21 março 2020

Para Você Refletir ! Por Maria Otilia

Estamos vivendo um momento crucial em que um minusculo organismo, conhecido como coronavírus de Wuhan, ou simplesmente novo coronavírus,vem abalando todo o planeta.Bem como trazendo mudanças trágicas em todas as esferas do sistema: econômico,social,ambiental e politico.
Neste momento precisamos entender que a presença de  bactérias, fungos e outros microrganismos como este vírus, responsável por este sofrimento, serve para acordar de nossa alienação existencial.Nos obrigando assim a exercitar mais a solidariedade e efetivar nosso característica que nos diferencia  dos demais seres vivos , ou seja somos seres humanos pensantes.
Esta epidemia já diagnosticada como pandemia, aparece numa nova era das grandes redes sociais, que nem sempre é  saudável, pelo contrário  vem resultando  na instalação do medo, da insegurança, de informações veiculadas tipo "fakes".
Precisamos lembrar também de que somos parte de um ecossistema, de um todo, embora alguns setores do mundo globalizado da nossa sociedade, insistam em não aceitar.Daí indagamos ? A presença de vírus, bactérias, fungos,etc, são os verdadeiros culpados por tanto sofrimento ? Ou o próprio homem nas suas decisões  de testar a natureza, o meio ambiente, ignorando as suas consequências ? Sem compreender que  o fenômeno da globalização não globalizou somente o mercado , mas as doenças. A exemplo disso foi o surgimento dos primeiros casos de contágio com este vírus, a partir de experiencias da comercialização de animais exóticos.E e mutação deste vírus que com certeza estava em algum hospedeiro, seja no morcego ou outros que as pesquisas científicas vão constatar. Precisamos olhar esta situação com uma visão sistêmica, para que tenhamos solução a curto prazo e a médio/longo prazo maior consciência  para descartar ações globais desfavoráveis ao bem comum da humanidade.
Para fortalecer nossa reflexão posto abaixo uma pequena fábula que retrata as doenças da alma. Boa Leitura. 
                     O Trigo e o Guaxinim
A fábula é assim: Um homem andava pelo campo quando viu um Guaxinim arrancando todas as espigas de um trigal. O homem sem entender o que via, perguntou-lhe o que estava fazendo.  Procuro uma espiga madura para comer. – Mas, nessa época ainda estão verdes, retrucou o homem.  Não importa, disse o Guaxinim, se não estão boas agora, não me interessa amadurecerem depois. Veja, posso lhe dar algo para comer. Assim, você mata sua fome e não estraga o trigal. – Eu sou assim e é assim que atuo, sua oferta não me interessa. Moral: quem não enxerga os outros e não compartilha a vida, limita o futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.