13 fevereiro 2018

Comissão de Teólogos do Vaticano aprova processo de beatificação de Frei Damião

Próximo passo é esperar o parecer da Comissão dos Cardeais, em Roma, na Itália.
Fonte: G1
 Estátua de Frei Damião está localizada no memorial construído em homenagem a ele, em Caruaru  (PE) -- (Foto: Joalline Nascimento/G1)

    A Comissão dos Teólogos, na Congregação das Causas do Santos, aprovou o processo de beatificação de Frei Damião. De acordo com o postulador da causa, frei Jociel Gomes, o próximo passo é aguardar o parecer da Comissão dos Cardeais em Roma, na Itália.
    Segundo o frei Jociel, o resultado desta próxima etapa deverá ser divulgado nos próximos oito meses, ainda sem data definida.
aso a Comissão dos Cardeais aprove, caberá ao papa Francisco autorizar o decreto de venerável a Frei Damião. O já falecido frade capuchinho pode se tornar beato e, depois, santo, se tiver pelo menos dois milagres atribuídos a ele comprovados.

Sobre Frei Damião 
    Frei Damião de Bozzano, nascido Pio Giannotti, nasceu em Bozzano, na Itália, em 5 de novembro de 1898. Aos 13 anos ele ingressou na vida religiosa, e em 1915, aos 17 anos, emitiu os primeiros votos religiosos e recebeu o nome de Damião.
      O frade capuchinho chegou ao Brasil em 1931 e durante 66 anos visitou diversas regiões do país. Frei Damião era um missionário e arrastava centenas de pessoas por onde passava. Ele morreu aos 98 anos, no Recife.



Caos da Venezuela: Brasil dobra controle militar e reforça triagem de refugiados

Fonte: Agência Estado
 Brasília, 13 - O Brasil criou uma força-tarefa para controlar o ingresso de venezuelanos em Roraima, medida anunciada em visita do presidente Michel Temer ontem a Boa Vista. De acordo com o plano, haverá aumento de 100 para 200 homens nos pelotões de fronteira no Estado e duplicação dos postos de fiscalização. O governo federal pretende aplicar R$ 15 milhões na contenção de novos refugiados - alguns dos quais são usados pelo crime organizado - e na ajuda para os que já chegaram.
    Segundo a Polícia Federal, 42 mil imigrantes venezuelanos entraram em 2017 por via terrestre em Roraima e não saíram. Isso equivale a 10% da população do Estado, de 400 mil moradores. Depois do anúncio da assinatura de uma medida provisória decretando uma espécie de "estado de emergência social" na região, os ministros da Defesa, Raul Jungmann, do Gabinete de Segurança Constitucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, e da Justiça, Torquato Jardim, detalharam algumas das medidas.
     Temer, que não chegou a passar pelas ruas e praças de Boa Vista tomadas pelos imigrantes, listou o fluxo de refugiados para o Estado como um problema grave, que pode ter impacto em outras partes do País. "Todos os recursos necessários serão usados para solucionar a questão", prometeu, indicando que pretende resolver a questão este ano. De acordo com o presidente, a governadora de Roraima, Suely Campos, mencionou que cidadãos do país vizinho estariam "tirando emprego de roraimenses".      
      "Temos milhares de venezuelanos em Roraima que demandam remédios e alimentação e não podemos e nem queremos fechar as fronteiras", afirmou Temer. O presidente anunciou revalidação de diplomas para professores e médicos venezuelanos, como forma de aumentar a participação deles na assistência. Canadá, Estados Unidos e União Europeia já ofereceram ajuda para controlar o fluxo desordenado.
      A governadora de Roraima entregou um documento com 11 sugestões, entre as quais está a atuação do Exército no policiamento ostensivo em Pacaraima. Ela afirmou que o crime organizado aproveita a vulnerabilidade dos venezuelanos para fazê-los transportar drogas e armas para o Brasil.

2018 assinala 20 anos da morte de Dom Vicente Matos – por Armando Lopes Rafael

Busto de Dom Vicente Matos – colocado por iniciativa de seus admiradores –  na Praça da Sé. Nenhuma rua de Crato foi denominada em homenagem ao maior benfeitor desta cidade. Quanta ingratidão! Mas existem mais dois bustos dele em Crato: um em frente ao auditório do Colégio Pequeno Príncipe e outro, no Centro de Expansão da Diocese,localizado no bairro Grangeiro.
  No próximo dia 06 de dezembro o calendário das pequenas efemérides do Cariri vai assinalar vinte anos da morte do terceiro Bispo de Crato, Dom Vicente de Paulo Araújo Matos. Esta data enseja a que façamos um retrospecto da vida desse grande bispo que o Crato teve a sorte de ter como pastor diocesano, de 1955 a 1992, ou seja, por cerca de 37 longos anos.
  Tão logo foi ordenado sacerdote, em 29 de novembro de 1942, o jovem Padre Vicente Matos recebeu a missão de ser o primeiro administrador da recém-criada Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, da cidade de Capistrano, à época pertencente à Arquidiocese de Fortaleza.
  
Em Capistrano, o Padre Vicente Matos encontrou como igreja-matriz uma capela singela e de pequenas dimensões, embora dotada de um tradicional cruzeiro no seu patamar (foto acima). Naquela cidade, ele demonstrou os primeiros sinais do espírito empreendedor de que era dotado. Deve-se ao Padre Vicente Matos a construção da nova e imponente igreja-matriz da paróquia de Capistrano, (foto abaixo) hoje integrante a Diocese de Quixadá. Na sacristia daquela igreja existe uma foto do então Pe. Vicente Matos e uma placa de gratidão da população de Capistrano.
     Logo após ordenado,  o Arcebispo de Fortaleza, Dom Antônio de Almeida Lustosa (que tem um Processo de Beatificação em andamento)  percebeu as virtudes do jovem Padre Vicente Matos, dentre as quais sobressaiam os dotes de um pastor zeloso, prudente, dinâmico, firme e compreensivo. Por isso convocou-o para dirigir o Colégio Arquidiocesano, em Fortaleza, o que o jovem padre fez com responsabilidade e competência entre  1947 até meados de 1955.
    Acima, Dom Vicente Matos (penúltimo à direita) é visto nesta foto de 1960, sendo recebido pelo então Presidente da República, Juscelino Kubitschek, juntamente com outros bispos brasileiros,  nos primeiros dias de Brasília como nova capital da República. Ao lado do presidente Juscelino está Dom Helder Câmara, e, atrás deste, o cardeal Eugênio Sales.

    Em 21 de abril de 1955, Pe. Vicente Matos foi eleito bispo. A edição do jornal “O Povo” de Fortaleza, do dia 26 do mesmo mês,  abaixo da manchete Pio XII nomeia sacerdote cearense, publicava a seguinte notícia:
“Mais um sacerdote cearense acaba de ser distinguido pelo Papa Pio XII. Trata-se do virtuoso Padre Vicente de Paulo Araújo Matos, que, pela nomeação papal, recebeu o título honorífico de bispo titular de Antioquia no Meandro. Irá coadjuvar Dom Francisco de Assis Pires na Diocese de Crato”.
     Como Sucessor dos Apóstolos, Dom Vicente adotou o lema – sugerido por Dom Antônio de Almeida Lustosa –, "Vicenti Dabo Manna" (Ao vencedor darei o maná). Este lema, tirado do livro do Apocalipse, é uma alusão ao prenome do novo bispo (Vicente), “o qual, fortalecido pela Eucaristia e com as bênçãos da Virgem Maria, vivamente deseja vencer, na terra, e chegar ao banquete celeste de que é símbolo o maná”, explicação que consta do brasão episcopal de Dom Vicente.
   Dom Vicente Matos chegou a Crato, como bispo-auxiliar, em 15 de agosto de 1955. Em 22 de janeiro de 1961 foi nomeado terceiro bispo desta diocese, sucedendo a Dom Francisco, já falecido. Em Crato, Dom Vicente permaneceu até 1º de junho de 1992, quando renunciou ao Bispado por motivo de saúde. Foram, portanto, 37 anos de doação, sofrimentos e vitórias de um  fecundo episcopado em terras do Cariri cearense. Quanto injustiças ele sofreu nesse período!
    Mas o que Dom Vicente Matos realizou na Diocese de Crato lembra a obra de um gigante!
    Dentre as suas muitas realizações podemos lembrar: criou dezoito paróquias; ordenou trinta e sete sacerdotes. Deve-se a ele a fundação do Instituto de Ensino Superior do Cariri, mantenedor da Faculdade de Filosofia de Crato e embrião da atual Universidade Regional do Cariri.
     Foram, também,  iniciativas de Dom Vicente a construção do imponente Centro de Expansão Educacional (localizado no bairro Grangeiro) que hoje leva seu nome; a Rádio Educadora do Cariri; a Empresa Gráfica Ltda., que editava o jornal “A Ação”; a criação da Fundação Padre Ibiapina, instituição de amplo alcance social que desenvolve trabalho de Evangelização, Cursos de Treinamento e as Pastorais da Criança, da Educação e da Saúde. A Dom Vicente se deve ainda a criação dos primeiros Sindicatos dos Trabalhadores Rurais no Sul do Ceará; a criação e construção do Ginásio Madre Ana Couto e do Colégio Pequeno Príncipe; a criação da  Escola de Líderes Rurais e da Organização Diocesana de Escolas Profissionais, dentre tantas outras iniciativas e gestos de bondade, superioridade ao meio em que vivia.
    Um grande bispo!
   Tanto que ele continua sendo  (em toda a existência de quase três séculos desta Cidade de Frei Carlos Maria de Ferrara),  o  maior benfeitor do Crato!
 São João Paulo II recebe a visita do Bispo de Crato, Dom Vicente Matos