para a construção do Centro de Apoio ao Romeiro, do município para o Estado.

Um momento de aproximação da igreja católica com o Vaticano. Essa foi a forma que o bispo Diocesano do Crato, dom Fernando Panico, falou da importância da conquista do título de Basílica Menor. Segundo o núncio Apostólico, dom Lorenzo Baldisseri, são pouco mais de dez templos no Brasil com essa titulação. Ele, representante do papa, se autodenomina como um romeiro, por também ser um caminhante dentro de sua missão como embaixador da autoridade maior da Igreja Católica.

O bispo ressaltou o reconhecimento de Bento XVI em relação à conquista. “É uma benção do papa para todos nós. No final da celebração, foi lida mensagem da indulgência final, que é dada apenas nas basílicas. A umbrella, símbolo semelhante a um guarda-chuva, foi colocado do lado esquerdo do altar com as cores do vaticano e do lado de fora várias bandeiras anunciam para o povo a conquista da elevação à Basílica. Também foram colocados símbolos e brasões, usados pelo papa e o bispo, dentro e na fachada da igreja.

Celabrações

Segundo o administrador da Basílica, padre Paulo Lemos, as celebrações sempre estarão a partir de agora ligadas à Roma, no que diz respeito aos horários e também às datas comemorativas. Essa importância da aproximação traz à tona a questão do reconhecimento da igreja e um empenho maior pela reabilitação do padre Cícero Romão Batista.

A questão foi citada pelo núncio apostólico, mas ele não chegou a mencionar tempo determinado para esse reconhecimento, mas que os estudos continuam sendo feitos em relação ao sacerdote. O bispo dom Panico fez um agradecimento inicial ao papa Bento XVI pela resposta ao seu pedido da vinda da Basílica. Em seguida foi lido o decreto, com protocolo sob o número 2.44502/1, em que ressalta a súplica do bispo do Crato, em novembro de 2002.

Durante a missa, presidida pelo embaixador do papa, ele citou a consciência e o valor da dignidade do templo como espaço sagrado, que está no segundo Testamento e destacou a Basílica de Nossa Senhora das Dores para Juazeiro, numa íntima comunhão com o papa bento XVI. No mundo existem apenas quatro basílicas maiores, a maior parte delas em Roma, a exemplo das de São Pedro e São Paulo.

Peregrinação

Dom Lorenzo ainda reconheceu Juazeiro como grande centro de peregrinação e espiritualidade, onde milhares de pessoas são fortalecidas na sua fé e continuam a buscar o caminho da santidade. Nesse momento, ele destacou a análise dos documentos do padre Cícero que está sendo feita em Roma, por parte das instâncias competentes da igreja. “Trata-se de um processo demorado, devido à cumplicidade do personagem e do momento histórico que ele viveu”, explica.

Lorenzo Baldisseri admite que a proximidade maior do bispo Diocesano vem auxiliar no processo de reabilitação do padre Cícero. Ele destaca a fé profunda dos nordestinos, ao percorrerem lugares de peregrinação como Juazeiro do Norte, Nosso Senhora do Bonfim e Bom Jesus da Lapa.

Todo um trabalho para receber a Basílica foi realizado pela igreja Católica, por meio da Diocese do Crato, como forma não apenas de preparar os romeiros e os juazeirenses. Panfletos e textos explicativos foram distribuídos, por haver algumas mudanças no próprio ritual de celebrações. Padre Paulo Lemos afirma que vem realizando estudos para se adequar às novas mudanças.

O tema deste ano da romaria da Mãe das Dores esteve voltado para o resgate histórico da igreja, desde o momento em que se tornou capela. A cidade nasceu em torno da fé à santa. A igrejinha se tornou matriz, passou a santuário e agora é Basílica. No mundo são inúmeras igrejas com essa denominação e uma das razões é por ser local importante de peregrinação. O bispo dom Panico, ao agradecer ao papa a conquista do título, destacou a vinda anual a Juazeiro de pelo menos 2 milhões de romeiros. São vários pontos de visitação. Dos templos mais visitados está a Basílica. A Igreja é a mais importante da Diocese.

PROMESSA
Obras do Centro de Apoio ao Romeiro serão retomadas

Juazeiro do Norte. Além das autoridades eclesiásticas, estiveram presentes à celebração solene de elevação do Santuário à Basílica, o governador do Estado, Cid Gomes, e o prefeito de Juazeiro, Raimundo Macedo. Na ocasião, o governador, ao cumprimentar o representante do papa Bento XVI, ressaltou a importância do título e o reconhecimento à fé romeira. Ele também anunciou a retomada da obra do Centro de Apoio ao Romeiro, a partir do repasse pelo município, ao Estado.

O valor investido na conclusão do anfiteatro, para mais de 10 mil pessoas, a praça e área dos 1200 boxes equivale a R$ 9 milhões, conforme o governador. Ele acrescenta que desse valor, cerca de R$ 8 milhões serão investidos por meio de verba incluída no orçamento federal, por meio de emenda parlamentar do deputado federal Ciro Gomes, e o restante, equivalente a R$ 1 milhão, será completado pelo Estado.

A edificação maior, que circunda todo o anfiteatro, será outra etapa a ser concluída pelo governo. A idéia é construir um Ciops e uma escola de formação na área de designers de calçados. A idéia inicial, desde o início da obra, era tornar o centro administrativo do município. O governador se declara um admirador da fé romeira e respeita a manifestação da cultura popular. A obra do Centro de Apoio aos Romeiros, durante a administração atual, chegou a ser paralisada várias vezes e o local se tornou ponto de usuários de drogas, prostituição, aumentando a periculosidade do local.

Mais informações:
Secretaria de Matriz
Rua Padre Cícero, 147
(88) 3511.2202
Sec. de Turismo e Romaria
(88) 3511. 4040

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter

ENQUETE
O que representa a instituição da Basílica?

João Carlos Meneses
Radialista de Juazeiro do Norte

A Basílica representa o reconhecimento da romaria de Juazeiro do Norte, feita pelo padre Cícero.

Luiz Carlos Moisés
Romeiro estudante

É um reconhecimento da fé do nosso povo romeiro. O Santuário conquista esse título graças a nós romeiros.

Dom Fernando Panico
Bispo da Diocese do Crato

Representa a fé do povo da Igreja Católica e a continuidade dos estudos para o reconhecimento do Padre Cícero.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.