12 outubro 2019

Como surgiu o Reino de Portugal – por Armando Lopes Rafael



Batalha de Ourique -- 25 de julho de 1139

      Em Portugal, a figura de Dom Afonso Henriques assume o papel de formador inicial da nação lusitana, sendo, portanto, chamado de Fundador de Portugal. Esta nação nasceu de uma aparição de Jesus Cristo ao então conde de Portugal, Dom Afonso Henriques. Este, após o episódio, foi aclamado como o primeiro rei português.

     Naquela época os habitantes do então condado Portucalense (ainda não existia a nação portuguesa), em geral, tinham uma mentalidade bastante religiosa e uma forte devoção a Maria Santíssima, lá chamada carinhosamente de Santa Maria.  Existia, apenas, o condado de Portugal, uma espécie de feudo no extremo da Península Ibérica, o qual foi invadido pelos mouros. O Conde Afonso Henriques estava acampado numa localidade conhecida por Ourique. Estava prevista para a manhã seguinte a batalha definitiva contra os mouros invasores. Transcrevemos abaixo parte de um artigo escrito pelo atual Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Chanceler Ernesto Araújo:

“Na noite antes da batalha de Ourique, em 25 de julho de 1139, Nosso Senhor Jesus Cristo apareceu numa visão a Dom Afonso Henriques, então ainda conde de Portugal, que se preparava para enfrentar cinco reis mouros contra ele coligados. Conta Afonso Henriques, num relato possivelmente autêntico, registrado alguns anos depois:

“E subitamente vi, à parte direita, contra o nascente, um raio resplandecente, indo-se pouco a pouco clarificando; cada hora se fazia maior. E pondo de propósito os olhos para aquela parte, vi, de repente, no próprio raio, o sinal da cruz mais resplandecente que o sol, e um grupo grande de mancebos resplandecentes, os quais, creio que seriam os Santos Anjos. Vendo, pois, essa visão, pondo à parte o escudo e a espada, me lancei de bruços e, desfeito em lágrimas comecei a rogar pela consolação de seus vassalos, e disse sem nenhum temor.

"– A que fim me apareceis, Senhor? Quereis, porventura, acrescentar fé a quem já tem tanta? Melhor é, por certo, que vos vejam os inimigos, e creiam em vós, que eu, que desde a fonte do Batismo vos conheci por Deus verdadeiro, filho da Virgem e do Padre Eterno, e assim Vos reconheço agora.
E continua o depoimento de Afonso Henriques:

"A cruz era de maravilhosa grandeza, levantada da terra quase dez côvados. O Senhor, com um tom de voz suave, que minhas orelhas indignas ouviram, disse:

" – Não te apareci deste modo para acrescentar tua fé, mas para fortalecer teu coração neste conflito. E fundar os princípios de teu reino sobre pedra firme. Confia, Afonso, porque não só vencerás esta batalha, mas todas as outras em que pelejares contra os inimigos de minha Cruz. Acharás tua gente alegre e esforçada para a peleja; e te pedirá que entres na batalha com o título de rei. Não ponhas dúvida, mas tudo quanto pedirem, lhes concede facilmente. Eu sou fundador e destruidor dos reinos e impérios, e quero em ti, e em teus descendentes, fundar para Mim um império por cujo meio seja Meu Nome publicado entre as nações mais estranhas.”

Afonso Henriques foi proclamado Rei no campo de batalha e triunfou. Graças à sua fé e sua espada estamos aqui, e conhecemos o nome do Salvador. “E aquele que conhece o meu nome, eu também conheço o seu nome”, diz um texto cristão dos primeiros séculos”.

Antiga bandeira do Reino de Portugal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.