10 março 2020

Coisas da República – No ar, um cheiro de 2013 – por Eliton Rosa (*)




O próximo domingo, dia 15,  está cheirando ao junho de 2013, quando os movimentos sociais convocaram manifestações em todo o País para dar um basta na corrupção, na bagunça organizada pelo PT e seus governos, que culminaram com a saída de Dilma Rousseff da Presidência.

Hoje, quase sete anos depois, a história se repete, agora especificamente contra o Congresso e o STF e seus personagens que ultrapassaram os limites da democracia ao tomarem decisões à sua revelia, contra a Nação. Além de R$ 2 bilhões para o fundo partidário, R$ 30 bilhões para as emendas, os senadores e deputados tomaram para si o País junto com o STF que instituiu o juiz de garantia para tornar mais digerível a impunidade, como também a anulação da prisão em 2.ª instância.

Ninguém acreditou, nem o governo, os políticos e a imprensa, nos protestos de 2013, que começaram no Rio de Janeiro e em São Paulo, e se espalharam pelo País inteiro. Muitos não acreditaram, zombaram, jornais e renomados jornalistas diziam, por exemplo, que no Rio de Janeiro era por conta do aumento de apenas R$ 0,20 nas tarifas de ônibus, mas no fundo era muito mais além da máfia dos transportes, eram para protestar contra Sérgio Cabral, contra o MDB & cia., contra a a cleptocracia generalizada no Brasil.

Naquele ano, 1 milhão de pessoas foram para a Avenida Presidente Vargas para protestar. E a TV Globo anunciou 300 mil, enquanto a PM não quis revelar o seu verdadeiro número.

(*) Eliton Rosa – e-mail: elitonrosa@gmail.com


Bomba: Presidente Jair Bolsonaro diz que provará suposta fraude na eleição de 2018


Fonte: Site Terra – Por Lisandra Paraguassu 

Presidente Jair Bolsonaro discursa a empresários em Miami 09/03/2020 REUTERS
/Marco Bello - Foto: Reuters

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, em Miami, que em breve poderá apresentar evidências de que teria vencido as eleições de 2018 no primeiro turno se não tivesse ocorrido algum tipo de fraude. O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, em Miami, que em breve poderá apresentar evidências de que teria vencido as eleições de 2018 no primeiro turno se não tivesse ocorrido algum tipo de fraude.

Bolsonaro afirmou ainda que acredita que teve uma votação muito maior do que efetivamente foi computado, derrotando o petista Fernando Haddad já no primeiro turno.