10 setembro 2020

Enquanto a Eternidade trabalha... - Por: Emerson Monteiro


 ... As flores nascem e o coração aperfeiçoa passo a passo. O Amor é bom. Andar de mãos dadas no sentido das cores em festa, e quantos sonhos bem vivos na memória. O Sol vem a todo tempo, todo dia o mesmo desejo de que ele permaneça sempre... E no final dos dias, lá ele regressa ao ninho. Nós aqui de olhos postos nessa vontade que permanecesse, quando muito teremos que guardá-lo no íntimo fruto das nossas conquistas de verdades. Nisso o itinerário repete o mesmo cenário aos nossos olhos, convite permanente de satisfação a que lá certa feita despertaremos de deixar continuar dentro da alma os seus raios e viver a firmeza dos reais sentimentos. 

Assim são as lições das aulas repetidas de transformação do ser parcial em seres totais por meio da consciência, a trilha do despertamento. Já a natureza fala disto a todo instante, portas abertas da imortalidade que transportamos conosco através da perfeição de que somos elaborados, corpos de luz em formação. 

Passados que foram tantos sóis, outros mais virão nas vivas lembranças do que ora somos guardadas no sentimento da evolução. Fagulhas da Luz, trabalhamos os planos da realização do Ser em nós, moléculas da Criação em desenvolvimento, máquinas de achar a claridade nessa imensidão do Universo, senhores da liberdade e projetos de luminosidade vidas afora.

Tais artífices de nós próprios, elaboramos a matéria prima dos destinos em movimento. Ao nosso lado, os elementos de que carecemos até concretizar o momento fugidio em constante presente. Tudo trabalha neste seguimento, desde locais aonde chegamos ao mistério que reviveremos no rumo das circunstâncias eternas. 

Pousos de felicidade, porém, num processo efetivo de mudança até estabelecer as bases definitivas da Salvação, são esses operários em dedicação permanente, a braços com as aspirações de paz no lugar em que vivemos agora.