13 junho 2018

O mistério de Deus - Por: Emerson Monteiro


Sentara a fim de escrever, mas nem sempre a inspiração ronda por perto. Desliguei a máquina e fui ler, ações imediatas. Logo nas primeiras frases do livro, lembrei, então, dalgumas conjecturas que fizera pela manhã. Realizava balanço corriqueiro de saber até onde chegara nessa vontade dominante de conhecer as razões principais do tal processo vida. Carrego lá comigo, desde bem longe, o instinto, certa feita, qualquer dia, de revelar a mim mesmo os motivos deste tempo de existir. Qual quem sabe do prazo de resolver isso, dias contados, medidos, insisto responder a questão fundamental, ponto de honra de toda a minha história.

Dizem ser transcendente, além da física, entre o tempo e o espaço, esse lugar em que impera a Eternidade; que quem passa somos nós, não o tempo, este solo definitivo de tudo. Que a duração dos seres e objetos se desmancha constante, combustível em favor das descobertas da consciência individual.

Vejo sem maiores esforços quanto ainda careço de concentrar meu empenho na aceitação das premissas filosóficas que nascem da religiosidade, depois revertida no âmbito das religiões sociais. Sei, também, do tanto de limitações que sustentam o saber humano, raiz de erros e acertos, porém instrumento único de demonstrar os teoremas da sonhada felicidade.

Conquanto restrito, pois, aos conceitos das tradições religiosas, filosóficas, antropológicas, me nego a permanecer tão só ignorando as possibilidades infinitas das respostas que quero, porquanto sinto nisso a lógica essencial de pisar aqui. Relíquia eterna do sonho na inconsciência, trabalho feito espécie de aventureiro, errante na sorte, a mergulhar as entranhas do ser que sou e ouvir os ecos persistentes de achar a causa de tudo durante todo tempo.

Deus, centro do Universo, Pai e Criador, o cerne da revelação do quanto investigar nas cordilheiras do conhecimento, este o Justo valor das buscas, acalma meu reconhecimento nalguma partícula do ente a que dou cor, tom e movimento, exemplar da espécie e pomo de paz e compreensão; a alma do Cosmos e luz da Consciência.

Mentira tem pernas curtas: Vaticano desmente PT e diz que papa Francisco não enviou terço a Lula

Segundo a Santa Sé, advogado argentino que tentou visitar petista na prisão não é emissário do papa, mas 'ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz'
Fonte: VEJA -- Por João Pedroso de Campos

Rosário foi entregue ao ex-presidente na tarde desta segunda-feira (Nelson Antoine/Folhapress; Reprodução/Twitter)
      O Vaticano desmentiu nesta terça-feira 12 a informação publicada pelo PT e pelas redes sociais do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta segunda-feira 11, de que o papa Francisco enviou um terço ao petista e que o emissário do Santo Padre, o argentino Juan Gabrois, foi impedido de visitar Lula na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde ele está preso há mais de dois meses.Apresentado no site e nas redes sociais de Lula como “assessor do papa Francisco para assuntos de Justiça e Paz”, Gabrois é, na verdade, “ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz”, conforme o Vatican News, portal de informações oficial da Santa Sé.
“O advogado argentino Juan Gabrois, fundador do Movimento dos trabalhadores excluídos e ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, deu uma entrevista em sua tentativa de visitar o ex-presidente Lula na prisão de Curitiba, onde está detido há mais de dois meses. Grabois disse que a visita era pessoal e não em nome do Santo Padre. Ele não teve a permissão para se encontrar com Lula”, diz nota do Vatican News.

    A Santa Sé ressalta que Juan Gabrois “nunca declarou que foi o papa a enviar o terço, mas simplesmente que se tratava de um terço que tinha sido ‘abençoado’ pelo papa”. Ainda segundo a nota de esclarecimento, “terços como esse são levados, como o Santo Padre deseja, a tantos prisioneiros do mundo sem entrar no mérito de realidades particulares”.
     Já o PT, também em sua conta na rede social, escreveu: “Papa Francisco envia rosário a Lula, mas emissário é barrado na PF”. “Funcionário do Vaticano denuncia caráter ‘estritamente político’ de decisão da PF de impedir que ele visitasse Lula e desse recado enviado pelo papa”, tuitou o partido.