22 novembro 2019

Beato Donizetti Tavares de Lima – por José Luís Lira (*)



     Escrevo esta coluna enquanto me preparo para deslocamento da Capital Paulista a Tambaú (262km), Diocese de São João da Boa Vista (SP). O percurso é desconhecido para mim, mas, de leituras já é conhecido, por meio do Padre Donizetti de Tambaú, mas, ultimamente, Tambaú, a Cidade da Fé, é do Padre Donizetti e não o inverso.

    A Sala da Imprensa da Santa Sé publicou, na última segunda-feira da quaresma, 08/04/19, a notícia de que Sua Santidade o Papa Francisco autorizou decreto reconhecendo milagre atribuído ao Venerável Donizetti Tavares de Lima. Foi motivo de grande alegria para todo o Brasil que ainda não sabia de que Irmã Dulce seria canonizada.

    O novo Beato está em dois livros meus. No “A Caminho da Santidade”, Editora A Partilha (2012), registro: Nasceu em Santa Rita de Cássia (MG), a 3 de janeiro de 1882. Foi ordenado sacerdote em 12 de julho de 1908 e sua primeira paróquia foi Santana do Capivary, em Campanha (MG). Após passar por outras paróquias em São Paulo, a 12 de junho de 1926, assumiu a Paróquia de Santo Antônio, em Tambaú, onde exerceu profícuo apostolado até o seu retorno à Casa do Pai. O jornalista Joelmir Beting, assim se expressa a seu respeito: “Ele dormia em estrado de madeira coberto de jornal. Jantava caldo de quiabo e vestia-se com batina surrada. Sua única riqueza era uma biblioteca abastecida por livros doados, classificados um a um... Severo quando preciso, bondoso, sempre...” Seu biógrafo, José Wagner Cabral de Azevedo, diz que ele era “... um homem... que por um chamado de Deus, entregou sua vida ao Evangelho e à procura do bem do seu próximo”.

     Em artigo publicado, o nosso Cardeal do Brasil, Dom Orani Tempesta, Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, nos ensina: “De sua pequena Tambaú, como sempre acontece com os sinais divinos, suas bênçãos atravessaram o estado e o país. Simplesmente um padre que reza e abençoa a povo. Ao mesmo tempo cuida de sua paróquia, realiza obras sociais para os necessitados e é obediente à Igreja. Alegro-me em poder testemunhar esse momento significativo para a vida da minha Diocese de origem e mesmo de toda a Igreja no Brasil, já que de todos os cantos e recantos chegam a Tambaú, peregrinos para pedir a sua intercessão junto de Deus”.

    Conforme o jornalista Francisco Sartori, “Padre Donizetti viveu seu apostolado a serviço de Deus e da Igreja, cuidando de seu rebanho não só na parte religiosa e espiritual, mas também fora da Igreja”. O rebanho do Padre cresceu e o Beato Donizetti parece cuidar de todos nós!

    Momento muito esperado numa Causa de Beatificação e de Canonização se vivenciará neste dia 23, véspera da Festa de Cristo Rei, quando o Cardeal-Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Dom Angelo Becciu, presidirá, em nome de Sua Santidade, o Papa Francisco, a beatificação do Padre Donizetti, em Tambaú. Parabenizo aos entusiastas da Causa do Beato Donizetti e agradeço ao Dr. Paolo Vilotta, postulador da Causa, por sua brilhante atuação. Próxima semana, junto com o Pe. Nonato Timbó, participarei de encontro, coordenado por Ana Lúcia e Ronaldo Frigini, com o postulador e demais representantes de causas de beatificação e de canonização do Brasil que correm sob a responsabilidade de Paolo Vilotta.

   Salve o Beato Donizetti de Tambaú!


(*) José Luís Lira é advogado e professor do curso de Direito da Universidade Vale do Acaraú–UVA, de Sobral (CE). Doutor em Direito e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Nacional de Lomas de Zamora (Argentina) e Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Messina (Itália). É Jornalista profissional. Historiador e memorialista com mais de vinte livros publicados. Pertence a diversas entidades científicas e culturais brasileiras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.