09 março 2020

Segredos e Revelações da História do Brasil: A primeira Condecoração brasileira


Verso e anverso da Ordem do Cruzeiro, à época da Monarquia

    No dia 1° de dezembro de 1822, data da aclamação do Imperador Dom Pedro I, o herói da nossa independência criou a primeira Ordem Brasileira. Tratava-se da Imperial Ordem do Cruzeiro.
O desenho dessa ordem foi inspirado em modelo francês, mas seu nome e suas características foram baseados na posição Austral do Cruzeiro do Sul uma constelação que só pode ser avistada no nosso hemisfério.

 Seu designer é: "Estrela branca de cinco pontas bifurcadas e maçanetadas, assentada sobre guirlanda de ramos de café e fumo, pendente de coroa imperial. Ao centro, medalhão redondo azul-celeste, com cruz latina formada por dezenove estrelas brancas (representando as 19 Províncias brasileiras,  circundado por orla azul-ferrete com a legenda "Benemeritium Praemium". Reverso – Igual ao anverso, com alteração no medalhão para a efígie de D. Pedro I, e na legenda para "Petrus IBrasiliae Imperator D". Fita e banda azul-celeste. Graus: Cavaleiro, Oficial, Dignitário e Grã-Cruz."

    Essa ordem era outorgada a brasileiros e estrangeiros e sua maior distribuição ocorreu no dia da Coroação e Sagração de D. Pedro I. Aos condecorados não eram cobradas taxas, exceto o feitio da insígnia e o registro dos diplomas. Ficavam, porém, obrigados a dar uma joia qualquer, os agraciados ao seu arbítrio, para dotação de uma Caixa de Piedade, destinada à manutenção dos membros pobres da Ordem ou dos que, por casos fortuitos ou desgraças, caíssem em pobreza.

     No Golpe Militar que implantou a República no Brasil, a 15 de novembro de 1889, essa Ordem foi extinta pela Constituição de 1891, a primeira de uma série de 6 constituições republicanas. Mas, depois, foi restabelecida – pelo Decreto 22.165, de 5 de dezembro de 1932, pelo presidente Getúlio Vargas, com uma nova denominação a "Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul".

(Publicado originalmente no Face book Império dos Trópicos)

"Coisas da República": Comenda foi desmoralizada em 1961

   No decorrer da tumultuada vida  republicana brasileira, em 1961, o então Presidente da República, Jânio Quadros, resolveu condecorar, com a Ordem do Cruzeiro do Sul, o ministro e guerrilheiro cubano "Che" Guevara, que visitava o Brasil,   Pisou na bola!

    Houve protestos contra essa concessão,em todos os setores da vida nacional, principalmente na imprensa. Para piorar, não havia estoque da comenda, no Palácio da Alvorada. E Jânio Quadros pediu emprestada uma comenda já concedida anteriormente, a outro agraciado,  com a promessa de entregar-lhe uma nova, tão logo tivesse outro exemplar disponível. Por isso, o sanguinário "Che" Guevara levou uma Ordem do Cruzeiro do Sul de segunda mão. O agraciado -- o que emprestou sua comenda -- nunca mais recebeu outra. Jânio renunciou à Presidência, dias depois de condecorar "Che", após tomar um porre homérico, como era costume dele...

Presidente Jânio Quadros condecorou o guerrilheiro
cubano com a maior comenda brasileira.