10 novembro 2017

Primeira parcela do 13º salário será paga aos trabalhadores até 20 de novembro



Até o dia 20 de novembro, cerca de 48,1 milhões de trabalhadores receberão a primeira parcela do 13º salário. Juntos, os trabalhadores formais vão injetar aproximadamente R$ 132,7 bilhões a economia brasileira. A informação é do Portal Brasil.

“O 13º é importante para o trabalhador, que vai movimentar a economia do País, e é um direito garantido pela nova legislação”, ressalta o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. A gratificação natalina é fixado pela Lei 4.749/1965 e determina que haja parcelamento em duas vezes do pagamento e que a primeira parcela seja quitada de 1º de fevereiro até o dia 30 de novembro, enquanto a segunda, até o dia 20 de dezembro. O valor injetado na economia do País representa 66,2% dos R$ 200 bilhões previstos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), incluindo os aposentados e pensionistas da Previdência Social (INSS), que representam 34,1 milhões, ou 40,9% do total.

BLOG DO CRATO
Desde 2005 registrando a história do Crato, do Ceará e do mundo para a posteridade




Os seresteiros - Por: Emerson Monteiro

Eu me oriento por meio do passar dos acontecimentos que desfilam soltos em meus pensamentos. Eles vêm na maior sem cerimônia, e na maior sem cerimônia também desaparecem debaixo dos dias. Quando estou focado neles, o que acontece de vez em quando, chego mesmo a segurar alguns quase fisicamente, e, nisso, escrevo, descrevo partes da visão do mistério de tal fenômeno. São memórias, lembranças soltas pela caixa vadia dos movimentos internos, quais ondas de maior intensidade e inexistência, mas que têm a força de manifestar a presença em mim, também este ser inexistente que sacode as marés dos pensamentos e balbucia gestos e faíscas. Batem nos rochedos de praias desertas, e que deixo falar através das palavras e dos conteúdos.

Por exemplo, hoje, ao lembrar tempos anteriores, quando ainda criança em Crato e vivenciava algumas atividades artísticas de cantores nascidos no meio da população e que permaneceram assim, só nascidos no meio da população sem chegar ao estrelato dos púlpitos. Eram mecânicos, alfaiates, sapateiros, vendedores ambulantes, pequenos comerciantes, caixeiros de loja, bancários, viajantes, pedreiros, no entanto resolviam e cantavam as modinhas do cancioneiro popular daquela hora, nas madrugadas frias, às janelas dos apaixonados, em programas de auditório das emissoras do lugar, nas praças, nas quermesses da igreja, nas festinhas de aniversários e outras comemorações.

Eles permanecem ali bem vivos nas suas apresentações de dentro dessa pretensa existência à margem das outras realidades que circulam soltas pelos corredores das memórias da gente. Maviosos intérpretes de sucessos que ainda hoje servem de trilha sonora àquele mundo teimoso sempre vivo na alma dos que o viveram. Recordo com relativa facilidade nomes quais Célio Silva, Luís Soares, Geraldo, José Flávio Teles, Peixoto e outros que trazem a fisionomia e precisaria persistir no esforço de lembrar até virem à tona. Havia, também, os músicos que lhes acompanhavam, todos virtuoses e consagrados entre os fãs fiéis que ouviam de olhos acesos, Audísio Gomes, Rivadávia, Hildelito Parente, Nélio Cleiton, Expedito Padeiro, estes que formavam o chamado regional, que dava o tom e mantinha a qualidade inesquecível das peças musicais dos saraus de boleros, sambas canções, guarânias, valsas, de que se sabe existir no mundo inteiro na mesma fase do tempo.

À época, uma era de inocência acústica e respeito ao silêncio, o tônico das inspirações restava por conta das bebidas alcóolicas, isto quase livres do que um dia já fomos da sonoridade agressiva desta intolerável tecnologia de penitência dos atuais paredões.

Curiosidades, verdades e mentiras sobre a proclamação da República no Brasil


Primeira cédulas do início dos Estados Unidos do Brazil

O marechal Manuel Deodoro da Fonseca era simpatizante ao regime monárquico, funcionário de confiança e amigo de D. Pedro II. Apesar de saber da conspiração, relutou em participar dela e aderiu à causa apenas 4 dias antes da proclamação da República, em grande parte mais pelo temor que líderes de alas radicais do exército matassem os membros da família imperial brasileira, pela qual tinha respeito. Acreditava que este ato violento causaria uma guerra civil entre os golpistas com parte da população (grata pela abolição da escravidão) e os defensores do Império, que teriam na família imperial mártires para vingar. Por ser o militar de mais prestígio e de maior patente entre os militares conspiradores, resolveu tomar a frente do golpe de Estado para manter a situação sob controle.
Há divergências sobre até que ponto a participação de Deodoro foi por uma consciência mais ampla ou ambição pessoal. O pesquisador José Eduardo Bruno descreve da seguinte forma a ambiguidade da participação do marechal:
Acordado, Deodoro ouve que dali a poucas horas Ouro Preto assinaria decreto dissolvendo o Exército. Não era verdade, mas irrita-se, veste a farda e dispõe-se a liderar a tropa. Não consegue montar a cavalo, tão fraco estava. Entra numa carruagem e acaba no pátio fronteiriço ao Ministério da Guerra. Lá, monta um cavalo baio e invade o prédio, com os soldados ao lado, todos gritando “Viva Deodoro! Viva Deodoro!” Saudando-os com o agitar do boné na mão direita, grita “Viva o imperador! Viva o imperador!”. Apeia e sobe as escadarias para considerar Ouro Preto deposto. Confuso pela forte febre com que se encontrava, repete diversas vezes: “Nós que nos sacrificamos nos pântanos do Paraguai rejeitamos a dissolução do Exército”. O visconde, corajoso e cruel, retruca que “maior sacrifício estou fazendo eu ouvindo as baboseiras de Vossa Excelência!” Foi o limite para Deodoro dizer que estava todo mundo preso.
O marechal já ia voltando, o sol ainda não tinha nascido e os republicanos, a seu lado, insistem para que aproveite a oportunidade e determine o fim do Império. Ele reluta. Benjamin Constant lembra que se a República fosse proclamada naquela hora, seria governada por um ditador. E o ditador seria ele, Deodoro. Conta a lenda que os olhos do velho militar se arregalaram, a febre passou e ele desceu ao andar térreo, onde montou outra vez o cavalo baio. A tropa recrudesceu com o “Viva Deodoro! Viva Deodoro!” e ele agradeceu com os gritos de “Viva a República! Viva a República!”

Fonte: Site http://historiasylvio.blogspot.com.br/

Rainha da Literatura Cearense: Rachel de Queiroz – por José Luís Lira (*)


Dom Bertrand de Orleans e Bragança, príncipe imperial do Brasil, afirma que a índole do povo brasileiro é monarquista. Por isso uso o termo “rainha” da literatura cearense para traduzir o que foi a escritora Rachel de Queiroz. Não teria outra. Ela foi a que melhor traduziu em romance e crônica a alma cearense. Lembro-me de ter ouvido dela própria sobre ser cearense: “é um privilégio que eu não especifico para não fazer inveja aos que não gozam dessa felicidade”.
No último dia 4, lembramos os 14 anos de seu falecimento. Difícil para nós que a conhecemos e com ela convivemos. Para muitos, uma data histórica. Alguns até nem sabem que ela faleceu. Vez por outra me perguntam se ela mora em Quixadá ou no Rio. Fazer o quê?
No próximo dia 17, Rachel faria 107 anos. Quando de sua morte, em 2003, foi proposto na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará projeto de lei instituindo o Dia da Literatura Cearense em homenagem a Rachel. O projeto foi aprovado e deu origem à Lei Nº 13.411, de 15/12/2003 (D.O 17/12/2003), criando, oficialmente, o “Dia da Literatura Cearense”, a ser comemorado no dia 17 de novembro de cada ano. Nada mais justo. Ela viveu e amou o Ceará. Era um amor tão grande que estando em Berlim Ocidental, em dezembro de 1993, Rachel afirmou que encontrou “a caatinga nordestina em réplica, como gêmeos univitelinos”. Seu apartamento no Leblon era como se fosse território cearense. Na área mais privilegiada do Rio de Janeiro, era cheio de móveis e recordações cearenses e até uma imagem do Pe. Cícero, que ela conheceu e acreditava ser santo. Aliás, a questão de fé sempre foi um desafio para ela, mas, ela nunca escreveu uma linha criticando qualquer tipo de religião. Pelo contrário, uma das crônicas mais belas que li sobre São Vicente de Paulo é de autoria dela. Ela também escreveu sobre Padre Cícero, Dom Helder, Irmã Simas, São João Paulo II e outras figuras do mundo eclesiástico.
Sem nenhum exagero, ainda é difícil escrever ou falar sobre ela. Este ano, no mesmo dia do mês em que faleceu, 4 de novembro, Rachel fez 40 anos de imortalidade literária na Academia Brasileira de Letras. Foi ela a primeira mulher a ingressar no sodalício. Também foi a primeira cearense a se candidatar a deputada, enfim. Sempre que falarmos em direitos da mulher no Brasil, por justiça, seu nome deve ser citado como mulher forte, determinada e culta.
Incentivado pela magnífica reitora da Universidade de Fortaleza, Profª. Drª. Fátima Veras, incursionei em relançar em edição especial o ensaio biográfico que fiz sobre Rachel, lançado poucos meses antes da morte da escritora. Atualizei e acresci dados e revivi aqueles dias de emoção. A UNIFOR, universidade onde me formei em Direito, preparou uma bela edição. Em breve, o lançaremos ainda nas homenagens aos 40 anos de imortalidade da grande dama da literatura brasileira e rainha da literatura cearense, tão presente em minha vida.
Desde o nascimento de Rachel em Fortaleza, seu batizado em Pacatuba, à seca d’O Quinze, que já mocinha colocou os dramas da seca como moldura de um romance, passando pela jornalista, cronista e escritora sábia que coroou sua carreira com o majestoso “Memorial de Maria Moura”, focalizamos neste trabalho e cremos não ser suficiente para realçar seu nome em nossa história e literatura! Salve Rachel!

(*) José Luís Lira é advogado e professor do curso de Direito da Universidade Vale do Acaraú–UVA, de Sobral (CE). Doutor em Direito e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Lomas de Zamora (Argentina) e Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Messina (Itália). É Jornalista profissional. Historiador e memorialista com vários livros publicados. Pertence a diversas entidades científicas e culturais brasileiras. É colaborador do Blog do Crato.

Diretor da Polícia Federal vê 'corrupção sistêmica' no país e diz que Polícia Federal 'ampliará' operações


Novo diretor-geral da PF deu declaração à TV Globo logo após assinar termo de posse, nesta sexta. Segundo ele, 'não será só uma ampliação, uma melhoria na Lava Jato, será em todas as operações'.

novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, avaliou nesta sexta-feira (10) à TV Globo que a corrupção no Brasil é "sistêmica". Por isso, explicou, o objetivo é "ampliar" as operações de combate a esse tipo de prática. Segóvia assumiu o comando da PF nesta semana, substituindo Leandro Daiello, que estava no cargo desde 2011. A nomeação do novo diretor-geral já foi publicada no "Diário Oficial da União". "A Lava Jato, na realidade, ela é uma das operações de combate à corrupção no país. O que a Polícia Federal pretende é justamente ampliar, aumentar o combate à corrupção. Então, não será só uma ampliação, uma melhoria na Lava Jato, será em todas as operações que a Polícia Federal já vem empreendendo, bem como ainda ampliar, quer dizer, criar novas operações", disse Segóvia nesta sexta.

As declarações foram dadas no Ministério da Justiça, logo após Segóvia assinar o termo de posse. A expectativa é que o novo diretor-geral da PF se encontre, ainda nesta sexta, com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

G1
VIA BLOG DO CRATO


CRATO - Cidadão reclama de problemas que nunca se resolvem


PARANDO EM LOCAL PROIBIDO





"Da série: Está tudo errado! Vivo constantemente tentando de alguma forma da uma contribuição positiva para a nossa cidade, isso a ponto de se tornar um chato para alguns nas insistentes postagens do que observo de errado. Por exemplo: essa sinalização em frente ao colégio Santa Tereza, está completamente equivocada. Esse sinal onde tem uma faixa cortando nos dois sentidos, significa: Proibido parar e estacionar, ou seja, tolerância ZERO. Então para os pais que buscam seus filhos naquele colégio, estão a todo momento sujeito a serem surpreendidos com alguma multa. O que sugiro é que essa sinalização seja transferida para a calçada em frente, onde temos diversas casas com garagem e que também ficam prejudicadas por isso. Aí se colocaria uma placa de embarque e desembarque em frente ao colégio e tudo ficaria resolvido. É SÓ UMA DICA."

Por: Lucieldo Moreira - Corretor de Imóveis.
VIA BLOG DO CRATO - www.facebook.com/blogcrato




Lula pede que Moro não autorize depoimentos de contador e suposto laranja



A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu nesta sexta-feira (10) ao juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na Justiça Federal do Paraná, que não autorize depoimentos do engenheiro Glaucos da Costamarques e do contador João Muniz Leite. A solicitação das oitivas foi feita na quinta (9) pelo MPF  (Ministério Público Federal).

O pedido dos procuradores foi feito no processo que apura a veracidade dos recibos de pagamento do aluguel de um apartamento usado por Lula em São Bernardo do Campo (SP), vizinho ao que o ex-presidente vive. O MPF quer que Costamarques e Leite sejam ouvidos antes de uma perícia nos recibos, entregues pela defesa de Lula.

Fonte: G1
VIA BLOG DO CRATO


Avião cai na cidade de Goiás, e passageiros sobrevivem




Segundo o Corpo de Bombeiros, quatro homens estavam na aeronave e sofreram ferimentos leves. Avião pegou fogo após a queda.

Um avião caiu na tarde desta sexta-feira (10) na cidade de Goiás, na região central do estado. Segundo o Corpo de Bombeiros, quatro homens estavam na aeronave e sobreviveram. A Força Aérea Brasileira (FAB) informou que o avião saiu de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, em direção a Anápolis, em Goiás. Porém, caiu antes de chegar ao destino, por volta das 14h30. De acordo com os bombeiros, a queda aconteceu a cerca de 2 quilômetros do aeroporto da cidade de Goiás. Logo após os passageiros saírem do avião, ele pegou fogo. A equipe do Corpo de Bombeiros que foi ao local já controlou as chamas.

A assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros explicou ainda que os passageiros estavam conscientes. Apesar de não terem sofrido ferimentos graves aparentes, os ocupantes foram levados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para um hospital da cidade para verificação.
Os nomes dos ocupantes ainda não foram informados.

Fonte: G1
BLOG DO CRATO



Cidade italiana oferece até R$ 7 mil para quem se mudar para lá



Uma cidade italiana está oferecendo dinheiro para quem desejar se mudar para lá. De acordo com o prefeito de Candela, o objetivo é aumentar a população local, que conta com apenas 2,7 mil pessoas. “Eu trabalho todos os dias com paixão e compromisso para trazer a Candela o seu antigo esplendor. Até a década de 1960, os viajantes a chamavam de ‘Nap’licchie’ (Pequena Nápoles), com suas ruas cheias de viajantes, turistas, comerciantes e vendedores gritantes”, explica o prefeito, Nicola Gasta.

Os moradores explicam que a cidade, que fica a 130 km de Nápoles, é bastante simples e tem pontos positivos como a segurança, a tranquilidade e a natureza por perto. Quem decidir se mudar vai ganhar um incentivo de 800 euros, para pessoas solteiras, 1.200 euros para casais, de 1.500 a 1.800 euros para famílias de três pessoas e 2.000 euros para famílias de quatro a cinco pessoas. A cidade também vai oferecer benefícios em contas e creches para os moradores, que podem vir de qualquer parte do planeta. Há algumas ressalvas, no entanto: quem se mudar para lá deve alugar uma casa e encontrar um emprego que pague pelo menos 7,5 mil euros por ano. “Não queremos pessoas aqui pensando que elas vivem das receitas da prefeitura, todos os novos moradores devem trabalhar e ter uma renda”, explica Stefano Bascianelli, braço-direito do prefeito.

Yahoo Notícias
VIA BLOG DO CRATO


Governador entrega Escola de Educação Profissional para os jovens de Guaramiranga, Pacoti e Palmácia



Um dia depois que anunciou o pagamento de mais de R$ 14 milhões em gratificações e promoções para professores da rede estadual, o governador Camilo Santana deu continuidade, no final da tarde desta quinta-feira (9), em sua agenda voltada para a educação. O local foi o município de Palmácia, que foi tomado pelos sorrisos de muitos jovens, que embalaram o momento com muita cantoria. Isso porque, agora, eles contam com a Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Maria Giselda Coelho Teixeira que vai atender também a população de Guaramiranga e Pacoti. O equipamento, o terceiro da região do Maciço de Baturité, contou com investimento em torno de R$ 14 milhões, dos governos federal e estadual.

A recepção a Camilo Santana não poderia ter sido mais emocionante, com todos os estudantes cantando em coro as canções “Girassol”, do grupo Cidade Negra, e “Dias Melhores”, do Jota Quest. “Quero transmitir a minha alegria pelo o que eu vi. Essa escola não deixa a desejar em nada se comparada com qualquer escola particular do país. Temos que ter muito orgulho, pois o Ceará ainda é pobre, mas é considerado o estado com a melhor educação pública do Brasil. Resultado de um trabalho feito com muita paixão. Ser professor não precisa só ter vocação, precisa ter amor, pois todas as outras profissões passam por ele. É importante construir um prédio bonito como esse, climatizado, com laboratórios, mas também valorizar as pessoas que estão dentro dele. Aos pais, vocês também fazem parte dessa história. Não tenho dúvida que daqui sairão médicos, engenheiros, prefeitos, governadores”, disse o governador.

Governo do Estado do Ceará
VIA BLOG DO CRATO


Congresso dá 'feriadão' de uma semana para parlamentares



Próximo ao fim do ano legislativo, o Congresso terá cinco dias de folga na semana que vem, quando apenas a quarta-feira (15) é feriado pela comemoração à Proclamação da República.

A Câmara dispensou os deputados entre os dias 13 e 17 de novembro. Para tentar justificar o "feriadão" de cinco dias, convocou sessões para esta quinta (9) e sexta-feira (10). Já no Senado, o presidente Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse que não dispensará os parlamentares e que haverá deliberação na segunda (13) e na terça-feira (14). Porém uma consulta à previsão de pauta mostra que não existem projetos para serem votados na segunda. Na terça não há previsão da deliberação de textos de grande preocupação do Congresso e do governo. Entre os projetos previstos está um que concede o título ao município de Limeira (SP) de "Capital Nacional da Joia Folheada".

Prevendo falta generalizada devido ao feriado do dia 15, Eunício deixou de fora da agenda projetos considerados relevantes. Ele adiou para a semana do dia 20 a votação de uma proposta que altera a cobrança de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do querosene de aviação. De acordo com a mesa diretora do Senado, há previsão de sessão deliberativa para a manhã de terça-feira e aqueles que não comparecerem terão falta marcada e desconto no salário imediatamente. Esta é a segunda semana em novembro que o Congresso tem atividades reduzidas. Na semana passada, com o feriado de finados (2), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e mais nove deputados se ausentaram entre o dia 27 de outubro e 5 de novembro para fazer um tour por três países da Europa e Oriente Médio. As despesas foram pagas com dinheiro público.


Na ocasião, embora sessões tenham sido realizadas, as atividades parlamentares tiveram ritmo reduzido. A folga estendida ocorre em meio a um calendário apertado para aprovação da Reforma da Previdência, uma das principais bandeiras do governo Michel Temer. Esta semana, o presidente ouviu tanto de deputados quanto de senadores da base as dificuldades em conseguir se aprovar mudanças no tema em meio ao calendário reduzido. Alguns parlamentares levaram ao peemedebista a preocupação de que a votação da reforma coincida com o calendário eleitoral de 2018, o que tornaria o apoio do Congresso ainda mais difícil já que se trata de um projeto com medidas impopulares.

Folhapress
VIA BLOG DO CRATO


Papa proíbe venda de cigarros no Vaticano



O Papa Francisco ordenou a proibição da venda de cigarros na Cidade do Vaticano - uma importante fonte de receita para os cofres da cidade-Estado - porque os mesmos são prejudiciais à saúde, foi informado oficialmente nesta quinta-feira. "O motivo é muito simples: a Santa Sé não pode contribuir com uma atividade que afeta claramente a saúde das pessoas", afirmou em um comunicado o porta-voz do Vaticano, Greg Burke. "Apesar da venda de cigarros a funcionários e aposentados a um preço reduzido ser uma boa fonte de rendimentos para a Santa Sé, nenhum lucro é legítimo se custa a vida das pessoas", acrescenta a nota.

A venda será proibida a partir de 2018, e portanto os funcionários do Vaticano, cerca de 6.000 pessoas, não poderão mais comprar cigarros nas lojas internas, que estão isentas de impostos. O Papa Francisco quando era jovem teve problemas em um pulmão, e por isso não fuma. O Vaticano promulgou em 2002, antes da Itália, uma lei que proíbe fumar em locais públicos, embora permitisse a venda de maços de cigarros com desconto em sua loja interna, situada na ex-estação de trens do Vaticano. Os Estados Pontifícios foram os primeiros a importar a planta de tabaco, e algumas gravuras e pinturas antigas mostram um papa fumando.

Agência Brasil
VIA BLOG DO CRATO



Aécio afasta Tasso da presidência do PSDB e indica Goldman para o cargo




O senador Aécio Neves volta ao Senado para reassumir seu mandato. Aécio havia sido afastado por determinação da Primeira Turma do STF, a pedido da PGR.

O senador Aécio Neves reassumiu a presidência do partidoMarcelo Camargo/Agência Brasil
Afastado da presidência do PSDB desde maio, quando foi acusado de pedir R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, em troca de favores, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) reassumiu o cargo hoje (9). Na sequência, o senador indicou o vice-governador de São Paulo, Alberto Goldman, para assumir interinamente a presidência da legenda. O fato ocorre um dia após o presidente interino da legenda, senador Tasso Jereissati (CE), anunciar oficialmente a candidatura dele à presidência do partido. O PSDB é a terceira maior bancada do Senado, com 11 senadores, e a terceira maior da Câmara, com 46 deputados. Em um comunicado enviado a Jereissati, Aécio afirma que retoma o posto para “garantir a desejável isonomia entre os postulantes” na disputa pela presidência do PSDB. No documento, o senador mineiro informou ainda que Goldman, o mais antigo vice-presidente tucano irá conduzir o processo eleitoral, marcado para o dia 9 de dezembro, quando ocorrerá a convenção nacional do partido. Ainda no comunicado, Aécio faz um agradecimento a Jereissati por ter aceitado assumir o partido interinamente. “Aproveito a oportunidade para agradecer-lhe por ter aceito minha indicação e assumido a presidência interina do PSDB nos últimos meses”, Por diversas vezes no período a frente dos tucanos, Tasso Jereissati cobrou publicamente que Aécio renunciasse o comando do partido, o que não ocorreu.

Além de Jeressati, também está na disputa pela presidência do PSDB o governador de Goiás, Marconi Perillo. Pouco depois de informado do afastamento, Tasso Jereissati criticou Aécio e o acusou de colocar questões pessoais acima do partido. Segundo Jereissati, Aécio o procurou para pedir que deixasse a presidência interina. Em resposta, o senador cearense disse para que Aécio o destituísse para que ficasse clara a diferença entre os dois. “Temos hoje diferenças profundas, muito profundas e acho justo que ele, tendo essas diferenças profundas, não me queira como candidato”, disse Jeressati a jornalistas.  Já Marconi Perillo, que tem o apoio de Aécio na disputa à presidência do partido, divulgou nota elogiando a decisão tomada por Aécio. “Seria antiético e nem um pouco isonômico o processo se essa decisão não fosse adotada, já que a máquina partidária poderia pender para o lado de quem estivesse no comando do partido. O ex-governador Alberto Goldman é um líder com história e biografia respeitáveis no partido e na vida pública, e, portanto merecedor de todo o nosso respeito”, disse Perillo em nota.

Denúncia

Em junho, o senador Aécio Neves foi denunciado por Janot por corrupção passiva e obstrução de Justiça, acusado de receber R$ 2 milhões em propina do empresário Joesley Batista, com o qual foi gravado, em ação controlada pela Polícia Federal, em conversas suspeitas. Em delação premiada, o executivo assumiu o repasse ilegal. O senador nega as acusações. Sua principal linha de defesa no processo é a de que a quantia que recebeu de Joesley foi um empréstimo pessoal, sendo uma operação sem nenhuma natureza ilegal. No dia 17 de outubro, o plenário do Senado decidiu reverter a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) e suspendeu o afastamento parlamentar de Aécio, que havia sido imposto no dia 26 de setembro. Com os votos de 44 senadores contra a manutenção das medidas cautelares e de 26 favoráveis, os parlamentares impediram o afastamento de Aécio, o seu recolhimento domiciliar noturno e reverteram a obrigação de entregar o passaporte.

Agência Brasil
Foto: Marcos Oliveira Senado
VIA BLOG DO CRATO


GloboNews suspende programa de William Waack



A GloboNews cancelou nesta quarta-feira (8) o programa "Painel", apresentado por William Waack desde 2000. A informação é de Ricardo Feltrin, colunista do UOL.

A atração, exibida aos sábados, recebia convidados para tratar de temas da semana, sobretudo nas esferas econômica, políticas e internacional. A decisão foi tomada após o vazamento de um vídeo nesta quarta-feira (8) em que Waack afirma, irritado, que o barulho de uma buzina ao fundo é "coisa de preto". Ele também foi afastado do "Jornal da Globo". Até as 20h a TV Globo não havia confirmado se a suspensão se tornaria definitiva. Em nota, Waack pediu "sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados". A emissora afirmou repudiar qualquer forma de racismo. O vídeo com a declaração do jornalista, feita nos bastidores antes de uma entrevista realizada durante a cobertura eleitoral dos EUA em 2016, circulou num grupo de WhatsApp de editores de TV antes de chegar à internet. Segundo a reportagem apurou, a gravação foi levada por um dos integrantes, abrindo um debate interno sobre se as cenas deveriam ser disponibilizadas publicamente, em rede social. A conclusão foi que sim. Mas no dia seguinte à divulgação, o grupo passou por uma debandada, provocada pelo temor de identificação e represália contra o responsável pelo vazamento. A repercussão do caso chegou ao topo dos trending topics do Twitter. O jornalista faria uma palestra na Sicoob Credirocha nesta quinta-feira (9), no Espírito Santo, mas o evento foi cancelado. Segundo a Contrate Palestras, uma das agências que representam Waack, o cancelamento foi realizado a pedido do jornalista e não da empresa. A Contrate Palestra disse ainda que continuará representando William Waack. Ele também está no catálogo da MotiveAção Palestras, em cuja página está registrado que Waack cobra entre R$ 30 mil e R$ 40 mil por evento. A empresa também decidiu mantê-lo entre seus clientes.

Fonte: Folhapress
VIA BLOG DO CRATO


PF prende advogado suspeito de vender influência em decisões de STF e STJ



A Polícia Federal deflagrou hoje (10) a operação “Mercador de Fumaça”, na qual prendeu um advogado de Brasília que prometia influenciar decisões judiciais no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF), em troca de dinheiro.

Em um dos casos, o advogado, cuja identidade não foi revelada, teria cobrado R$ 2 milhões de um prefeito que havia sido afastado do cargo pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) e recorrera ao STJ, segundo informações do Ministério Público Federal (MPF). O advogado teria alegado que parte da quantia serviria para pagar assessores jurídicos que atuam no gabinete de ministros das Cortes Superiores, embora não existam indícios da participação de servidores públicos no esquema, de acordo com as informações da PF. O MPF pediu a prisão preventiva do advogado com o argumento de preservar a ordem pública, pois o investigado já responde a outros inquéritos pelo mesmo crime, inclusive tendo confessado o esquema de manipulação de decisões judiciais em um tribunal superior. A medida foi autorizada pela 10ª Vara Federal de Brasília. O advogado responderá pelo crime de exploração de prestígio, que prevê pena de um a cinco anos de reclusão em caso de condenação. O nome da operação da PF faz referência à expressão “vender fumaça”, usada no meio forense para se referir a esse tipo de crime.

Fonte: Agência Brasil
VIA BLOG DO CRATO



Dia D de Campanha de Vacinação Antirrábica acontece amanhã, sábado, em Crato



O Governo do Crato, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realiza amanhã, sábado, 11, das 8h às 17h, o Dia D. da Campanha da Vacinação Antirrábica.

Nessa primeira etapa serão disponibilizados sete postos de vacinação: Centro de Zoonoses; Posto Teodorico Teles; Posto da Grota; Secretaria de Saúde; Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (SMTDS); Mirandão, ao lado da igreja; e no Centro de Nutrição, localizado no bairro Pantanal. A equipe da Secretaria de Saúde pede que a população leve seus animais, cães e gatos, com coleiras ou em caixas para facilitar a vacinação e informa ainda que as vacinas continuarão sendo disponibilizadas no Centro de Zoonoses, durante toda a próxima semana, das 8h às 16h. No sábado, dia 18 de novembro, será realizada a segunda etapa da campanha.

Fonte: PMC
VIA BLOG DO CRATO


O pequeno rouxinol - Por: Emerson Monteiro

Princípios da década de 60, havia em Crato, no auditório da recentemente inaugurada Rádio Educadora, famosos e animados programas de auditório, com frequência assegurada de boa parte da população. Dentre os apresentadores lembro-me de Gilberto Pinheiro e Heron Aquino. Das atrações principais, dotadas de nomes eternos do cancioneiro caririense, constava um garoto, José Roberto Brito, que fez enorme sucesso cantando sobretudo as músicas de Joselito, a voz que emocionava plateias pelo mundo, naquela hora. Cantor e ator de renome, com mais de uma dezena de filmes, destacara-se qual das vozes infantis melhor consideradas do século XX. 

José Jiménez Fernández, nascido na Espanha, em Beas de Segura, Jaén, em 11 de Fevereiro de 1943, teve o seu apogeu quando criança. No correr da carreira, no entanto, após fama internacional de alguns anos, já no início da idade adulta, ver-se-ia envolvido em processos judiciais momentosos, sob a acusação de participar da guerra civil em Angola, na África. Constaram contra ele envolvimentos como mercenário e traficante de armas e drogas. Alegaria inocência, visto justificar sucessivas viagens ao continente africano a título de caçador e colecionador, sendo, outrossim, condenado a cinco anos de prisão, dos quais cumpriria apenas dois, face a bom comportamento.

Ao ser libertado, regressaria aos palcos cantando baladas românticas, longe, porém, do destaque obtido na primeira fase da carreira artística. Seguiria profissionalmente a desempenhar funções de empresário de outros cantores. Hoje há registros de sua história através da rede internacional de computadores, inclusive de cenas de seus filmes e páginas de suas interpretações memoráveis.

À época que citei, primeiros dos anos 60, Joselito marcaria de modo particular a história de Crato face ao desempenho de Zé Roberto nesses programas de auditório da Rádio Educadora, também com voz de rara beleza, em noites inesquecíveis à nossa geração. 

Polícia Federal investiga professor por ensinar comunismo na Universidade de Ouro Preto-Ufop

Fonte: jornal "Estado de Minas"   
 
André Mayer é alvo de inquérito policial, pedido pelo Ministério Público, porque teria desobedecido ordem de juiz federal que determinou a suspensão de centro de estudos sobre a ideologia na Ufop
Um professor da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) está sendo investigado pela Polícia Federal, a pedido da Procuradoria da República em Viçosa, após ter criado um grupo denominado Centro de Difusão do Comunismo (CDC) na universidade. A acusação contra ele é referente ao suposto desobedecimento da decisão de 2013 de um juiz federal do Maranhão que determinava o fim do projeto.
   O professor André Mayer, que coordenava o centro, manteve, como projeto próprio financiado pelo CNPq, um dos grupos de pesquisa ligado ao CDC – a Liga dos Comunistas, motivo pelo qual a investigação foi reaberta.O documento que instaura o inquérito pela Polícia Federal sustenta que o professor estaria “utilizando recursos públicos da Ufop para divulgação e realização de eventos de cunho comunista, contrariando ordem judicial proferida pelo juiz”. O Ministério Público Federal frisa que a investigação se dá pelo fato de que “não se sabe se suas ações comprovam o descumprimento da ordem judicial referida.”
    O professor André Mayer diz que não esperava essa investigação. “Em 2013 fomos pegos de surpresa com um processo judicial que queria suspender as atividades de um programa de extensão. Suspendemos, então, o programa. Um ano depois saiu a sentença em primeira instância ratificando a suspensão. Acabamos abrindo mão de ficar correndo atrás, seriam anos infindos. Decidimos, apenas, manter um grupo de pesquisa, um núcleo de estudos marxistas, que era inclusive anterior ao CDC, datado de 2009. Fez parte dele, mas é um grupo de pesquisa como um outro qualquer na universidade. Para nossa surpresa, novamente fomos notificados de que estamos intimados a depor”, comenta.
    André Mayer conta que “alguém acionou o Ministério Público Federal” e que a situação faz parte de um processo de “criminalização” dos movimentos sociais. “O nome preciso do que está acontecendo é criminalização do debate crítico contra a ordem do capital. O pensamento que coloca em xeque as relações sociais do capitalismo é um pensamento perseguido. Isso é secular, principalmente quando você está ligado aos pensamentos de Marx. A expectativa é de que teremos uma dura batalha pela frente, uma batalha política ideológica e jurídica”, explica.

"Coisas da República": O golpe de Itararé



Lula já ensaia reatar com partidos pró-impeachment de Dilma, sem os quais não poderá governar
 Intenso e insistente por ocasião do impeachment, parece entrar agora em declínio o artifício retórico de que a deposição de Dilma Rousseff (PT) não passava de um golpe promovido pelas elites, a romper com o ciclo democrático regido pela Constituição de 1988.
 Foi, de resto, em estrita obediência aos princípios daquele texto que se deu o processo de afastamento da petista. Como é notório, as instituições políticas e as liberdades fundamentais não sofreram abalo desde então.
No terreno da historiografia, onde vigora a influência das concepções lulistas, é possível que a descrição da crise de 2016 ainda venha a se cobrir de tintas partidárias.
Quando se passa, entretanto, do lulismo imaginário para o real, a tese do golpe já se mostra em vias de desaparecimento, sem que por isso o compromisso com a verdade conheça alguma recuperação.
Em recente ato de sua pré-campanha eleitoral, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirma, por exemplo, que está "perdoando os golpistas" e está pronto a "trazer a democracia de volta".
A democracia não saiu de cena, entretanto, quando assumiu o vice-presidente eleito pela mesma coalizão que entregara a Dilma Rousseff a responsabilidade —que desbaratou— de conduzir o país.
Diversamente do que quis dar a entender Lula no pré-comício de Belo Horizonte, não há nessa atitude um perdão comparável ao de Juscelino Kubitschek –este, em pleno exercício da Presidência, não quis punir a meia dúzia de oficiais exaltados que promoveram rebeliões desvairadas em 1956 e 1959.
O que há, simplesmente, é o Lula de sempre, que, com uma oratória supostamente emancipatória e justicialista, nunca pôde deixar de atender a interesses fisiológicos e empresariais, plenamente à vontade com a corrupção, o cinismo e a mentira.
Trata-se, mais uma vez, de conquistar oligarquias regionais e máquinas partidárias apodrecidas como forças auxiliares para o exercício do poder pessoal e contentamento dos "apparatchiks" do PT.
O novo barão de Itararé —aquele nomeado jocosamente a partir de uma batalha quimérica—perdoa o golpe que não houve.
Esqueça-se a tal afronta à ordem democrática; deem-se todos as mãos. Os supostos golpistas, afinal, compõem mais de dois terços do Congresso e as maiores fatias dos governos estaduais e municipais; sem eles, o tempo de propaganda na televisão é escasso, não se elege uma boa bancada parlamentar nem se governa.
Não se consegue lotear sozinho o Estado brasileiro, como demonstra a cada dia o semiparlamentarismo de Michel Temer (PMDB).

Fonte: editoriais@grupofolha.com.br

4ª feira, 15 de novembro, vai ser feriado

   Este artigo também poderia ter por título: "A história que seu professor de história não contou".Mas, seja sincero, você sabe por que 15 de novembro é “feriado nacional”? Respondo curto e grosso:Porque as autoridades republicanas gostariam que o povo festejasse a "Proclamação da República", ou seja, o maior e mais famoso dentre os golpes de estado constantes na história do Brasil.
     Na prática, o povo brasileiro não está nem aí para a atual  caótica República brasileira. Esta, piora a cada dia. Está igual à cantiga da perua: de pior a píor...Mas vamos ao que interessa: se o povo não nutre nenhuma estima pelo regime republicano, por que o Brasil continua sendo a "República Federativa do Brasil"? Até 1967 o nome oficial era "Estados Unidos do Brasil".
   Diferente do que nos foi ensinado nas escolas (do ensino médio às universidades dominadas pela "esquerdona") , a república não era uma ideia que agradava a população brasileira. Pelo contrário. Já em 1884, bem próximo da apelidada “proclamação”, apenas três republicanos conseguiram se eleger para a Câmara dos Deputados do Império. Na eleição seguinte somente um. Ou seja, o Partido Republicano (que tinha toda liberdade de ação no reinado de Dom Pedro II) era como um desses partidos nanicos que proliferam  hoje no Brasil (a exemplo do PSTU, do Partido Comunista Operário,do  PSOL, dentre outros).
   Os republicanos tentavam a todo custo disseminar suas ideias pelo País, porém era um trabalho em vão. Quando enfim perceberam que não conseguiriam por fins pacíficos acabar com o Império do Brasil, os conspiradores minoritários tiveram a grande ideia de provocar  um golpe militar. Só que para que isso acontecesse precisariam ter o apoio de um líder de prestígio da tropa militar. Foi ai que então resolveram se aproximar do Marechal Deodoro da Fonseca, em busca de apoio.
   O que grande parte das pessoas não sabe é que foi tarefa difícil convencer Marechal Deodoro a dar o golpe, tendo em vista que o mesmo era amigo do Imperador Dom Pedro II, além de ser um dos maiores defensores da Monarquia. Mas qualquer pessoa tem seu “ponto fraco”. Aposto que isso tudo seu professor de história não contou: O Brasil travestiu-se de país republicano, graças a uma disputa entre o Marechal Deodoro e um político gaúcho (Silveira Martins) que tinham interesse pela mesma mulher: um tal de Adelaide.
   No calor dos acontecimentos, os republicanos precisavam pensar em algo rápido para convencerem o marechal a fazer a tal "proclamação". Diz a Sagrada Escritura que "Os filhos das trevas são mais espertos do que os filhos da luz". Verdade. Eles informaram então a Deodoro  que Dom Pedro II teria nomeado Gaspar Silveira Martins como primeiro ministro, em substituição ao Visconde de Ouro Preto. Era mentira. Mas Gaspar nada mais era do que o grande rival de Deodoro, pois os dois já haviam disputado o amor de uma certa viúva gaúcha, a já mencionada Adelaide. Esta, por justiça deveria ser chamada "A heroína da República".
   Na disputa, Deodoro saiu perdendo. Essa foi a gota d’água para que Deodoro “proclamasse” a República no Brasil. Deu no que deu o plano dos conspiradores. E resultou no caos dos dias atuais. Como podemos perceber, não há o que comemorar no próximo dia 15 de novembro! Na verdade, essa “República” foi um golpe militar de uma elite contra outra. E o povo assistiu passivamente a mudança do regime, no qual o estado de coisas, a condição depauperada de vida da maioria continuou. E piorou nos últimos meses...
   Portanto, nós devemos esse inopinado feriado ao Marechal Deodoro da Fonseca, militar e político brasileiro, que, no dia 15 de novembro de 1889, proclamou a República Brasileira, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil e pondo fim à soberania de Dom Pedro II. Foi esse o primeiro golpe militar no Brasil.
     Na República, novos  golpes viriam a ocorrer. E em várias ocasiões. Mas isso é assunto para próximos artigos.