16 setembro 2017

A Fortaleza de Santa Cruz da Barra (por Armando Lopes Rafael)

   Encerro, com esta postagem, a série de articuletos sobre construções históricas por mim visitadas na primeira semana de setembro no circuito Rio de Janeiro–Niterói–Petrópolis. Hoje falarei sobre a Fortaleza de Santa Cruz da Barra localiza-se no lado oriental da barra da baía de Guanabara, no bairro de Jurujuba, em Niterói. Trata-se do segundo ponto turístico mais visitado daquela cidade.

   Segundo a Fundação Cultural do Exército Brasileiro, quem começou a construir essa fortaleza foram os corsários franceses que se apossaram da baía da Guanabara. Em 1555, Nicolas Durand de Villegagnon cruzou a baía de Guanabara, acompanhado de cerca de 600 homens, e improvisou uma fortificação à entrada da baía, para dar suporte à implantação da França Antártica. 
       Dois anos depois veio a resposta dos portugueses. A fortificação – 7.153m2 de área construída - foi tomada por Mem de Sá que iniciou as obras de ampliação da fortaleza, rebatizada com o nome de Nossa Senhora da Guia.  Trata-se da maior obra naval do Brasil, quiçá do continente americano. Em 1599 a fortaleza foi estratégica para impedir a invasão do Rio de Janeiro pelo corsário holandês Oliver Van Noort. Em 1632, após melhorias passa a chamar-se Fortaleza de Santa Cruz da Barra.
Hoje, a cargo do Exército, essa fortaleza continua funcionando normalmente e é aberta à visitação pública. A Fortaleza de Santa Cruz e todo o conjunto de edificações situadas após o portão contíguo ao canal encontram-se tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional desde 1939.