05 novembro 2017

Na minha Opinião ! - Por Maria Otilia

O tema da redação do ENEM 2017, realmente surpreendeu muitos estudantes e até educadores.Temos visto nos anos anteriores que os temas da redação tinham um viés sociológico, voltado para as minorias. Portanto, muitos professores acreditavam que temas, como analfabetismo funcional, inclusão digital,intolerância aos LGBTs, Mobilidade Urbana, etc, poderiam ser os indicados para o ENEM. Embora o tem atual que trata da população com deficiência auditiva,seja um assunto de inclusão social, grande parte dos nossos estudantes do Ensino Médio, não buscam leituras até porque nossas escolas ainda não são consideradas inclusivas de fato e de direito. Na minha opinião, foi um tema difícil de dissertar até porque não existe acervo acadêmico que propicie aos estudantes, um aprofundamento da problemática sugerida na prova do ENEM. Nós que trabalhamos com Educação Especial, bem sabemos que a inclusão de pessoas com necessidades especiais, em especial os "surdos" ainda é muito difícil. Falta políticas públicas efetivas desde a educação infantil, para que as escolas possam ofertar o acesso, a permanência e o sucesso destes meninos e meninas com deficiência auditiva.
A Linguagem de Sinais já se configura como efetiva, mas na maioria das instituições a equipe de professores não estão aptos para trabalhar com esta demanda. Sempre, na rotina escolar , os estudantes são acompanhados por um intérprete , para que ele realmente possa adquirir novas aprendizagens.E aqui deixamos o seguinte questionamento:Em que medida a lei federal 10436 de Libras, tem estabelecido parâmetros de atuação na sociedade, aos profissionais e a educação ?
Infelizmente enquanto órgãos importantes como o STF, INEP, MEC etc,  ficam buscando liminar para isso ou aquilo, como aconteceu às vésperas da realização do ENEM, falta políticas públicas efetivas para realmente se fazer uma educação inclusiva  sem separações de sexo, raça, classe social ,ou seja , está  aberta para colher as diferenças

Humberto Macário, Pedro Felício e José Ailton Brasil - Por: Valdemir Correia de Sousa


Aos amigos e leitores do Blog do Crato,

Começo este artigo voltando muitos anos atrás, e lembrando um dia que recebi um telefonema do grande líder politico, Dr. Humberto Macário, convidando para ir ao seu consultório no Hospital Manoel de Abreu. Fui. Naquela época eu era o presidente do P.F.L local.

Lá chegando, depois de um cafezinho, e um bom papo, o mesmo disse Valdemir, está se aproximando as eleições, e eu queria que você levasse uma mensagem para seu Pedro Felicio: Diga. ao mesmo que proponho  fazermos um acordo, e lançarmos um candidato  único. Ele mandou dizer a seu Pedro que mandasse o nome de três candidatos, nos quais o meu estaria incluído, para ser escolhido candidato, e ele, Dr. Humberto, mandaria os nomes de três para a escolha do vice-prefeito.Fui falar com seu Pedro. levei a ideia, ele examinou,pensou e disse: Valdemir, vou examinar a proposta, e uma coisa é certa.O seu nome será enviado, e tenho convicção, que ele vai lhe escolher, mas lhe peço como amigo que dada a nossa convivência desde menino, que você não queira entrar neste negócio. Aí ele disse: Olha voce é um comerciante que está se destacando, crescendo, e se entrar na politica, daqui a dois ou três anos, tudo que você ganhou, vai embora, você vai ficar sem nada. Voltei ao Dr Humberto, dei o recado ao mesmo, que então lançou o Capitão Ariovaldo, que na época era seu adversário
politico. O mesmo foi eleito, fez uma brilhante administração. 

Bem... D.Quintino,deixou de ter um filho Prefeito, lacuna esta que muitos anos após foi sanada com  a eleição de José Ailton Brasil. Passados todo este tempo, ontem no jornal do Cariri,li um artigo muito desfavorável ao jovem prefeito. Não é bem assim, conforme diz o jornal. O prefeito pela melhor boa vontade que tenha, não pode assumir uma prefeitura, da maneira como assumiu, dentro de pouco espaço de tempo, a mesma estar completamente saneada. Somos conterrâneos,
e parentes, mas desde que o mesmo assumiu, encontramo-nos duas vezes, no aeroporto
de Fortaleza, e ele me disse do sofrimento de milhares  de pessoas pedindo emprego, sem o
mesmo poder atender. 


É o mesmo caso de Temer.  O PT deixou o Brasil desgovernado, e a população quer que o atual presidente conserte tudo dentro de pouco tempo.Mas voltando ao Crato, creio que o prefeito está no caminho certo. A cidade está bem limpa, pagamento em dia,construindo o camelódromo, comprando o prédio do SESI, do Manoel de Abreu, e com o auxilio do governador, construindo a Avenida Maria Muniz, dando novo aspecto na entrada da cidade.Vamos torcer para que o jornal esteja equivocado, e logo mais, faça um artigo enaltecendo a administração de Jose Aiton  Brasil, um rapaz honesto, que com muitas dificuldades chegou na posição que chegou,depois de muita luta, muito trabalho
o futuro irá confirmar. 

Vamos torcer.
Valdemir Correia de Sousa
Membro do Blog do Crato




REFLEXÃO

Alguém lembra? Cadernos escolares usados na escolas brasileiras até  os anos 1960
 
Nasci branco, então me acusam de ser racista.
Nunca votei no PT, PCdoB, PSOL, então sou fascista.
Sou hétero e, logo, homofóbico.

Considero a ideologia de gênero uma aberração e, portanto, sou preconceituoso.
Nunca fui sindicalizado, o que me torna um traidor da causa operária e aliado dos patrões.
Eu penso. Não acredito em qualquer coisa que a mídia publica, portanto sou reacionário.
Atenho-me a meus valores morais e culturais, o que me faz ser acusado de ser falso moralista e hipócrita.

Gostaria de viver em segurança e que os bandidos estivessem na cadeia; então sou um saudosista do DOI-CODI.
Cumpro as leis e gostaria que todos, inclusive o governo, também a cumprissem, o que me torna um ultrarradical da Nova Direita.

Defendo que o trabalhador seja digno do seu salário e que as conquistas materiais devem ser o resultado e a recompensa do esforço do seu trabalho, criatividade e produção; então sou um capitalista selvagem, explorador do proletariado.
Sou adepto incondicional de meritocracia, o que me torna um liberal ou neoliberal.

Sou avesso a qualquer tipo de cota racial; logo sou elitista. Fui educado com severidade e disciplina, pelo que sou grato aos meus pais e a uma verdadeira escola, o que me transforma num carrasco de criancinhas, impedindo seu pleno desabrochar.
Sou adepto do pensamento de que todo cidadão é responsável pela defesa do País, então eu sou militarista.

Eu gosto de me esforçar e de superar metas estabelecidas o que me faz ser um cidadão desprovido de solidariedade com os demais que apenas cumprem burocraticamente suas tarefas.
Vivi uma vida, poupando o que pude e me esforçando e os comunistas/socialistas/petralhas, dizem que sou burguês.

Mas sou grato aos amigos que ainda tenho e, apesar de tudo, sigo em frente.
(Este texto não é meu, mas bem que poderia...)

Postado por Armando Lopes Rafael

Tempos eletrônicos - Por: Emerson Monteiro

Essa fria solidão dos instrumentos mexe com a gente. Quando parecia que aceitávamos sair da caverna, eis quando eles chegaram, os tais cacarecos eletrônicos, a nos deter tanto mais agarrados às paredes ásperas do final de túnel. Algum pretexto haveria de haver. Da gente com a gente, diálogo impossível através das redes, espécie de lesma grudada dentro da alma. Teimosia de egoísmo.

Isso, no entanto, só num tom de avaliação, porquanto pouco de nada adiantaria rever os planos
quando o senso comum bem aceita tudo isto em nome da pretensa liberdade. Festa no céu das horas. Aonde virar, ali estariam todos de equipamentos, na busca desesperada dos contatos invisíveis com os seres de si próprios. Ansiedade. Busca acelerada de superar o princípio da destruição e do isolamento. O poço dos desejos ao nível dos dedos, corações no pulso. Máquinas e sonhos. Espelhos que, de novo, invertem o processo da civilização, selvagens na floresta virgem.

Abrimos os olhos, e a primeira ação representa, pois, atualizar os calendários antigos, gestos de pura ingenuidade mecânica. Porém como superar isso tudo e preservar alegria? Admitir que existe saída. Evitar melancolia. Aceitar as fases de aprender através dos meios de comunicação. Esperar em atividade, sem levar em conta o imprevisível da condição dos humanos.

Significação: Reverter o processo utilizando os elementos internos da pessoa, desde que transforme conhecimento em prática. Os profetas vieram ensinar que os painéis das naves dispõem dos comandos certos de modificar o curso e encontrar a consciência. Através da vontade, buscar os dispositivos de controlar o instinto e descobrir a razão principal de seguir a caminho.

Largar os apegos ao cenário que esfarela nos olhos vistos. Ninguém duvida mais da perecividade das ilusões que fogem apressadas. Contudo, procurar o definitivo servirá de guia, nas esquinas escuras dos mares bravios. Responder às questões abertas aqui no fruir do tempo.

VÍDEO - AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Boletim Chapada do Araripe - Edição de domingo, 5 de novembro de 2017


Bom dia, Crato !
Eis mais um Boletim Chapada do Araripe. Logo logo deveremos estar fazendo pelo menos um boletim por dia, e em seguida, vários. Fiquem ligados...

CONTA DE LUZ MAIS CARA EM NOVEMBRO 

www.blogdocrato.com
www.tvchapadadoararipe.com