27 março 2008

Uma semana santa que não seja de mentira


Passei a Semana Santa no Crato, uma cidade do Ceará próxima a Juazeiro do Norte, que ainda celebra os rituais da Paixão e Ressurreição de Cristo, como se estivéssemos na Idade Média. O Crato possui bispado e já foi a mais importante cidade cearense. Há algum tempo perdeu o prestígio para a vizinha Juazeiro, que ganhou fama e prosperidade por causa do Padre Cícero Romão Batista, o Padrinho Ciço.

Numa pesquisa realizada durante a primeira visita do Papa João Paulo II, ao Brasil, descobriu-se que o Ceará era o estado com maior número percentual de católicos praticantes. A julgar pelo que vi agora, a pesquisa não errou. A Via Sacra e a procissão do Senhor Morto foram acompanhadas por milhares de fiéis, que nem cabiam na Igreja Matriz do Crato. Ninguém se queixava nem arredava pé das cerimônias litúrgicas que duravam até mais de cinco horas. E no Juazeiro do Norte, chegavam centenas de carros cheios de romeiros, que vinham celebrar o Padrinho e a Mãe das Dores, com louvores populares e simples.

A Igreja continua apostando na força do teatro que encena. E na tirania do pecado e da culpa com que ameaça os fiéis. Nas cidades cearenses de Barbalha, Missão Velha e Várzea Alegre ainda se encontram grupos de penitentes vestidos de opas negras e capuzes cobrindo os rostos, que se fustigam com lâminas cortantes, até sangrar. Mas os penitentes já não se cortam tanto, não escondem a identidade como no passado e gostam de ser filmados pelas câmeras de televisão. Praticam o costume da penitência muito mais por um hábito cultural estimulado por prefeituras e instituições folclóricas, do que por fé religiosa. Embora afirmem o contrário, na frente dos microfones.

Os padres e bispos da Igreja do Crato rechearam os sermões da Semana Santa com pedidos pelos marginalizados, crianças abandonadas, doentes e explorados. No papado de João XXIII surgiu a Teologia da Libertação e a opção pelos mais pobres, que aproximou um segmento da Igreja Católica da política de esquerda. Com João Paulo II, o clero liberal foi para escanteio, e Bento XVI reafirmou uma Igreja mais preocupada com as questões da alma. O novo papa condenou com mais veemência o controle da natalidade, o aborto, as pesquisas genéticas e os casamentos entre homossexuais.

No Ceará, são alarmantes os índices de prostituição infantil e de adolescentes. Fortaleza é um dos principais endereços do turismo sexual. Também é altíssimo o número de menores gestantes, usuários de álcool e drogas. A maioria das cidades sertanejas tem baixo IDH e baixa escolaridade. Mas a Igreja Católica ataca os métodos anticoncepcionais - o uso de preservativos, de pílulas e dispositivos intra-uterinos - como se fossem pecados infernais. Finge ignorar que um dos maiores dramas da pobreza são os filhos indesejados. Em nome do direito à vida, deixa que proliferem vidas miseráveis.

O hino mais cantado na Via Sacra tinha o seguinte refrão: "Eu vim para que todos tenham vida, que todos tenham vida plenamente". O "eu vim" se refere a Jesus Cristo. Não sei a que plenitude a Igreja se refere. À do espírito? É possível a plenitude do espírito pela simples representação do cerimonial? Os escândalos com padres pedófilos apontam para uma ausência de plenitude amorosa dos sacerdotes. Atacando o casamento homossexual a Igreja Católica faz vista grossa aos padres gays. Para que todos tenham vida plena, é preciso acabar com o celibato, celebrar casamentos heterossexuais e homossexuais. Talvez, assim, os rituais se tornem menos teatro e mais vida.


Ronaldo Correia de Brito é médico e escritor. Escreveu Faca e Livro dos Homens.Colunista do Site Terra Magazine

ronaldo_correia@terra.com.br

6 comentários:

  1. ...................................
    ...................................

    TÔ FORA

    Virou moda – nas últimas semanas – utilizarem este blog para atacar a Igreja Católica!
    Mas como? Atacar doutrinas religiosas em pleno século XXI?
    Pois sim!
    Este rumo adotado é, inclusive, inconstitucional, cfe. Art. 5º da Constituição brasileira. Além de se constituir num desrespeito à maioria dos que acessa este blog, professantes da fé católica.
    Nem a Igreja Universal do Edir Macedo ousaria tanto...
    Uma verdadeira campanha pré-conceituosa e orquestrada vem sendo feita de forma desrespeitosa, agressiva, tola, fátua e ignorante contra a igreja católica.
    Cheguei á conclusão de que os ataques iniciais, assacados contra a respeitável figura do bispo de Barra (BA), dom frei Luiz Flávio Cappio era apenas a “senha”, a desculpa para detonar a campanha. O alvo-fim já era a Igreja Católica...
    Tentar defende-la – em comentários neste blog - seria burrice inútil.
    O objetivo dos detratores não é procurar a verdade. É dar vazão ao seu ódio contra a doutrina católica, por motivos os mais diversos.
    Cansei!
    Portanto, a partir desta data, sou mais um a dizer: TÔ FORA.

    ResponderExcluir
  2. TÔ DENTRO

    Como é que o Sr. Armando sabe que a maioria dos que acessam este Blog são "seguidores" da "fé" católica??
    E se for? A minoria não pode falar? só deve comungar?

    Na verdade, o que consta é um autêntico desespero por conta dos escândalos no âmago da batina e da fuga crescente dos católicos para outras religiões.

    O que devemos é respeitar a todos - não interessa a cor, credo e simpatias.
    Isto sim, está na Constituição.

    TÔ DENTRO e parabéns ao Blog.

    ResponderExcluir
  3. Esclarecendo o meu comentário anterior:
    Quando fiz referência à cor, credo e simpatia, leia-se: cor da pele, credo religioso e simpatia sexual.

    Grato.

    ResponderExcluir
  4. Meu caro Armando,

    Me surpreende a sua atitude. Uma pessoa com o seu nivel de conhecimento não pode se dobrar à falta de argumentos. Seria uma perda para o nosso Blog.
    Se a Igreja sofre "ataques" é porque existe motivos. Melhor seria você argumentar e apontar os erros na cronica de Ronaldo Brito ou na opinião de outro comentarista do Blog.
    Fique. O debate é importante.
    Um abraço
    Dedê

    ResponderExcluir
  5. Meu querido Armando,
    Quantas vezes nos sentimos ofendidos quando as pessoas atacam exatamente naqueles assuntos que temos nossa convicção...

    Mas a vida na internet é assim. A convivência harmoniosa com todos os pensamentos discordantes. Quantas vezes ao longo dos anos de internet eu me meti em debates acalorados, polêmicos e saí gritando com tudo e com todos...

    A atitude de "Tô fora" já me veio à mente inúmeras vezes, quantas vezes, e o que posso dizer é que nesses casos eu estava a fugir do problema, e dando demasiada importância ao que as pessoas dizem.

    Olha, tem um ditado interessante, que diz que "se alguém te diz algo que te deixa indignado com quem falou, é porque alguma coisa naquele pensamento procede." Porque quando temos nossa plena convicção das coisas, nada que as pessoas falem sobre certos assuntos podem nos abalar. Porque aquilo que acreditamos provém de uma profunda reflexão e conclusões.

    Olha, tem muita coisa que eu vejo as pessoas escrevendo que eu simplesmente ignoro, apenas quando é possível e interessante o debate é que estou entrando.

    De modo que lhe peço que fique conosco, porque vc é uma pessoa muito especial, e não está aqui por acaso. Foi garimpado, na realidade.

    E sobre os ataques à Igreja Católica de alguns, inclusive meus, não precisamos nos preocupar, porque você é um grande advogado e pode debater perfeitamente. Até porque se não tivermos ninguém para confrontar as idéias, como se realizaria o debate, se fosse tudo unanimidade ??

    Um grande abraço.
    Fique conosco.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  6. Caro Armando,

    Postei o artigo do Ronaldo Brito e concordo plenamente com ele. Respeito sua atitude, pois o sei católico de carteirinha. Mas temos que conviver com as diferenças. Quantos aguentaram quando vc malhou o pau no Lula e no Fidel ( para muitos este último é um mito, um santo e precisamos respeitar a crença daquelas pessoas).Vi também muitos malharem o pau nos evangélicos e não houve tanta polêmica, você inclusive, no seu texto, cita o Edir Macedo de forma pejorativa. Não devemos respeitar também aqueles que crêem na Universal ? A pluralidade de credo não é assegurada pela Constituição ? Quanto ao artigo do Ronaldo, ele sequer sabe que copiei do site Terra Magazine onde ele é colunista e colei no blog, aliás como venho fazendo quase toda semana. Escritor caririense, hoje de nome nacional, acredito quer ele tem o direito sagrado de expressar aquilo que pensa. Ele não teria assim como participar de uma alegada campanha orquestrada contra a Igreja Católica. A dialética é que oxigena as idéias, o mais é absolutismo, como aliás já existiu em tantas monarquias mundo afora.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.