26 setembro 2008

O Pensamento do Dia - Paixão e Amor - Haroldo Ribeiro

Acima: Dr. Haroldo Ribeiro: Músico, filósofo, médico.

PAIXÃO E AMOR

Ao procurar emoções, encontram-se razões, que são os correlatos da paixão e do amor. A paixão precisa chegar, nem que seja tardiamente, de uma forma inesperada, sem querer. Aí sim, ela chega com tanta força que é quase impossível resistir. O ideal seria que surgisse no transcurso do amor, que é o bem querer, a afinidade, a cumplicidade, a dedicação, o carinho, o compromisso e a transparência.

A paixão só nos leva a atitudes que soam como devaneios de um lunático, ela é passional, o amor não; é racional e compreensível. A paixão é radical, só cria expectativas utópicas ótimas ou péssimas em sua total plenitude. O leque que envolve o amor é só compreensão e dedicação.
Na paixão nasce o desejo de não morrer nunca, ou de morrer logo, em consonância direta com o estado de espírito em que se vive. Mas de que vale a vida sem sentir ou despertar paixão?
É importante saber que o amor é eterno, e que a paixão efêmera, por isso, ela deve ser entendida como “momentos”, vividos de uma forma intensa, senão ninguém resistiria tanta impulsividade sem o interlúdio da ternura e a compreensão do amor. Toda paixão sem o aval do amor é “mal resolvida” e foge das belas expectativas numa vergonha perpétua, em se falando de amor surge uma pergunta que intriga; “quem deveria ser o mais importante : Amor? O primeiro? O mais intenso? Ou o último?”

Portanto, viva “um grande amor” entrelaçado por impulsos de “uma grande paixão”.

HAROLDO RIBEIRO

Fortaleza, 24 de setembro de 2008
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.