01 janeiro 2018

A religião da Natureza


Esse equilíbrio original que reflete a luz do Universo em todos seus fenômenos. A força de a espontaneidade fluir das gerações, nos amores mil livres ao vento; as certezas que sustentam o instinto de sobreviver das formas; dos seres vivos. A música no ar, a liberdade pura dos acordes em festa na alma da gente, a beleza do bom gosto da Criação. Alegria. Gosto de permanecer no rolar do tempo. Exemplos de preservação das espécies, nos animais, nas pessoas; o senso que resiste à imbecilidade dos maus; a organização social; o trabalho honesto; as virtudes.

Independente de fatores empresariais, a religião existe na alma e no coração. A busca das práticas fiéis, o clamor da solidariedade humana, a rejeição às práticas nefastas de uma civilização, que mata, fere, discrimina, escoiceia feito fera. As notícias que marcam a história, de crianças utilizadas nas guerras, adotadas de escudos nas escaramuças mais brutais. Esconder de nós mesmos, seus contemporâneos, isso ninguém conseguirá.

Enquanto países ricos jogam alimentos no lixo milhões morrem de fome nos países africanos. Enquanto isto, apenas o silêncio das nações vem de resposta. Dores atrozes que persistem depois de tanto que se existiu neste chão comum. Máquinas da indiferença constrangem até viver em época assim, diante de ausência de sensibilidade das lideranças e dos excessos de violência contra jovens menos aquinhoados, classes vítimas dos favorecidos nos recursos econômicos que pertencem à humanidade inteira.

No entanto a sabedoria dos povos haverá de construir mundo renovado, nascido na coragem dos que acreditam nessa possibilidade interna de transformar no mínimo a nós mesmos.

Creio que tantos agem de tal modo e que a sequência dos acontecimentos virá sob esse prisma de paz tão necessário. Das razões de imaginar isso, primeiro, a urgência dos dias melhores, conquanto baste de amargura e sofrimento. Plantemos nos dias atuais o presente de que necessitamos agora e sempre.


(Ilustração: Carme Solé Vendrell).

Prefeito que cuida bem da cidade: Juazeiro do Norte terá letreiro estilo Hollywood ao custo de R$ 1,5 milhão

Versão digital do letreiro que será instalado na colina do Horto, em Juazeiro do Norte, ao lado da estátua de padre Cícero (à esquerda) (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)
Fonte: https://g1.globo.com/ce/ceara
   A cidade de Juazeiro do Norte, na região Cariri cearense, terá um letreiro gigante ao estilo hollywoodino. A frase será instalada na colina do Horto, cartão-postal da cidade, onde fica a estátua de padre Cícero, considerado santo popular na região. A frase ainda não está definida, mas o plano desde 2011 é colocar "Juazeiro do Norte - capital da fé", ao lado da estátua do padre. Desde que foi anunciado, o projeto divide opiniões na cidade, tendo resistência de parte dos padres de Juazeiro do Norte. Conforme padre José Ventureli, o letreiro vai tirar a visibilidade da estátua do santo popular.
R$ 1,5 milhão
A contratação para o serviço de instalação do letreiro foi publicada no Diário Oficial do Estado do Ceará de 29 de dezembro. Conforme a publicação, o serviço custará R$ 1.548.542,05. Ainda segundo o Diário Oficial, o serviço deve ser concluído em até 10 meses, contados a partir da data da ordem de serviço. A assinatura do contrato data de 27 de dezembro deste ano.
Postagem original: site Portal do Juazeiro. O projeto deste letreiro é do juazeirense Aluísio Neri Filho.  

O Grande Hotel - Patrimônio Histórico do Crato - por Aglézio de Brito

   Nos idos do ano de 1982/83, o então Prefeito Municipal do Crato, menos por eficiência administrativa do que por ignorância e por descaso aos valores históricos, deu início à destruição do patrimônio histórico arquitetônico da nossa Terra, quando empreendeu e concretizou a demolição dos prédios antigos existentes na Rua Dr. Miguel Limaverde, no trecho compreendido entre a Praça Siqueira Campos e a Praça da Sé. Transformou em escombros prédios históricos ali existentes, alguns ainda exibindo seus revestimentos com azulejos importados de Portugal.
   Posteriormente, a sanha da especulação imobiliária destruiu vários outros prédios históricos da Rua Dr. João Pessoa, restando, hoje, ali, somente, quase intacto, no cruzamento com a Rua Bárbara de Alencar, o sobradão de estilo holandês, onde viveu o Coronel Antônio Luis Alves Pequeno, comandante da chamada revolução do Crato , em 1904, tendo sido Prefeito desta cidade por duas vezes, nos anos de 1904 e 1925. Ultimamente, foi a vez do Edifício Filgueiras Teles, mais conhecido por Grande Hotel. Localizado na esquina da Rua Dr. João Pessoa com a Rua José de Alencar, em frente à não menos histórica Praça Siqueira Campos, foi destroçado a golpes inclementes de braços humanos e de tratores, os quais lhe deceparam a parte superior e estirparam as suas entranhas, deixando à mostra somente as paredes exteriores ruinosas, praticando-se um crime cruel contra o nosso patrimônio histórico, deslustrando um dos pontos mais nobres da cidade , atentando-se contra o Código de Postura do Município e desafiando as boas regras da urbanização.
   No Grande Hotel, construído nos idos do ano de 1947, em estilo art nouveau, existiu, na sua parte térrea, o famoso Bar Glória e, depois, a Barbearia Siebra, onde Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, de certa feita, cortou o cabelo e fez a barba. Por derradeiro, ali, instalou-se o Bar e Lanchonete Cinelândia, ponto obrigatório freqüentado por artistas, políticos e intelectuais. Luiz Gonzaga, Altemar Dutra, Caubi Peixoto, Orlando Silva, Nelson Gonçalves fizeram shows no segundo andar. O ex-presidente Humberto de Alencar Castelo Branco, o Senador Tasso Jereissati, o ex-Ministro da Educação , Cristóvão Buarque também estiverem no Grande Hotel. Dr. José Ulisses Peixoto Filho, um dos maiores expoentes da clínica médica do Ceará, recentemente falecido, fazia ponto quase diário no Grande Hotel.
     No Grande Hotel morou o Dr. Antônio José Gesteira, - Dr. Gesteira -, uma mistura de médico, político, boêmio e mito, sobre cujo túmulo no cemitério do Crato, ainda hoje, os fiéis fazem promessas. No grande Hotel, na Cinelândia que ali funcionava, onde se servia cafezinho, jogava-se “porrinha”, e discutiam-se os assuntos do Crato, a sociedade cultural cratense se encontrava. Mas nem todo o nosso patrimônio histórico arquitetônico está perdido, embora se quede ameaçado se os Poderes Executivo e Legislativo não diligenciarem, urgentemente, no sentido de , através de uma LEI MUNICIPAL, efetiva e austera, proceder ao TOMBAMENTO dos prédios e fachadas históricos que ainda restam em nossa cidade, fazendo cumprir, sob pena de improbidade administrativa, o que vem expresso no ESTATUTO DA CIDADE,, Lei Federal 10.257, de 10 de julho de 2001 , que regulamentou os arts. 182 e 183 da CONSTITUIÇÃO FEDERAL.
    No tocante ao caso específico do Grande Hotel, cujo estado de destruição e não-utilização ordenada da área entulhada atenta contra as diretrizes do PLANO DIRETOR do Crato, deve o Poder Executivo NOTIFICAR o proprietário no sentido de edificar o local, fixando-lhe condições e prazo não superior a dois anos, sob pena de o imóvel ser transferido ao Poder Público municipal, conforme está expresso nos arts. 5º. § 2º, § 3º, I e 46, § 1º, do ESTATUTO DA CIDADE.

Referências bibliográficas:
-Aquino, J. Lindenberg de , Roteiro Biográfico das Ruas do Crato, Ed. UFC, 2ª edição, Fortaleza, 1999;
-Cabral, Huberto. História dos Hotéis do Crato, Jornal do Cariri e Rádio Educadora do Cariri.
-Farias, Airton de, História do Ceará, Tropical Editora, Fortaleza, 1997 Gonçalves, Candice,
-Vieira, José Flávio, http://cariricultblogspot.com/2008/09/gesta.html
-http:\www.overmundo.com.br/overblog/no-cinelandia-café-porrinha-e-senado

Como era o Crato Antigamente -- por Dihelson Mendonça

(Postagem de 2008, ou seja, feita há 10 anos, mas sintomática com o início de 2018)
Ontem recebi a visita do meu grande amigo Hugo Linard ( que por sinal, está se preparando para escrever um livro de memórias ).
Ele me trouxe uns DVDs com fotos antigas maravilhosas que gostaria de compartilhar com todos:
FONTES: foto 02, 05, 06, 07, 08 e 09 do acervo de Lucia Maria de Oliveira Castro P. Tavares. Fotografias doadas pelo Padre Lauro Gonçalves Pita.
As demais, não sabemos a procedência. Apenas que foram doadas, como todas as outras, ao Blog do Crato por Hugo Linard. Se alguém souber dos direitos autorais das outras fotos, por gentileza, comuniquem. Sou fotógrafo também, com mais de 15.000 fotos já realizadas, e sei bem o que é o problema hoje em dia do uso não autorizado que as pessoas fazem de nossas fotos.

Abraços,
Dinhelson Mendonça

 
Comentário de Armando Rafael
A cidade tinha aspecto aristocrático. As pessoas (até os pobres) vestiam-se com dignidade.
A sanha igualitária advinda com a construção do monstrengo chamado de Brasília, a Capital da República (ô título apropriado) em 1960, contribuiu para a destruição quase total do patrimônio histórico/arquitetônico da "Cidade de Frei Carlos". É a velha e medíocre mania de imitação do que não presta. Atualmente os prédios do centro citadino são quadrados, feios, sem estética... 
Triste!
Hoje o centro de Crato é feio, sujo, "plastificado" devido às abusivas propagandas comerciais. Até o bonito Colégio Santa Teresa de Jesus colocou em seu jardim um horroroso "out door" que enfeiou a fachada daquele prédio histórico. 
De quem teriam partido tão infeliz ideia?
Viva a ignorância!

Time de futebol do Ceará adotou a cruz de São Tiago Apóstolo no seu uniforme


Fonte: ACI Digital

 Para marcar os 100 anos que completará em 2018, o Fortaleza Esporte Clube lançou no último domingo, 17 de dezembro, um novo uniforme, no qual adotou a cruz-espada de São Tiago e, por esta razão, o time brasileiro recebeu uma bênção do Arcebispo de Santiago de Compostela, Dom ‎Julián Barrio.
   Na mensagem, o Arcebispo encomenda o clube “ao Patrocínio do Apóstolo São Tiago Maior e da Virgem Santa Maria”.
   Dom Julián Barrio também “faz votos para que esta celebração seja uma magnífica ocasião para crescer no conhecimento e na devoção ao Apóstolo São Tiago Mario e fomentar em todos um maior conhecimento dos valores do Evangelho, contribuindo assim ao incremento da fé e do bem comum, algo tão necessário nos nossos dias, tanto para a vida individual como para o fomento da sociedade cristã”.
   O novo uniforme do clube é chamado Centenarium, em referência aos 100 anos da equipe.
Conforme explica o próprio time de futebol, a cruz que foi incluída no uniforme “faz referência ao Fortim de São Tiago, a primeira fortaleza” da cidade, localizada em seu marco zero, na Barra do Ceará.
   “A espada de Santiago representa Fé, honra e amor. Surgiu na Espanha, após a batalha del Clavijo. Por esta Conquista militar passou a ser o distintivo dos cavaleiros de Leão dedicados a defender os Peregrinos”, acrescenta o clube.