21 novembro 2007

OS FALARES CARIRIS REGISTRADOS EM CATECISMOS BILÍNGUES – TERCEIRA PARTE.




Os Cariris se confundiram muito com diversos grupos que se dispersaram pelo interior nordestino. Localizando-se no eixo Paraguassu e São Francisco, os Cariris foram em direção à bacia do Itapicuru, ocupando terras dos atuais estados da Paraíba, Pernambuco, Bahia e Ceará. A conservação de suas crenças dá conta que teriam vindo de um lago encantado da parte norte do país, podendo ser o Amazonas. Segundo Capistrano de Abreu, bordejando o litoral enfrentaram os tupiniquins e os tupinambás que os acossaram para interior no rumo oeste. Dos seus parentes os únicos que restaram no litoral foram os Tremembés que se especializaram em saquear embarcações aportadas no litoral.

Em relação aos povos mais andejos e coletores, os Cariris tinham uma agricultura mais desenvolvida, teciam e faziam redes de algodão e fabricavam cerâmica rudimentar, muito semelhante a de certas tribos do amazonas. Embora acossados pelos povos tupis que dominaram o litoral, os Cariris preferiam as regiões ribeirinhas e apenas se internam nas serras em situações de lutas desiguais. Foram identificados quatro dialetos distintos para os Cariris, sendo que dois deles ficaram registrados e comparados ao português.

O Ministério da Educação e Saúde, através da Biblioteca Nacional, publicou pela Imprensa Oficial, uma edição fac-simile do Cathecismo da Doutrina Christã da Língua Brasílica da Nação Kiriri, no ano de 1942. Foi à realização de uma promessa feita 60 anos antes, quando, em 1877, foi publicada a Arte da Grammatica da Língua Brasílica da Nação Kiriri. Ambas obras escritas pelo Padre Jesuíta Luis Vicencio Mamiani. Destaco a seguir: o autor, suas obras e datas.

Luis Vincencio Mamiani della Rovere nasceu em Pesaro, Itália em 20 de Janeiro de 1652. Era um homem da beira mar, sua cidade natal fica no Adriático, ao largo da rotas venezianas e de frente para a Croácia. Entrou na Companhia de Jesus na Província de Veneza no ano de 1668 e logo que se formou foi morar entre os Cariris. Em 1701 voltou para a Europa com procurador de sua missão e morreu em Roma em março de 1730.

O catecismo foi publicado em Lisboa na Oficina de Miguel Deslandes, Impressor de Sua Majestade no ano de 1698. Já a Gramática foi publicada do mesmo modo em 1699. O padre Mamiani realizou outras obras na Europa, como a tradução para a língua italiana dos sermões quaresmais do Padre Antonio Vieira, seis volumes, impresso em Roma e Veneza.

O catecismo levou tanto tempo para ser republicado devido á falta de um exemplar na Biblioteca Nacional. No entanto era uma obra de referência dos catálogos das grandes bibliotecas Européias, em Paris na Bibliotheque Américaine (1887), em Londres na The Literarute of american aboriginal languages (1858), Leipzig na Martius Beiträge zur Ethnographie und Sprachenkunde Amerika´s zumal Brasiliensis (1892). A contradição, não havia um único exemplar da obra em importantes bibliotecas da Europa, seja no British Museum e nem em Lisboa ou Paris. .

Como a obra chegou aos dias de hoje? Foi encontrada, em 1937, por Luiz Camilo de Oliveira Neto um exemplar do Catecismo na Biblioteca Nacionale Vittorio Emanuele (Fondo Gesuitico), na cidade de Roma. Posteriormente o nosso gênio pernambucano Josué de Castro (autor da Geografia da Fome) confirmou o achado e agiu no sentido que através do Ministro Gustavo Capanema fosse tirada uma cópia fotográfica e enviada ao Brasil.

Houve outro Catecismo em língua Cariri? Sim. Frei Bernardo de Nantes, capuchinho francês, publicou o Katecismo índico da Língua Kariri no ano 1709. E qual o motivo de outra publicação? É que se tem notícias de dois grupos aldeados, os Quiriris da Bahia no ano de 1650, pelos jesuítas, no caso o papel do Padre Mamiani e outros do São Francisco e Paraíba sob a cobertura do capuchinhos, daí Bernardo de Nantes. Acontece que se haviam obtidas diferenças de linguagem entre grupos cariris aldeados como citado, motivo pelos quais se publicaram dois catecismos para um mesmo povo.




Na introdução do catecismo de Bernardo de Nantes ele explica tal diferença: "Amigo leitor, te pareça ser obra inútil à vista de outra na mesma língua que poucos anos há saído à luz; porém se quiseres tomar o trabalho de combinar um com o outro, mudarás logo o parecer; porque verás que, como há na Europa nações de diferentes línguas, com terem o mesmo nome, assim também os há no novo Orbe, como são os Cariris do rio de São Francisco, chamados DUBUCUÁ, que são estes, cuja língua é tão diferente da dos Cariris chamados Kippeá, que são os para quem se compôs o outro Catecismo, como a língua portuguesa o é do castelhano, quer pela distância das paragens entre estas duas nações, que é de centos e tantas léguas, quer pela diversidade das coisas que cada terra cria, como são plantas, árvores, animais, pássaros, peixes, que pela maior são diferentes e pelo conseguinte o nome.
Sepultamento de Madre Esmeraldo

Na manhã desta 4ª feira, dia 21, a cidade de Crato presenciou uma das maiores exéquias dos últimos anos. Depois de missa na Catedral de Nossa Senhora da Penha - celebrada pelo bispo dioesano, dom Fernando Panico - foi sepultado no Cemitério Nossa Senhora da Piedade o corpo de Madre Esmeraldo. Cerca de duas mil pessoas acompanharam o enterro da religiosa, que era muito querida nesta cidade, mercê seu trabalho junto à pobreza do bairro do Seminário.

Abaixo, em foto de Antônio Vicelmo, Madre Esmeraldo aparece entre Telma Saraiva e Madre Feitosa. A foto foi feita em 2005, quando o pintor Edilson Rocha, fez entrega à Casa de Caridade de Crato, de uma tela retratando aquela instituição nos seus primórdios. A Casa de Caridade de Crato foi construída pelo Padre Ibiapina em 1868.

Clique para Ampliar



Clique na fotografia para vê-la maiorPadre José Antônio de Maria Ibiapina foi, sem dúvida, o maior missionário do interior do Nordeste. Em 12 anos de apostolado pelos sertões (1860-1872) ele construiu 22 Casas de Caridade (4 no Cariri cearense),10 na Paraíba, 2 no Norte do Ceará, 3 em Pernambuco e 3 no Rio Grande do Norte. A causa de beatificação do Padre Ibiapina encontra-se em estudo no Vaticano. Ele poderá vir a ser o primeiro cearense a ser declarado "Beato" (primeiro estágio para a canonização).

TVCrato - Entrevista com Wilton Dedê - Conferência Regional do Meio Ambiente .



Sexta-feira, dia 23 de Novembro, haverá no SESI - crato, a conferência regional do Meio Ambiente. Wilton Dedê está no Crato para facilitar a realização do evento.

Ele concedeu entrevista hoje à tarde para o Blog do Crato.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Semana da Consciência Negra - Grunec Convida

Clique para Ampliar:

Matéria enviada por Marciana Moraes.

.