31 maio 2018

Começa amanhã, 1º de junho, os eventos pelo centenário de nascimento de Dom Vicente de Paulo Araújo Matos, 3º Bispo de Crato

Sob a coordenação da Diocese de Crato e parceria com  Prefeitura Municipal de Crato/Câmara de Vereadores de Crato/Universidade Regional do Cariri/Fundação Padre Ibiapina/ Instituto Cultural do Cariri/ Academia de Cordelistas de Crato e Seminário São José de Crato, serão iniciadas nesta 6ª feira, 1º de junho, os eventos comemorativos ao centenário de nascimento de dom Vicente Matos.

A programação
Todos os dias serão lidas nos dois noticiários da Rádio Educadora do Cariri crônicas resgatando a vida e obra de Dom Vicente. Nos dias úteis as missas das 10:00 horas, que são transmitidas pela Rádio Educadora, e celebradas na capela da Casa de Caridade, serão celebradas em memória do 3º Bispo Diocesano de Crato. 
Dia 1º de junho – Aposição do retrato de Dom Vicente na galeria dos bispos de Crato existente na Fundação Padre Ibiapina; Dia 4 de junho – Aposição de uma placa homenageando Dom Vicente Matos, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Crato, em homenagem ao fundador daquela associação classista; Dia 5 de junho – Inauguração da Biblioteca Dom Vicente Matos, no Seminário Diocesano São José; Dia 6 de junho – Lançamento de um cordel sobre Dom Vicente Matos, produzido pelos sócios da Academia dos Cordelistas de Crato; Dia 8 de junho – Abertura do Tríduo Eucarístico, na Sé Catedral, em memória de Dom Vicente na Catedral de Crato, com encerramento no dia 10 de junho; Dia 11 de junhoàs 09:00 horas programa especial, ao vivo, na Rádio Educadora do Cariri, resgatando a vida e obra de Dom Vicente. Às 17:00 horas – Celebração da Missa do Centenário, na Sé Catedral com a presença do clero da Diocese de Crato. Às 18:00 horas aposição de uma placa de mármore, no jardim da direita do pátio externo da Catedral de Nossa Senhora da Penha, comemorativo aos 100 anos de nascimento de Dom Vicente Matos. 19:00 horas Sessão Especial da Câmara de Vereadores de Crato em homenagem a Dom Vicente Matos, quando será sancionada a lei que denominou de “Avenida Dom Vicente de Paulo Araújo Matos”, a avenida que se inicia no bairro Mirandão e termina no monumento a Nossa Senhora de Fátima, localizado no bairro do mesmo nome.

Coroação de Nossa Senhora, em 2018, resgatou a epopeia de Frei Carlos Maria de Ferrara na fundação de Crato


   A Praça da Sé viveu ontem, 30 de maio, mais uma belíssima noite. A solenidade de 2018 foi feita dentro das comemorações pelos 250 anos de criação da Paróquia de Nossa Senhora da Penha. O evento da tradicional Coroação de Nossa Senhora resgatou a epopeia da fundação da cidade de Crato pelo frade franciscano capuchinho Frei Carlos Maria de Ferrara, este nascido na Itália. O roteiro, cenário, iluminação e dramaturgia, neste ano, foram criados por Leninha e Gabriel Linard. Tudo feito de forma irrepreensível.

Entenda o  fato histórico
      Os historiadores são unânimes em reconhecer que, antes de 1740, o Vale do Cariri já possuía certa densidade demográfica, embora não existisse ainda nenhum aldeamento ou povoado considerável. Por volta de 1741, surgem os primeiros registros de um aldeamento dos índios Cariús, pertencentes ao grupo silvícola Cariri.
       Era a Missão do Miranda, fundada por Frei Carlos Maria de Ferrara, religioso franciscano, nascido na Itália. Este frade ergueu, no centro da Missão, uma humilde capelinha de taipa (paredes feitas de barro) coberta com folhas de palmeiras, árvores abundantes na região. O santuário foi dedicado, de maneira especial, a Nossa Senhora da Penha, a São Fidelis de Sigmaringa e à Santíssima Trindade. Em volta da capelinha, ficavam as palhoças dos índios. Estes, além de cuidarem das plantações rudimentares, recebiam os incipientes ensinamentos da fé católica, ministrados por Frei Carlos.
        Aos poucos, nas imediações da Missão, elementos brancos foram construindo suas casas. Era o início da atual cidade do Crato.