30 outubro 2017

Sentimento número um - Por: Emerson Montiro

As imagens ali estão intocadas, dele, que vivem a essência do Ser. Íntimo coração, lugar recôndito de todos os mistérios, nesse ponto dorme sereno o Amor aos braços de Si mesmo, regaço dos sonhos. Solo de países abençoados e deuses infinitos, guarda a brancura das retinas na visão dos seus olhos santos, nas qualidades incríveis da flor das maravilhas. A beleza da música, êxtase da total felicidade, realiza milagres e prodígios na planície dos Céus. Luzes. Suspiros profundos. Uma vez além de todas, para sempre, o Amor e a Eternidade reúnem os minutos definitivos do presente num casal mais que perfeito de Lua e Sol.

Bom andarilho das cavernas da alma, impera no desejo de muitos, porém pede aceitação e liberdade. Alma limpa, exige renúncia e dedicação. Espírito Santo das religiões, Amor acima de tudo, segredo absoluto das buscas humanas, em nada impõe o furor das aves de rapina. Deixa fluir naturalmente o seio dos outros sentimentos e a altivez da Justiça, leve, solto, fiel, que crê na Verdade e suporta testes doridos que a vida impõe.

Na resignação dos que sabem o caminho de chegar aos outros corações, longe de exigências e imposições, sobrevive diante das condições inevitáveis da busca firme por valores dignos. Respira o universo das certezas, o Amor, amigo justo da Fé, és a voz dos tempos nas noites de luar, calma sinfonia dos astros no carinho dos que amam em silêncio. Querer bem, união de dois, de tantos; as lembranças de momentos nas histórias jamais esquecidas, guardadas junto dos planos da tranquilidade, sem risco de nunca perder, ou fugir, ou desaparecer.

Pouso alegre das aves do Paraíso nas árvores da plenitude, nos gestos da sinceridade, bem aqui em nós, pomo da Consciência, Ele mora e aguarda sereno atitudes que irão transformar o Mundo e revelar as certezas do Pai, em um dia de festa, e sermos o Bem no palco das estrelas.