14 abril 2008

Cuidado com a onda de Macartismo que invade o Blog do Crato ! - minha opinião sobre as postagens recentes. - Por Dihelson Mendonça


Acima: Foto do temido senador Joseph McCarthy, um tirano que levou dezenas ou centenas de pessoas pra cadeia por "suspeita" de ser comunista em meados do século XX. Diversos filmes foram produzidos que retratam essa era que muito envergonha a humanidade.

Macartismo.

Quem sabe um pouquinho de história, já deve ter ouvido falar em Macartismo.
O macartismo é um termo que descreve um período de intensa patrulha ideológica horrenda, que floresceu nos Estados Unidos em meados do século XX, promovida pelo senador Joseph McCarthy, que odiava os comunistas e promoveu uma intensa caça às bruxas acusando, forjando provas e levando pessoas para os tribunais e para as cadeias.

Estou vendo uma tendência de macartismo aqui no Blog do Crato faz tempo, em comentários que falam mal desde Fidel Castro e o "comunismo" comedor de criancinhas, Che Guevara e outros. É preciso que a gente tenha muito cuidado com o que escreve... É preciso que nos debates, nós possamos ser racionais, e não precisar atacar as pessoas pelo fato de um ou outro defender um regime de governo. Isso é o que caracteriza o estado democrático. Aqui nunca se falou mal do nosso grande amigo ARMANDO RAFAEL por este defender a MONARQUIA. Porque razão iremos detonar o membro Darlan que como o Tarso Araújo, também faz parte da nossa rede de Blogs pelo fato de ele ter um retrato de Fidel ou de Che Guevara na parede ? Digam no seu bom-senso: vcs não acham que isso é apelativo e patrulha ideológica? Se o Darlan tem alguma culpa nas administrações da URCA, que se fale em termos dos erros cometidos lá na URCA, com provas, mas sem essa de querer incriminar uma pessoa por aquilo que ela acredita, por ideologia ou por um retrato de Fidel ou Guevara.

Qual o problema em ser Comunista, Socialista, Capitalista ?
Eu por exemplo, adoro o governo LULA, e daí ?
Odeio FHC, e daí ?
Não sou filiado a nenhum partido, tenho amigos no PSDB, qual o problema ?
É preciso que ao se escrever uma matéria, não se confundam nossos ódios pessoais com o que é fato e com o que é fantasia. E creio que no estado democrático e IMPARCIAL, deve-se ter em mente uma palavra importante:

TOLERÂNCIA.
Acima: Foto do odioso Edgar Hoover - O mais famoso chefe do FBI. Caçador de comunistas.

A falta de tolerância é o grande mal da humanidade.
Podemos travar grandes batalhas no campo das idéias sem precisar agredir as pessoas.
Não vamos aqui dar uma do odioso império de Edgar Hoover à frente do FBI, nem do senador Joseph McCarthy. Aquele tipo de caça ideológica é abominável. Acho odioso também quando alguns me criticam por ter amigos em vários lados. Sou amigo, por exemplo de Mônica Araripe, e estou sabendo que há um cidadão da URCA que se treme todo quando eu a chamo de "princesa". Eu consigo ver as pessoas antes de tudo, como seres humanos. Não me interessa se pertencem a partidos políticos. O que importa, minha gente, são as amizades e o bem-comum. Gostaria tanto que alguns pudessem entender isso. Talvez a gente pudesse construir um mundo melhor, sem Macartismo, sem Stalinismos, sem ISMOS e KISMOS...

Abraços, e PAZ.

Pra quem não sabe o que é Macartismo, aqui está um texto sobre o assunto:

Macartismo (em inglês McCarthyism) é o termo que descreve um período de intensa patrulha anticomunista nos Estados Unidos que durou do fim da década de 1940 até meados da década de 1950. Foi uma época em que o medo do Comunismo e da sua influência em instituições estadunidenses tornou-se exacerbado, juntamente ao medo de ações de espionagem promovidas pela União Soviética. Originalmente, o termo foi cunhado para criticar as ações do senador estadunidense Joseph McCarthy, tendo depois sido usado para fazer referências a vários tipos de condutas, não necessariamente ligadas às elaboradas por McCarthy.

Durante o Macartismo, muitos milhares de estadunidenses foram acusados de ser comunistas ou filocomunistas, tornando-se objeto de investigações agressivas. A maior parte dos investigados pertencia ao serviço público, à indústria do espetáculo, educadores e sindicalistas. As suspeitas eram freqüentemente dadas como certas mesmo com investigações baseadas em conclusões parciais e questionáveis, além da magnificação do nível de ameaça que representavam os investigados. Muitos perderam seus empregos, tiveram a carreira destruída e alguns foram até mesmo presos. A maioria das punições foi posteriormente ilegitimada por veredictos dos judiciais.

O Macartismo realizou o que alguns denominaram "caça às bruxas" na área cultural, atingindo atores, diretores e roteiristas que, durante a guerra, manifestam-se a favor da aliança com a União Soviética e, depois, a favor de medidas para garantir a paz e evitar nova guerra. O caso mais famoso nesta área foi Charlie Chaplin.

A "caça às bruxas" perdurou até que a própria opinião pública estadunidense ficasse indignada com as flagrantes violações dos direitos individuais, graças em grande parte à atuação do jornalista Edward R. Murrow na rede estadunidense de televisão CBS, o que levou McCarthy ao ostracismo. Ele morreu em 1957, já totalmente desacreditado.

Fonte sobre o texto do Macartismo: Wikipedia - A Enciclopédia virtual.

Por: Dihelson Mendonça
.

6 comentários:

  1. Dhielson, concordo contigo mais uma vez. E a URCA está aberta para quem quiser ver o que é feito lá.
    Estou á disposição de qualquer um para conversar e mostrar os projetos e ações.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Dihelson: eis uma postagem de notivagos. Meia noite e seis minutos e estamos aqui de frente desta tela luminosa. Mas, também, uma postagem que faz parte do diálogo e da moderação. O diálogo evoluiu ao longo do dia. No início até que tua veia de compositor tentou criar uma melodia. No alto da noite, dado que a sinfonia já andava pelo quinto andamento, retornaste ao início do tema composto. Ou seja a orquestra volta a ter sentido, mesmo que em uma dodecafonia que tanto incomodou o Valdir. Agora um dado: o maestro continua mercurial com quem lhe provoca os brios. Como observador de um tempo maior, mesmo sem perder seus traços essenciais, vi que alguns maestros passaram a usar os brios em sustenido para que as notas à sua direita subissem um semitom.

    ResponderExcluir
  3. Deves ter razão, meu caro José do Vale. O homem é como o cobre. Embora se possa revesti-lo de capas plásticas de cores distintas, este nunca perderá as características de ser cobre.

    Mas resta a cada um dar o melhor de si neste mundo, e de polir-se com o tempo, trabalhando o seu metal interior. Alguns são mais felizes nisso, outros nem tanto, mas sempre tentando acertar. E os que nem tentam ? Ser moderador é uma arte difícil, um exercício de paciência, que acredito me vem na vida em boa hora. na hora exata em que preciso ser uma pessoa melhor.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  4. (Edgar Hoover também caçava gangsters, uma coisa boa não?)

    Concordo com Dihelson, mas só uma pequena observação sobre esse tal de Macartismo: existe tanto de um lado como de outro. Se existe intolerancia para com a esquerda, o comunismo, também existe deste em relação a quem é contra (imagine eu andando por aí elogiando FHC, certamente seria apedrejado). É como se quem não gosta de Che Guevara - sim, nem todo mundo gosta, eu incluso - fosse um herege, ou um estúpido.

    Agora, o pior é quando essa disputa ideológica se afasta da realidade, e aspecos práticos da nossa vida são esquecidos. Por exemplo, é muito mais importante saber o que Darlan faz na Urca do que discutir o time que ele torce ou o quadro de Che Guevara na parede, escolhas dele.

    Nessa discussão toda Darlan se mostrou muito mais ponderado. Pra mim foi Darlan 1 x 0 Tarso. O primeiro chute do Tarso foi na trave, e Darlan no contra-ataque marcou.

    Dihelson, só uma observação, ao citar um texto da WIKIPÉDIA, por favor cite a fonte, o link para quem quiser saber mais a respeito. A Web é feita de links e o trabalho de tanta gente alimentando de graça a Wikipedia deve ser valorizado.

    ResponderExcluir
  5. Olá, valdir.
    Bem lembrado sobre a Wikipedia. Foi esquecimento na edição, pois retira-se o texto e passa-se para o bloco de notas. Estou editando o tópico. Até porque sendo da Wiki, dá mais credibilidade.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  6. Valdir, terei o maior prazer em mostrar o meu trabalho na URCA, não só como Chefe de Gabinete mas também em outras funções que ocupo e que não são remuneradas, tais como a Coordenação do Centro de Documentação e Pesquisa Histórica - CDPH e a Coordenação da Especialização em História Social,que é o único curso gratuito de especialização da região do Cariri e a qual eu sou o coordenador.
    Obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.