03 março 2018

Crônica do domingo

A mídia republicana já começa a atacar a corrente de opinião pública pró monarquia – por Armando Lopes Rafael

“Primeiro eles te ignoram, depois riem de você, depois brigam, e então você vence”. 
Mahatma Gandhi

    Feliz foi o historiador Armando Alexandre dos Santos quando escreveu: “Por mais que se oponham a Monarquia e a República, no plano teórico e ideológico, e por mais que cada uma dessas formas de governo implique uma visão diferente do próprio universo, o fato é que no interior das mentes ambas convivem. Por mais que uma pessoa seja monarquista, ela sempre conserva no seu interior, ainda que subconscientemente, algumas pitadas de republicanismo; e por mais que alguém seja republicano, não pode deixar de sentir, dentro de si, algumas vagas simpatias por tudo aquilo que, no imaginário coletivo, caracteriza a velha e tradicional monarquia.

      A mais grave crise moral, econômica e política brasileira – a que estamos sentindo e sofrendo no presente momento –  fez emergir, na vida dos brasileiros –  sentimentos e ideais que andavam adormecidos. Isso veio corroborar declarações de renomados sociólogos, historiadores e intelectuais do passado quando afirmaram: “Em todo brasileiro vive adormecido um monarquista”.

       Infelizmente a imprensa a serviço da Esquerda Republicana tupiniquim (muitas vezes beneficiada com os generosos acenos das burras republicanas), começa a atacar, com grande fúria, o trabalho dos monarquistas brasileiros. Aí ganha destaque o jornal “Folha de S. Paulo”, que chegou a produzir Fakes News contra os pacíficos defensores da forma de governo monárquica. Para quem não sabe, “Fake News” é uma notícia mentirosa, criada, postada ou publicada com a intenção de passar como sendo um fato verdadeiro. Foi o que fez a “Folha de S. Paulo” esta semana, de forma deliberada e consciente. Publicou aquele jornal que o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança demonstrava claramente preferências partidárias por um candidato a Presidente da República.

      Ora, é fato conhecido e consumado que a Família Imperial é apartidária. Ela nunca apoiou e não apoia agora, nenhum candidato, de nenhum partido à Presidência da República. Imagine se os militantes monarquistas já tivessem a força que os órgãos da mídia brasileira julgam que eles têm...O ódio seria bem maior.

    É verdade que diversos grupos pró-monarquia vêm realizando eventos (no próximo dia 24 haverá o 1º Encontro Conservador Monárquico do Cariri, na cidade de Juazeiro do Norte) mas, tudo – até agora – se restringe a debates e palestras, de forma modesta, em defesa da volta do regime de governo que existiu no Brasil entre 1822 e 1889. Muitas entidades pró-monarquia mantêm páginas no Face book e sites da Internet. Lá, divulgam textos e vídeos, como vem fazendo o “Movimento de Restauração da Monarquia no Brasil”, que tem 45 mil seguidores. O site da Família Imperial “Pró Monarquia” ultrapassa os 65 mil. Já o “Monarquia Brasil” beira os 35 mil. Não é muito. Mas, são formados, na sua maioria, por jovens bem informados e bastante atuantes, mostrando um fato interessante: a juventude não segue mais, feito gado irracional, os surrados sofismas da esquerda, aí incluída a superada “Luta de classes”.

       É por isso que a esquerda troglodita (até recentemente dona do pedaço) já começa a se incomodar. Os mais espertos dessas seitas esquerdistas começam a colocar as barbas de molho...