11 maio 2020

Milagre: Ícone de Nossa Senhora estanca contágios em hospital da Itália

Fonte: Revista “Arautos do Evangelho”, maio/2020 – Com informações de Il Timone. 

Em Crotone, Calábria, a imagem da Madonna de Capocolonna foi levada ao Hospital São João de Deus e os enfermos por Covid-19 milagrosamente começaram a se curar.

Itália – Calábria (06/05/2020 15:00, Gaudium Press) A Fé move montanhas e torna possível o impossível. Em tempos de pandemia, como a que vivemos no mundo de hoje, os milagres também acontecem. Há pouco tempo, a Itália foi o epicentro de um muito notório, mas pouco difundido pelos meios de comunicação. Ocorreu na cidade de Crotone, na região da Calábria, no dia 26 de março. O ícone da ‘Madonna de Capocolonna’ (Nossa Senhora de Capocolonna) foi levado ao hospital São João de Deus para oferecer consolo e esperança aos enfermos por Covid-19. Após isso, as infecções por coronavírus começaram a estancar, até o ponto da província se livrar da enfermidade.

Enviada ao hospital pelo Arcebispo de Crotone
O capelão do hospital, Padre Claudio Pirillo, em entrevista com ‘Il Timone’, conta que a imagem da padroeira da Diocese da Calábria foi enviada ao centro hospitalar a pedido do Arcebispo de Crotone, Dom Angelo Raffaele Panzetta, que desejava expressar sua proximidade com os contagiados. São três as imagens que representam Nossa Senhora de Capocolonna, a que foi enviada ao hospital é uma cópia da original que habitualmente se encontra na capela privada do Arcebispo. Desde o dia 26 de março foi confiada ao Padre Pirillo para que estivesse acompanhando aos enfermos e equipe médica.

Acreditar em um milagre
O capelão contou ao meio de comunicação que desde que chegou o ícone da Madonna ao hospital, os contágios se detiveram, e que isso se deve à Fé daqueles que acolheram Nossa Senhora, representada no belo ícone de Nossa Senhora de Capocolonna. “Os caminhos do Senhor são verdadeiramente misteriosos, mas a partir de uma perspectiva de Fé devemos dizer que se não tivéssemos acreditado não a teríamos exposto e não teríamos confiado a Ela”. O Padre Pirillo também afirmou que é bom acreditar que aconteceu um milagre: “Neste caso sempre é melhor acreditar. Também porque não sabemos o que teria acontecido, e sobretudo quantos mortos haveriam, se Nossa Senhora não tivesse entrado na sala onde foi acolhida com a mesma devoção dos crotoneses que no século XVI a salvaram das águas”.

Devoção que nasce no século XVI
Precisamente a devoção à Madonna de Capocolonna tem sua origem no século XVI, e sua história está ligada com a proteção de Crotone diante das catástrofes naturais e também as pestes. Mas cada ano, em uma grande procissão levada a cabo no terceiro domingo de maio, se recorda especialmente o milagre que ocorreu em 1519. A pintura de Nossa Senhora, quadro que representa Maria amamentando o Menino Jesus que se acredita ter sido pintado por São Lucas, caiu nas mãos dos turcos que esse ano desembarcaram na cidade e decidiram incendiá-lo, mas a imagem não pegou fogo. Os muçulmanos, intimidados por tal fato, a jogaram ao mar, e o quadro, flutuando suavemente sobre as águas, chegou à margem onde foi encontrado por um pescador, que o ocultou por um tempo. Próximo de sua morte, confiou o segredo do milagre, entregando a imagem à cidade. Desde então, Nossa Senhora de Capocolonna tem protegido Crotone diante de diversos males como invasões, terremotos e pestes.