20 janeiro 2019

Em paz na consciência - Por: Emerson Monteiro


Ida sem volta vive a vida, sentido exclusivo de todas as gerações, das que passaram e das outras que aqui também passarão. Nem adianta confrontar opiniões perante os metais consistentes dos seguimentos eternos, porquanto habitaremos o solo das almas na força da certeza de quanto receberemos, sempre nas luzes da Natureza definitiva do poder além dos objetos que se desfazem à medida que sustentam o projeto da História.

Raiz da aceitação, pois, comungar das bênçãos de sobreviver a tudo, eis o destino único dos mares, das luas, no firmamento e nas cores. Seres e senhores dos valiosos sonhos, toquemos passo a passo a espera infinita, porquanto somos entes imortais a circular nas veias esplendorosas do Sol.

Nalgumas ocasiões, frutos dourados das águas da existência, aceitamos o dever conosco mesmos, andarilhos das estrelas às portas da Salvação. Arautos do bem, instrumentos da realidade presente na força das convicções, tracemos, a todo instante os sinais indeléveis da perfeição.

Isso acalma as tempestades donde vieram os dias de felicidade, e construiremos verdade maior no seio das gentes, autores dos livros da redenção e da paz. Na certeza dessas palavras firmes de quem deseja concretizar planos de solidariedade entre os laços da Criação, vamos nós à busca incessante dos valores da grande transformação.

Tantos iguais aos mistérios que ainda somos aqui irão de junto aos campos iluminados da esperança, e próximos estaremos dos dias em que os Céus abrir-se-ão aos sentimentos naquilo que seja belo, simples e bom. Significa isto o processo de equilíbrio das graças supremas na idealização do Ser de que fazemos parte, composição da essência de tudo quanto há.

Assim, através dos caminhos do coração, edificaremos de amor mundos de plenitude, sob a tranquilidade universal da música das esferas, senhores absolutos da fiel aceitação do Criador em nossos corações em festa.