28 setembro 2019

Crônica do sábado

Mais um livro sobre o Imperador Dom Pedro II – por Armando Lopes Rafael


“No alto de uma folha de papel escrevam a data do meu nascimento e o dia que subi
 ao trono; no fim, quando faleci. Deixem todo o intervalo em branco, para o que ditar
 o futuro; ele que conte o que fiz, as intenções que sempre me dominaram e as cruéis
 injustiças que tive de suportar em silencio, sem poder jamais defender-me”
Dom Pedro II, 1888.


     O renomado escritor-historiador Paulo Rezzutti lançou, dias atrás, seu último livro: “D. Pedro II– A história não contada”, 543 páginas, uma das melhores biografias já escritas sobre o magnânimo imperador brasileiro. O autor deu, assim, continuidade à trilogia já publicada, de sua autoria, sobre as biografias de Dom Pedro I, da Imperatriz Leopoldina e da Marquesa de Santos.

    
         Lançado pela Editora Casa da Palavra–LeYa, o livro tem excelente impressão gráfica, além de um rico acervo de fotografias, valorizando ainda mais o rico conteúdo da obra. Rezzutti demonstra a sobeja força do segundo imperador brasileiro, realçando suas qualidades como homem público, comprometido com o desenvolvimento do país e, acima de tudo, com a educação.

     Na verdade, durante 49 anos como imperador, Dom Pedro II ajudou a transformar o Brasil num país desenvolvido, com destaque nas áreas da cultura e educação. Ressalte-se o compromisso do nosso segundo imperador com a honestidade, dando inúmeras provas de lisura, transparência e cuidado com o trato das coisas públicas.

         Consta no comentário sobre este livro: “Paulo Rezzutti lança mão de cartas e documentos inéditos para revelar a história não contada do último imperador do Brasil. Do príncipe que se tornou regente ainda menino ao monarca e que morreu no exílio. A obra preenche muitas lacunas com uma extensa pesquisa em documentos, cartas e diários para iluminar a vida um homem que esbanjava cultura e cuja intimidade era bem mais intensa do que as barbas brancas em seus retratos mais famosos podem fazer supor”.

          O livro é, enfim, um compêndio, o qual, ao lê-lo, nos transportamos para o período mais glorioso da história do Brasil, ou seja, o século XIX, quando a população respeitava seus imperadores, homens sérios, probos, cultos e, acima de tudo, comprometidos com o progresso e grandeza da nossa pátria. Vale a pena adquirir esta obra.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.