27 dezembro 2007

Hoje no Diário do Nordeste: Crato: Termelétrica inicia operação.

Energia no Cariri

Clique para Ampliar

Termelétrica do Crato, ocupa uma área de 4 mil metros quadrados. O sistema dispõe de depósitos para óleo diesel (Foto: Antônio Vicelmo)

Clique para Ampliar

Clique para Ampliar

Setor responsável pelo controle de energia gerada no novo complexo

Com a redução das águas do Rio São Francisco, pequenas termelétricas entram na geração de energia

Crato. O abastecimento da energia elétrica do Cariri está sendo complementado com o funcionamento de uma termelétrica. Entrou em operação a Termelétrica do Crato, com a geração de 13,12mw, o que corresponde, segundo o diretor de engenharia da Enguia, Raul Fernando Ferreira, ao fornecimento para uma cidade com 48 mil unidades consumidoras, ou seja, uma população de até 200 mil habitantes. A energia é injetada no sistema de transmissão da Companhia Energética do Ceará (Coelce) e distribuída de acordo com a necessidade da empresa.

Construída em 2002, é a primeira vez que a unidade do Crato começa a fornecer energia. O risco de “apagão” está sendo afastado, diz o industrial Ricardo Biscúcia, acrescentando que as termelétricas, que até hoje tiveram um papel diminuto na matriz energética brasileira, devem funcionar como reguladoras da oferta de energia, compensando situações em que o regime das chuvas não colabora e os reservatórios se esvaziam, como está ocorrendo agora, com a redução das águas do Rio São Francisco.

A geradora do Crato faz parte de um complexo formado por 12 termelétricas, administrada pela Enguia GEN Ltda. As outras 11 estão localizadas em Juazeiro do Norte, Aracati, Iguatu, Caucaia, Baturité e Pecém, no Ceará; Campo Maior, Marambaia, Altos e Nazária, no Piauí, e Jaguarari, na Bahia.

Os motores com 16 válvulas são movidos com óleo diesel comprado no Terminal da Petrobras do Crato, a cerca de dois quilômetros de distância. Cada um dos motores é acoplado a um gerador de energia. A unidade do Crato consome 70 mil litros de óleo por dia, ou seja, o equivalente a mais de três caminhões-tanque.

O combustível é armazenado em parques ou depósitos adjacentes, de onde é enviado para os motores. O sistema conta com de 10 funcionários, seis operadores e mais quatro da equipe de manutenção.

No Ceará, a empresa aumentará sua capacidade em 95,12mw com o funcionamento de sete usinas, de acordo com as informações da agência reguladora. No Piauí, as quatro usinas vão aumentar em 52,48mw a capacidade de geração do Estado. Na Bahia, a termelétrica Jaguarari, na cidade de mesmo nome, vai beneficiar uma população de 908,1 mil habitantes.

Funcionamento

Uma usina termelétrica consiste numa instalação industrial usada para geração de eletricidade a partir da energia liberada em forma de calor, normalmente por meio da combustão de algum tipo de combustível renovável ou não renovável.

Outras formas de geração de eletricidade são energia solar, energia eólica ou hidrelétrica. No caso das instaladas no Ceará, elas são movidas a óleo diesel que aciona um motor acoplado a um gerador que produz a energia para a região.

As termelétricas convencionais utilizam algum tipo de combustível fóssil como petróleo, gás natural ou carvão que é queimado em uma caldeira, que gera vapor a partir da água que circula por tubos em suas paredes. O vapor movimenta as pás de uma turbina, que é conectada a um alternador que gera eletricidade. No sistema não há contato entre o vapor utilizado na turbina e a água do meio ambiente.

Mais informações:
Termelétrica do Crato
Rua Brigadeiro Macedo, s/n,
bairro São Miguel, Crato
Enguia GEN Ltda
(21) 3206.6014

Antônio Vicelmo
Repórter
. Matéria veiculada hoje, dia 27 de Dezembro de 2007 no jornal Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.