10 maio 2018

Querem trazer de volta a infame CPMF - Por: Valdemir Correia de Sousa


Prezados amigos do Blog do Crato,

As eleições para  Presidente da Republica, Governadores, Deputados, só serão realizadas daqui  ha 5  meses. Porem, li hoje um artigo no Jornal Diário do Nordeste, no qual o Sr. Mauro Filho, eterno Secretario da Fazenda do Ceará, pois passou a maior parte de sua vida nesta Secretaria, pois disputando cargos eletivos que nunca foram favoráveis, retornava para o que mais gostava, e que sabia fazer, ou seja, COBRAR IMPOSTOS.

Na entrevista que o mesmo concedeu ao Jornal, diz que se o CIRO GOMES for eleito, deverá ser criado novamente o famigerado imposto CPMF. O mesmo declara isto, pois como coordenador da campanha de Ciro, e o mesmo, que será candidato a Deputado Federal, e provavemente  será MINISTRO, caso Ciro seja eleito, já está nos seus pensamentos a criação de mais um imposto, fora os 50 que já temos.

Escrevo este artigo, porque não sou mais comerciante, e simplesmente, um aposentado com 80 anos, que levou a vida  a trabalhar e pagar os mais escorchantes impostos que um comerciante tem que se submeter para sobreviver. É muito difícil um pequeno comerciante com eu, com uma pequena mercearia, como comecei minha vida, na porta do mercado do Crato, com um pouco de mercadoria, comprando meio saco de açúcar ou de arroz, ( porque não podia comprar um saco completo, por não ter condições financeiras ), não ter credito em banco, e mesmo assim com a fiscalização em cima, implacável, cobrando os mais desumanos impostos que uma pessoa pode pagar.

Para um pequeno comerciante sobreviver, a jornada é longa e perversa. Fazendo um balanço do  tempo em que comecei, não encontrei nem cinco por cento de comerciantes que tivessem vencido.A maioria sucumbiu atropelados pelos impostos,falta de capital,incentivos, perseguições, etc e tudo o mais que afligem os pequenos bodegueiros como eram chamados na minha época, os pequenos comerciantes. 

Faço este desabafo, e até peço desculpas aos que me leem, fazendo um pedido aos comerciantes, caso votem em CIRO GOMES, estão cavando sua própria sepultura, pois com disse o super SECRETARIO MARIO FILHO a CPMF deve voltar. No tempo de Jesus Cristo, a classe mais odiada era a de cobradores de impostos, e se depender do Sr.Mario Filho, esta regra continuará. Repito: Não sou mais comerciante, pois se o fosse, jamais escreveria este artigo, temendo represálias. Hoje estou imune. Sou um velho inofensivo, pois o que devia, já paguei.

Um abraços a todos

VALDEMIR CORREIA DE SOUSA





Crato: Abertura da Avenida Dom Vicente de Paulo Araújo Matos continua paralisada

    
    Continuam parados os serviços da abertura da avenida que liga o bairro Mirandão à estátua de Nossa Senhora de Fátima, denominada oficialmente –pela Câmara de Vereadores – de Dom Vicente Matos. A obra realizada pelo Governo do Estado se propunha  a ser entregue no final do ano passado e foi planejada para ter  duas faixas de sete metros de pista, contemplando calçadas, uma ciclovia e iluminação.
     Consta que a paralisação das obras foi motivada pela invasão indevida de uma faixa de terra, à qual faltou a indenização ao proprietário para que o espaço fosse incorporada à mais nova avenida projetada para Crato.
      Cabe às lideranças de Crato – lideranças empresariais, políticas, comunitárias e religiosas – juntamente com a imprensa falada, escrita, televisionada e midiática de nossa cidade iniciar campanha para que a Avenida Dom Vicente de Paulo Araújo Matos se torne realidade.

Crato recebe Mostra de Música Instrumental

O quarteto paulista Aeromoças e Tenistas Russas, com oito anos de carreira, é uma das atrações. (Foto: Guilherme Cordeiro)

  Entre os dias 17 e 20 de maio, acontecerá a Mostra Banco do Nordeste Instrumental, que reunirá atrações de São Paulo, Recife, Salvador e da região do Cariri. As apresentações acontecerão em Crato e Juazeiro do Norte e terá artistas que transitam entre as várias vertentes da música instrumental brasileira. Os shows vão desde o gênero clássico ao popular, passando pela atual produção sob influências contemporâneas.
     A Mostra Instrumental será realizada em dois locais diferentes. Nos dias 17 e 18, as apresentações acontecerão no teatro do Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB), em Juazeiro do Norte. Já nos dias 19 e 20, os shows serão realizados no Largo da Rffsa, na cidade do Crato.
     O evento é uma iniciativa do CCBNB Cariri, em parcerias com o Projeto Encontramous, o Programa de Educação Tutorial do curso de Música da Universidade Federal do Cariri e as secretaria de Turismo e Cultura de Crato.
     De acordo com a produtora do evento, Janiele Rocha, a ideia da organização da Mostra é dialogar com a pluralidade que existe na música instrumental brasileira, entre o tradicional aos trabalhos que envolvem a música eletrônica. Por isso, a programação do Teatro do CCBNB, nos dias 17 e 18, foram pensadas atrações com um estilo musical mais calmo, cuja estrutura do espaço favorece a concentração e a oportunidade de apreciar os shows de forma mais tranquila. Já o espaço da Rffsa deve favorecer as atrações que possuem um ritmo mais dançante, nos dias seguintes.

Feira Gastronômica
     Em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), durante a Mostra Banco do Nordeste Instrumental, no largo da Rffsa, acontecerá o II Festival Brasil Sabor da Abrasel, nos dias 17, 18 e 19 de maio. O evento se trata de uma feira gastronômica que contará com a participação de diversos restaurantes e produtores de bebidas artesanais da região. Um cardápio variado está disponível com preços acessíveis.

Cariri Criativo
    Como acontece tradicionalmente, Feira Cariri Criativo estará instalada no Largo da Rffsa, em área próxima a realização dos shows, expondo e comercializando produtos da economia criativa, promovendo também uma interação com o festival gastronômico. Produtos de moda, design, decoração, jardinagem, artesanato, brechó são algumas das opções.

Programação
Dia 17/05 (Teatro do CCBNB)
Fabricio Rocha – Show Euphonia (Cariri-CE), horário: 18h
Aeromoças e Tenistas Russas (São Carlos-SP), horário: 19h30
Dia 18/05 (Teatro do CCBNB)
Duo Flutuart – Toca Chiquinha Gonzaga (Cotia-SP), horário: 18h
Kalouv – Show Elã, horário: 19h30
Dia 19/05 (Largo da Rffsa, Crato-CE)
Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto (Cariri-CE), horário: 19h
Luciano Brayner – Pife Torto (Cariri-CE), horário: 20h30
Dia 20/05 (Largo da Rffsa, Crato-CE)
Duo Finlandia (Brasil/Argentina), horário: 19h
Cariri Choramingando (Cariri-CE), horário: 20h30

Bons ventos sopram sobre a Polônia – por Enos Francisco Beolchi (*)


Na crise generalizada das nações do mundo, a terra de São João Paulo II é um farol a iluminar o mundo ocidental
 A bandeira da monarquia polonesa
     Após sua libertação do comunismo, a Polônia rapidamente se afastou da órbita da Rússia, iniciando um profícuo retorno às suas antigas tradições históricas. Essa sábia decisão (de deixar os caminhos socialistas) colocou a Polônia em uma trajetória de sucessivos êxitos, angariando a seu povo não só prosperidade econômica, mas também a preservação de sua identidade e fortalecimento de sua soberania, conjunção de resultados, diga-se de passagem, difíceis de serem obtidos em uma União Europeia que, cada vez mais, impõe o enfraquecimento dos valores ocidentais e promove o igualitarismo e a dissolução das identidades nacionais.

      A economia polonesa foi a única da União Europeia que soube contornar a recessão resultante da crise de 2008/ 2009, e vem obtendo um crescimento médio consistente de 4% ao ano, nos últimos 20 anos (1995-2016), gerado em sua maior parte pelo setor privado, demonstrando que o socialismo passa longe da economia nacional. Da década de 90 para cá, os poloneses multiplicaram a sua renda média por cinco.

     O maior componente da economia polonesa é o setor de serviços, com participação de aproximadamente 62%, seguido pela indústria com 34% e pela agricultura com 3,5%. O fato de um terço de seu PIB advir do setor manufatureiro permite à Polônia manter um bom nível de investimento, sem aumentar em demasia o endividamento. Coerente com essa assertiva, a dívida polonesa em relação ao PIB é de cerca de 55% (2016), considerada baixa tanto para os padrões mundiais como europeus, onde a média de endividamento passa de 100% do PIB. Segundo as projeções do Banco Mundial (GDP – Global Economic Prospects, Jun 2017) o crescimento econômico polonês deve se manter acima dos 3% para os anos de 2017, 2018 e 2019.

      Agora, os bons ventos monárquicos sopram sobre a Polônia, inflando as esperanças do seu brioso povo. A revista política polonesa “Polonia Christiana” publicou, em recente edição, artigo em defesa da restauração da Monarquia no país. Sendo a Monarquia o governo essencialmente calcado na virtude, é razoável que, junto com a proposta monárquica, deve vir a de uma elevação moral e religiosa do povo proponente. Nesse sentido, é natural que tais fatos auspiciosos evoquem observações mais próximas e análises mais particularizadas, no caso, da Nação polonesa.

      O corajoso e resiliente povo polonês, por larga e dramática experiência, é cônscio da conjuntura geopolítica em que está inserido, e por essa razão não subestima a importância da dissuasão militar, tanto que a Polônia é um dos raros membros da OTAN que empenha 2% de seu PIB no setor da defesa.

     Ratificando o labor polonês na preservação de sua identidade espiritual, no dia 19 de novembro de 2016, no Santuário da Divina Misericórdia, em Cracóvia, foi celebrado o ato solene com a presença do Presidente da Polônia, Andrzej Duda, no qual Jesus Cristo foi entronizado como Rei da Polônia!     Vemos aí, mais uma vez, a coerência polonesa, na qual a entronização do Rei dos Reis precede a do rei temporal.

 (*) Excertos do artigo originalmente publicado na edição de número 51 (referente aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2017) da revista brasileira “Herdeiros do Porvir”, que divulga a causa pró monarquia no Brasil.