09 outubro 2020

Celebrar sempre – por José Luís Lira (*)

  Os três pescadores encontram a imagem de Nossa Senhora da Conceição, 
chamada "Aparecida"

   Segunda-feira próxima é a festa de Nossa Senhora Aparecida. No calendário litúrgico católico é Solenidade. Feriado nacional, dado o significado da Padroeira para a Nação. A imagem de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada nas águas do rio Paraíba do Sul (SP), em 1717. De lá para cá a devoção a Nossa Senhora representada naquela imagem se fortaleceu ao ponto d’Ela ser aclamada Rainha e Padroeira do Brasil. E eu lembro de uma canção do Pe. Zezinho: “Vim ver a imagem que no rio foi achada/ e sei também sei muito bem que ela não é Nossa Senhora./ Não vim falar com a imagem não senhor,/ eu vim falar é com Maria, que é a Mãe do Salvador!”. E nós católicos prestamos homenagens a quem na imagem é representada, aquela que foi sacrário de Nosso Senhor Jesus Cristo, Sua Mãe Santíssima: Maria de Nazaré, a Imaculada Conceição cuja imagem foi encontrada naquelas águas e abençoa a todos nós!

    Na quinta-feira, dia 15, liturgicamente temos a celebração de Santa Teresa de Jesus, Teresa d’Ávila, definida no Martirológio romano santa e “doutora da Igreja, que, agregada à Ordem das Carmelitas em Ávila, na Espanha, foi mãe e mestra de uma observância mais estrita e concebeu em seu coração um caminho de perfeição espiritual sob a forma de ascensão por degraus da alma até Deus; ao empreender a reforma da sua Ordem, teve de sofrer muitas tribulações, mas tudo suportou com fortaleza invencível; também escreveu livros, em que expõe uma doutrina profunda e o fruto das suas experiências”. Salve à Santa Mestra!

                                                          Santa Teresa d'Ávila

    Neste mesmo dia, no Brasil, celebramos o dia do Professor. Digo sem titubear que é esta uma das mais nobres missões. Ensinar. Às vezes aprender para ensinar e aprender ensinando. E recordo poema que está no meu livro “Algum Poema?”: O Filho de Deus foi chamado: Mestre!/ E muitas vezes fora convidado a ensinar. /Conduzir pessoas. É a missão do Professor. // O magistério é antes de tudo: Partilha!/ Partilha do conhecimento adquirido./ História. Literatura. Direito. ...

    Nosso aplauso aos que abraçaram o magistério e foram nossos professores que ficaram gravados em nossas memórias e, ainda, a todos os colegas que abraçam o magistério na atualidade. Que Deus nos dê forças para as inovações que estes tempos nos apontam e tenhamos sempre a alegria de ensinar e aprender!

    Por fim, no último dia 7, festa de Nossa Senhora do Rosário, foi eleito presidente da Academia Fortalezense de Letras o Prof. Dr. Antonio Colaço Martins. Professor Colaço Martins foi reitor da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É um dos grandes intelectuais cearenses e destacamos sua contribuição no campo da Filosofia, da Teologia e da Administração Universitária. Além de reitor da UVA o foi da Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Não tive a honra de ser seu aluno, mas, o tive por reitor duas vezes: na UNIFOR e na UVA, quando chefiei seu gabinete na reitoria. Fundadores que fomos da Academia Fortalezense de Letras, Matusahila Santiago (in memoriam) e eu, José Luís Lira, sempre admiramos e estimamos ao presidente eleito e em nome dela (sei que ela aprovou e aplaudiu sua escolha) e meu, apresento ao Prof. Colaço Martins, os melhores votos para sua gestão à frente dessa Academia que neste ano atípico completou 18 anos de fundação, sendo ele o sétimo presidente. Parabéns, Professor!

(*) José Luís Lira é advogado e professor do curso de Direito da Universidade Vale do Acaraú–UVA, de Sobral (CE). Doutor em Direito e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Nacional de Lomas de Zamora (Argentina) e Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Messina (Itália). É Jornalista profissional. Historiador e memorialista com mais de vinte livros publicados. Pertence a diversas entidades científicas e culturais brasileiras.