11 janeiro 2020

O amor do Imperador Dom Pedro I pelo Brasil



  Em 1831, se o Imperador Dom Pedro I desembainhasse sua invencível espada, a uma só palavra, a um só aceno seu, ondas de sangue teriam tingido nossas praças, e a fúria de uma indômita guerra civil invadiria por inteiro o Império do Brasil.

    Sua abdicação espontânea, portanto, teve ainda a vantagem de arrancar a Pátria ao estigma de revolucionária. Foi a Coroa devolvida na ordem de sucessão, segundo o direito fundamental, e por ato legal e voluntário do Soberano abdicante. Não houve combate, sangue ou resistência.

    Uma testemunha ocular dos fatos afirmou que durante os dias em que o Imperador, agora Duque de Bragança, esteve a bordo da nau britânica Warspite, preparando-se para partir para a Europa, recebeu valiosíssimos oferecimentos de algumas das mais leais espadas. Agradecendo, pediu a todos que as reservassem para a defesa do Trono de seu filho, o pequeno Imperador Dom Pedro II, acrescentando:

     – Desde que livremente abdiquei, o desembainhar a minha espada já não seria ato de Rei, mas de rebelde. 

(Baseado em trecho do livro “Revivendo o Brasil-Império”, escrito por Leopoldo Bibiano Xavier).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.