16 novembro 2020

Reflexos do 15 de novembro, que foi ontem

    Decepções eleitorais (ou eleitoreiras?) à parte, o que me dói muito mais é o futuro do Brasil.  Mais do que a vitória municipal da mesmice, da mediocridade, dos anões políticos  com seus maus costumes...  O povo teve ontem o seu “Circo” (sem pão com mortadela). Ontem já é passado, pois passado é tudo que passa...

    O que deveria nos preocupar é o presente e o futuro!

   Com essas palavras abaixo, escritas em 1918, decorridos apenas  29 anos da instauração da República, Monteiro Lobato definiu de forma profética, o que viria a ser o “Brasil republicano”: 

"De norte a sul o povo lamuria a sua desgraça e chora envergonhado o que perdeu."
"Tinha um rei. Tem sátrapas."
"Tinha dinheiro. Tem dívidas."
"Tinha justiça. Tem cambalachos de toga."
"Tinha parlamento. Tem antessalas de fâmulos."
"Tinha o respeito do estrangeiro. Tem irrisão e desprezo."
"Tinha moralidade. Tem o impudor deslavado."
"Tinha soberania. Tem cônsules estrangeiros assessorando ministros."
"Tinha estadistas. Tem pegas."
"Tinha vontade. Tem medo."
"Tinha leis. Tem estado de sítio."
"Tinha liberdade de impressa. Tem censura."
"Tinha brio. Tem fome."
"Tinha Pedro II. Tem… Não tem!"
"Era. Não é.”
(Monteiro Lobato, 1918)


(Postado por Armando Lopes Rafael)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.