15 março 2008

Apicultores de Picos entram com Representação - Por: João Batista de Barros


Ao Ministério Público Federal
Procuradoria da República no Município de Picos - PI
Picos (PI)
Assunto: Representação (Faz)

Nós, abaixo assinado do Movimento Popular de Apicultores da Grande Picos, vimos através desta representação relatar, denunciar e questionar a situação em que se encontra a nossa atividade e Ao Ministério Público Federal (1)
Procuradoria da República no Município de Picos - PI
Picos (PI)
Assunto: Representação (Faz)

Nós, abaixo assinado do Movimento Popular de Apicultores da Grande Picos, vimos através desta representação relatar, denunciar e questionar a situação em que se encontra a nossa atividade e de modo especifico a vida do apicultor, ao tempo em que solicitamos providencias naquilo que for de competência deste órgão a curto, médio e longo prazo.

Relato:

Nós, apicultores, estamos vivendo na pele uma crise que nos deixa desencantados, decepcionados, desamparados e isolados do acesso a novos créditos do FNE (Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste) e outros créditos por conta da inadimplência, conseqüência de vários problemas, como fenômenos da natureza, queda de preços e perseguições, travando assim o direito a inovar, renovar e investir para continuar crescendo na atividade. Estamos asfixiados, morrendo à mingua, dando os últimos suspiros como se fossemos impotentes. O contrario do que se vê na mídia e no marketing daqueles que nos usam para “promover a apicultura”, mas por trás disso há uma outra realidade, outros interesses, e não a vontade em ajudar o apicultor nas suas necessidades elementares, sempre ficamos a ver navios. Sabemos que os recursos existem, vem muito dinheiro para investir na apicultura, mas nós apicultores não estamos tendo a oportunidade clara, ampla, e transparente para aperfeiçoar nossa atividade através dos recursos federais. O que estamos vendo e vivendo é uma apicultura morta, se desfazendo dos bens adquiridos, como caminhão, barracões e colméias. Na tentativa de sobreviver à atividade, chegamos ao extremo de termos que vender parte das colméias habitadas para poder transportar de um local para outros as que sobraram. Isso é insuportável, é a nossa luta de anos, a nossa história que está sendo destruída por falta de justiça para dar sustentabilidade à atividade. O que nós queremos? Saber por que toda a cadeia produtiva da apicultura (bancos, governo, autarquias, marqueteiros, promotores dos eventos, diretores e presidentes das entidades que nos representam etc.) está muito bem às nossas custas, menos o apicultor?! Este ficou apenas na cadeia, preso às dívidas, ao isolamento, à tortura de não poder fazer novos investimentos, à triste humilhação de não ter condições de dar a devida assistência às suas abelhas, principalmente na hora “H “de migrar para o Maranhão, Ceará e Pernambuco! Saber quem está tendo privilégios, regalias, onde e como estão sendo aplicados os recursos federais da apicultura em nosso Estado, de modo particular em Picos, capital o mel.

Picos (PI) 29 de janeiro de 2008

João Batista de Barros

Movimento Popular de Apicultores da Grande Picos.
Av. Senador Helvídio Nunes de Barros, km 10.
Atenciosamente, nós abaixo assinado:

...
...
( assinaturas )

.

Um comentário:

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.