04 junho 2007

O Nordeste Tá Cum Tudo !


31.5.07 [18h27]
Universidades públicas ganham das particulares na avaliação do MEC


Nas 15 áreas de conhecimento avaliadas pelo Exame Nacional de Desempenho (Enade) 2006, as universidades públicas são melhores que as particulares. Os resultados foram divulgados hoje (31) pelo Ministério da Educação.Segundo o presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, o bom desempenho das instituições públicas já é observado há algum tempo, desde a época do antigo Provão. “O que nós estamos mostrando agora, com o IDD, é que além de terem melhores alunos formados, as instituições públicas também agregam mais [conhecimento] que as privadas”.O IDD (Indicador de Diferença entre o Desempenho Observado e o Esperado) mostra a diferença entre o desempenho esperado e o alcançado na prova pelos formandos, revelando assim quanto conhecimento foi agregado. Varia de 1 a 5.Enade aponta que 10,2% das públicas tiveram nota máxima (5) - contra 5,6% das particulares - e 28,9% conseguiram 4 - contra 23,7% das particulares.O presidente do Inep destacou também que as instituições do Nordeste e do Sul continuam tendo as melhores notas, mas ponderou que isso não é novidade. “Já aconteceu no Enade passado e retrasado, então não é nenhuma surpresa”. Segundo ele, "a proporção de escolas federais de boa qualidade [no Nordeste] é maior do que, por exemplo, no Sudeste”.No Conceito Enade, que varia de 1 a 5 e avalia de forma conjunta o desempenho dos alunos ingressantes e concluintes, 21,2% dos cursos da instituições públicas alcançam nota máxima - contra 1,6% das privadas - e 33,1% tiveram 4 - contra 14,6% das privadas.O Enad avaliou mais de 386 mil alunos de 5.071 cursos que englobam 15 áreas de conhecimento em 1.600 instituiçõe - em 871 municípios dos 26 estados e do Distrito Federal. Somando-se às duas últimas edições do exame, foi fechado um ciclo, com a análise de 48 áreas de conhecimento.

Autor: Érica Santana
Fonte: Agência Brasil

Finalmente darei o ar da graça por aqui. Desde fevereiro fazendo parte potencialmente do blog, mas até então sem nenhuma postagem. Convidada por Zé Flávio, figura emblemática de nossa terra, aceitei com um sentimento meio ambíguo o desafio de participar deste espaço. Ambíguo porque me pareceu sedutor estar perto, mesmo que virtualmente, de minhas raízes, minha gente e quase sentir o cheiro da terra. Por outro lado, fiquei matutando sobre que tipo de participação seria a minha. Tanto tempo longe, tão poucos retornos nos últimos tempos, infelizmente, de que eu poderia falar? E hoje, na minha estréia por aqui resolvi compartilhar com quem acessa, a letra de uma música classificada no Festival da Meruoca, que narra justamente uma de minhas viagens até aí. Na verdade ela descreve tudo que vi na estrada e que tanto faz parte de nosso universo nordestino, sertanejo. Levarei o Cariri à Meruoca com Combustível do Sertão e se tudo der certo, estarei por aí em meados de junho participando da Mostra do SESC e matando a saudade de meu torrão.



Combustível do Sertão


Nuvem vermelha
Céu com nevoeiro
Sol vem despontando
Lua desabando
Milhas e Postes
Casa de Farinha
Gente no roçado
Próxima Cidade

Carroça passa
Enxada fere o chão
Jumento e bicicleta
Marmita bem amarrada
Menino na beira estrada
A lata de querosene que agora leva água
Combustível do Sertão

Essa viagem começa no litoral
Madrugada, manhãnzinha
Passa serra, cai neblina
Lá pras tantas terra seca
O sol queima o juízo
Pra chegar no meio dia
Na Chapada do Araripe
Oásis do meu Sertão
Onde andou Lampião

http://www.jordguedes.palcomp3.com.br/
Nesse endereço é possível conferir parte do meu trabalho e ouvir Combustível do Sertão