09 dezembro 2020

Previsões otimistas desta hora - Por: Emerson Monteiro


Certa feita, quando levava as meninas à escola, isso logo cedo de manhã, e falava desse esforço de todos de chegar na perfeição, missão de nós seres humanos, então Janaína, criança do ensino fundamental, saiu com essa:

- Mas, meu pai, a perfeição só existe no mundo das ideias, segundo Platão - ora, ora, lá da Grécia Antiga e o filósofo trazendo suas conclusões amadurecidas aos primeiros raios de sol daquele dia.

Nem parei a fim de me contrariar, mesmo porque fiquei satisfeito com a opinião abalizada de quem podia, um clássico das letras. No entanto, vez ou outra, vem à tona, nos meus juízos, a urgência de mudar o mundo, transformar o imutável e compreender o incompreensível, necessidades constantes dos costumes dessa humanidade dos movimentos incertos.

Desvendar mistérios, receber segredos, acalmar os desassossegos impostos pelas contradições. Aceitar, simplesmente, eis tarefa por demais inadmissível, face os desmandos praticados quais normas de sobrevivência na selva dos tempos atuais. Acreditar naqueles que falseiam a verdade em nome do poder, jamais. Deglutir as formas da condução que adotam, em muitos lugares, sob o pretexto de servir ao povo por meio de sistemas falidos, carcomidos, injustos, nem pensar. Baixar a cabeça perante atitudes perversas de quem receber montanhas do dinheiro público, isto só porque chegaram nos postos e ainda precisa de virtude nesta hora, há que sorrir e exercitar os deveres da esperança durante as existências em xeque.

São inúmeros reparos de peças e funções de que tanto carece o universo dos humanos, porém se sabe que estamos a caminho da sonhada perfeição, dalgum modo, sobretudo face aos sonhos e desejos das maiorias que padecem nas crises, no aguardo de um estadista maior que venha qualificar de real o modo de vida em grupo, em todos os países. Urgente exercitar a justiça justa e a democracia dos povos, ensinadas pelos filósofos gregos, sem, entretanto, abrir mãos das condições que existem, mesmo que precárias, e, numa dessas gerações que passam tão rápido, ver clarear o longo itinerário entre o mundo das ideias e o mundo das verdadeiras ações.

(Ilustração: São Benedito).


Ah! essa “atrasada” Monarquia


   Pois é. O mundo inteiro foi surpreendido com a noticia abaixo, no dia 8 de dezembro de 2020: “No Reino Unido, idosa de 90 anos, foi a primeira pessoa no mundo a receber a dose de vacina contra a covid 19”.

    Tinha que ser mesmo no Reino Unido...
     Oxente, e não nos ensinaram nas escolas que “monarquia” é velharia do passado?

      Pois pasmem: no “ranking” das 15 nações com melhor Índice de Desenvolvimento Humano–IDH, apurado pela ONU em 2019, 8 são monarquias. Ou seja, mais de 50% dos países que estão no topo da riqueza e do desenvolvimento do primeiro mundo têm um rei ou uma rainha como Chefe de Estado.

      E quais são essas monarquias? Noruega (IDH 0,954), Austrália (IDH 0,938), Suécia (IDH 0,937), Holanda (IDH 0,933), Dinamarca (IDH 0,930), Canadá (IDH 0,922), Nova Zelândia (IDH 0,921, Reino Unido (IDH 0,92), (O Reino Unido é formado pelos países: Inglaterra. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte). E o Brasil em que colocação ficou?  Vergonha: perdemos posição no ranking. A nossas "adiantada" república  ficou em 79º lugar...na companhia de atrasadas republiquetas...

       Ah! caro leitor: como nós fomos enganados nos tempos de estudantes. Naquele época funcionava o “patrulhamento ideológico republicano” que vigorou no Brasil durante 100 anos (1889 a 1988). Só a partir da Constituição de 1988 (a sétima desta instável república) foi que passamos a ser bem informados. Hoje sabemos que a Monarquia é uma forma de governo moderna e eficiente. Das 18 economias mais fortes do mundo, 12 são monarquias... e o numero de monarquias é de pouco mais de 30. O demais países (mais de 150) são repúblicas, ou "republiquetas"...
 
(Postado por Armando Lopes Rafael)