26 novembro 2018

Crato, uma cidade que vive do passado e de enganos - Por: Dihelson Mendonça



No Crato, as coisas sempre funcionam de maneira engraçada: Se uma obra dá certo, correm logo os babões a dizer que ela é do município. Quando a coisa vai mal, a BABOLÂNDIA empurra para o Governo do Estado ( Quando outros tentam empurrar de volta ). E a população fica sem entender se a obra apresentada pelos gestores é do município ou do Estado. Parece mesmo que é para causar desinformação.

Na verdade, poucas obras são de exclusividade do município, devido à pequena arrecadação municipal. Um município pode fazer capinagem, mas não pode construir um teleférico. Pode pintar um meio-fio de cal, mas não pode asfaltar a cidade. Mas nisso aí, quem leva o mérito ? Asfaltamento, de quem é ? De quem deu a verba. Quem assume o ônus, assume o bônus. E quem não pode com a peneira, que não pegue na rodilha. No Crato há inúmeras obras inacabadas, algumas por começar, promessas e mais promessas.

Por exemplo, aquele antigo mercado da Rua Nelson Alencar, onde derrubaram quase todo por dentro, e restam quase que somente as paredes externas. Ali seria o tal "cinema", que depois passou a ser na RFFSA, que nunca foi terminado. Outro exemplo, o Teatro Municipal, que falta a iluminação, os trabalhos no palco, há muito prometida por "n" políticos e nunca chegou ao Crato. Tá lá o Teatro por terminar... E os Museus ? A reforma dos Museus ? Um "embroglio" que já dura uma década e não se resolve... E que tal a nova "Exposição do Crato", que está lá ao léu, abandonada, e que seria uma prioridade para o Governo do Estado após a festa deste ano ?

E assim vive o Crato, uma cidade sempre na contramão do Brasil e do desenvolvimento. Basta dizer que temos aí a Rua da Vala com problemas de 50 anos, entra gestão e sai gestão e nada se resolve. Esse é o Crato que os Cratenses merecem ? Crato hoje tem absolutamente tudo para ser a estrela do Ceará, a princesa do Cariri, tem um governador que é daqui, tem tudo a favor, mas vai terminar essa gestão, com a cidade entregue praticamente como recebeu. Ainda se espera que a gestão comece, porque o Governo do Estado é quem, a priori tem feito algumas coisas por aqui.

Enquanto isso, muitos Cratenses seguem arrotando as glórias de um passado que não mais existe, existe apenas na cabeça deles, porque a realidade nas ruas, é outra, e é terrível.

Salve, grande Pedrinho Esmeraldo, com suas crônicas sempre verdadeiras, quando se refere aos políticos e ao destino do Crato. Eu diria assim como o velho Pedrinho: "Oh Crato velho sofredor !"

Por: Dihelson Mendonça 
Fotos ilustrativas já antigas : Wilson Bernardo