22 novembro 2017

Sempre servir - Por: Emerson Monteiro

O Cristianismo, dentre outras escolas religiosas, ensina a importância do serviço aos semelhantes qual disposição principal do crescimento dos seres. Já agora, deste modo, há um céu aqui no chão. O gosto de ser útil aos demais, e a si mesmo, eis razão fundamental de trabalhar as consciências. Trabalhar em prol de mitigar dores, evitar o mal e construir o bem nos corações. Isto em todo lugar, em qualquer ocasião. Descobrir a forma de utilizar a força vital em favor dos necessitados.

São Paulo deixa claro o propósito de que a vida se reveste dessa finalidade essencial. Serve e passa, quando ao final seremos só servos inúteis. Criar as mínimas condições de erguer da terra os ideais da evolução dos humanos através da fraternidade. Oferecer de si aos outros, meios inquestionáveis de encontrar o crescimento espiritual, o que mais representa cultura e desenvolvimento.

Isso por vezes indagamos diante das atrocidades e crises das sociedades: O que resta fazer que possa equilibrar os acontecimentos?  Aonde foram aqueles que ocupam o lugar da autoridade, que detêm a delegação de mostrar as bases às comunidades e comandar os pelotões de pessoas no afã de sobreviver com dignidade? Nada justifica atingir níveis altos de qualidade dos instrumentos sociais sem oferecer aos iguais a oportunidade idêntica, porquanto muito se aprendeu de fórmulas para ordenar os grupamentos e permitir vidas em harmonia, em que fortes possam auxiliar fracos através dos campos de ideias e trabalho; oportunidades aos jovens; estudo, educação, saúde, moradia, segurança, transporte, lazer, felicidade...


O que esperar dos que têm mais senão alternativas aos que pouco possuem, numa perspectiva de bem-estar livre de competição, concorrência deslavada e guerras de conquistas? Jesus ensina assim, amar qual se ama e servir incondicionalmente. Jamais sermos felizes mediante a infelicidade alheia, pois todos somos um único ser da Natureza. Chega, por isso, de ignorar esta verdade primordial de uma paz coletiva e justa. 

Governador é recebido pelo papa Francisco no Vaticano




Durante o encontro, Camilo Santana falou sobre o Ceará, agradeceu pela reconciliação de padre Cícero com a Igreja e pediu a beatificação do sacerdote

“O senhor é um homem que nos inspira a olhar pelos pobres”, disse o governador Camilo Santana ao papa Francisco, durante encontro nesta quarta-feira (22), no Vaticano. Na ocasião, o chefe do executivo cearense, que estava acompanhado da primeira-dama Onélia Santana, pediu bênçãos para o Estado do Ceará e entregou as imagens de Cristo e do padre Cícero ao papa.

“Foi um momento muito importante e de muita emoção. Disse ao papa Francisco que éramos muito gratos pela reconciliação de padre Cícero com a Igreja, que só aconteceu graças a ele. O papa, inclusive, disse que está estudando a beatificação do padre de forma muito positiva”, afirmou o governador. O embaixador do Brasil no Vaticano, Luiz Felipe Mendonça, também participou do encontro.


Camilo Santana aproveitou o momento para mostrar a bandeira do Ceará ao papa, que abençoou e autografou o símbolo do Estado. “Pedimos muita luz para que o nosso Ceará pudesse enfrentar o momento de dificuldade diante de seis anos de seca, e para que a gente tenha cada vez mais forças para trabalhar e dar mais oportunidade aos pobres. Fiz questão de dizer ao papa Francisco que ele é uma inspiração, exemplo de humildade e de como cuidar dos mais necessitados”, citou o governador.

Nesta quinta-feira, Camilo Santana terá encontro, em Roma, com o embaixador do Brasil na Itália, Antônio de Aguiar Patriota. O governador discutirá a possibilidade de parcerias entre o Ceará e a Itália em diversas áreas.

Governo do Estado do Ceará
VIA BLOG DO CRATO


Choque de realidade - Por: Emerson Monteiro

Ontem inventei de caminhar pela cidade dos homens. Eu de todos os sonhos reunidos, e isso que está ali fora, milhares de automóveis invadindo o chão que antes só pertencia às árvores e aos pássaros, à natureza. Carros, bólides, meteoritos, asteroides apressados nos mais diversos destinos e formatos, a velha indústria do ferro temperado que tomaria de conta do universo. Ruas dos seres esquisitos que vezes trafegam indiferentes, velocidades barulhentas, exóticas, quais solos estridentes das guitarras amarelas dos anos 60. Focos perdidos pelas distâncias do impossível suspenso no ar; quadros surreais doutras cinzentas galáxias. Casais alucinados em cenas eróticas. Ruídos raspados de animais desconhecidos, que arrastam no pescoço os sinais dos tempos. Revistas largadas no chão dos corredores sujos. Clima de festas que chegaram ao fim, nas torpes madrugadas suarentas.

No entanto ela corre nua de olhos acesos e deixa vontade imensa que exista nalgum lugar, logo adiante, os encontros fortuitos. As marcas deixadas no coração pelas inesquecíveis paixões. Outros que insistem buscar saídas na esperança das preces. A certeza dessa vitória a caminho da luz, pois forças vivas jamais nos deixarão abandonados. Certeza. Certezas.

Conquanto limitado ao território de nós mesmos, há indícios claros dos dias melhores que vêm vindo pela resistência, alimento do desejo. Religiosos sinceros, invés de comerciantes da fé. Os eleitos da alma, que mantêm a consciência ligada nos amores puros. Eles, que existem no silêncio das multidões. Numa conspiração de virtudes, circulam calados, porém firmes nos seus propósitos.


Em clima de término de missão, desse modo perene a vida continua entre as minas da civilização, nos equívocos egoístas das gentes de cara assustada e faminta. Zumbis entregues aos afazeres dos instintos criam motivos artificiais nas salas vazias. Cenas de filmes mudos ainda lembram esses povos que imaginavam salvar o mundo e, depois, perderiam o trilho da história. 

CRATO - 107 DIAS DE PESADELO NO SEMINÁRIO PODEM ESTAR NO FIM.






Através das reclamações e reivindicações do repórter fotográfico Wilson Bernardo, sobre uma imensa cratera no Bairro Seminário que já dura 107 dias, o secretário Luiz Wellington Brandão veio a público, aliás, na própria postagem, e esclareceu que a prefeitura já está providenciando o conserto. Segundo suas próprias palavras:

"Bom dia. Sei que esse buraco que está aí foi causado por um vazamento em sua tubulação, obra essa realizada pela anteriormente pela empresa coral. De imediato o prefeito pediu para tomar as devidas providências, infelizmente existe a parte burocrática. Mas asseguro que esse serviço logo logo está sendo feito. Foi um pouco exagerado essa quantidade de dias. Peço desculpas ao povo do Crato pelos transtornos."

O comentário do secretário é do dia 19 de novembro. Vamos ver quando isso vai se resolver !
Fotos-Adriano Bonfim
Por: Dihelson Mendonça

BLOG DO CRATO




Como a aliança PT–PMDB tornou o estado do Rio de Janeiro "A terra sem lei"


Fonte: Agências de Notícias

O Rio de Janeiro se transformou em uma versão piorada da calamidade em que os anos de lulopetismo jogaram o Brasil

A dramática situação financeira das contas do estado do Rio de Janeiro, onde servidores públicos estão há meses sem receber salários, ou com seus vencimentos fatiados, se soma ao grave quadro de corrupção generalizada nos mais altos escalões do Executivo e do Legislativo fluminenses. O ex-governador Sérgio Cabral já completou um ano na cadeia, preso pela acusação de receber propinas milionárias em contratos do governo estadual – das inúmeras outras acusações que pesam contra Cabral, há até a suspeita de seu envolvimento em suposta compra de votos, em 2009, para a escolha do Rio de Janeiro como sede olímpica de 2016. Agora, é o episódio da prisão, posteriormente revogada, de três deputados estaduais peemedebistas, inclusive o presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), Jorge Picciani, que coloca o estado em convulsão.

Com a violência urbana totalmente fora de controle, as contas públicas dilapidadas – a ponto de o funcionalismo ter de recorrer à generosidade de família e amigos para garantir as refeições diárias – e as frequentes revelações de esquemas de corrupção que saquearam os cofres públicos (segundo a Polícia Federal, o esquema investigado na Cadeia Velha privou o estado de R$ 183 bilhões em tributos não arrecadados em cinco anos), o Rio de Janeiro se transformou em uma versão piorada da calamidade em que os anos de lulopetismo jogaram o Brasil, e não deixa de ser sintomático que Cabral e Pezão tenham sido grandes aliados de Lula e Dilma Rousseff. Enquanto as tentativas de moralização da política local continuarem a ser frustradas – com raras exceções, como a prisão de Cabral –, vislumbrar uma saída para o Rio de Janeiro é tarefa praticamente impossível. Que o prédio da Alerj funcione onde, nos tempos coloniais, funcionava uma prisão (o que deu origem ao nome da operação policial) é apenas mais uma triste ironia da antiga capital federal.

Em cima da hora: mais dois ex-governadores do Rio de Janeiro são presos nesta 4ª feira
Os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony e Rosinha Garotinho foram presos na manhã desta quarta-feira (22). Os agentes da Polícia também prenderam um ex-assessor do governo. Segundo a assessoria de imprensa,  o ex-governador Anthony Garotinho foi preso em seu apartamento na Praia do Flamengo, na zona sul da cidade, enquanto a a ex-governadora foi detida em sua casa em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. A Polícia Federal ainda não se pronunciou oficialmente sobre as prisões.
Perseguição
Em nota, o ex-governador  atribui a sua prisão e a de sua mulher a uma perseguição que, explica, vem sendo vitima desde que denunciou o esquema do ex-governador Sérgio Cabral na Assembleia Legislativa do Rio.
Com o título "Querem Calar o Garotinho mais uma vez", a nota destaca que quem assinou o pedido de prisão foi o juiz Glaucenir de Oliveira, "o mesmo que decretou a primeira prisão de Garotinho no ano passado, logo após ele ter denunciado [o desembargador] Luiz Zveiter à Procuradoria Geral da República".
Garotinho sustenta, ainda, que "nem ele nem nenhum dos acusados cometeu crime" e, conforme disse ontem em um programa, foi alertado por um agente penitenciário a respeito de uma reunião entre Sergio Cabral e o deputado estadual Jorge Picciani, presidente da Assembléia Legislativa do Rio, durante a primeira prisão do parlamentar, semana passada, no presídio de Benfica. "Na ocasião, o presidente da Alerj [Picciani] teria afirmado que iria dar um tiro na cara do Garotinho", diz a nota.
Ela ressalta que a ordem de prisão dada pelo juiz Glaucenir é para que Garotinho vá com a esposa, Rosinha, para o presídio de Benfica, "justamente onde estão os presos da Lava Jato". No comunicado distribuído à imprensa, a assessoria do ex-governador frisa que "essa operação à qual Garotinho e Rosinha respondem não tem relação alguma com a Lava Jato".
(Com informações da Agência Brasil).