xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 13/09/2017 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

13 setembro 2017

Instituições do Eterno - Por Emerson Monteiro

Há construções que demoram a acontecer, mas quando o tempo oferece meios suficientes, elas perenizam e determinam os demais acontecimentos. São as instituições sagradas dos grupos sociais. Nasceram diante da fria necessidade dos tempos e ganham raízes na força que possuem, a demonstrar que têm outra razão de ser além do puro desejo dos humanos. Tais edifícios recebem o nome de instituições e oferecem estrutura ao enraizamento da evolução nas civilizações. Resolvem as ansiedades parciais por conta do potencial que possuem, dos frutos que oferecem de verdadeiro e que geram a paz das nações.

Dentre tais instituições eternas vale considerar, dentre outras, a saúde, a família, o sexo, o silêncio, a própria paz social, o respeito e o entendimento dos grupamentos e das pessoas, a justiça, as religiões, o sagrado de todos nós, a liberdade, a ciência.

Quais balizadoras do progresso dos seres no decorrer história, as instituições ganham consagração face ao poder que demonstram no correr das eras. A escrita, a arte, a beleza, as matemáticas, a natureza, valores de poder no plano da evolução. Significam sobremodo a decodificação dos sistemas e da harmonia de tudo quanto há. E denotam o que existe de consistência e seriedade no respeito a essas determinações originais que vieram a fim de fornecer elementos de tecnologia prática aos povos, na faina de sobreviver aos ditames das penúrias originais.

Daí, contextualizar o senso de aceitar isso, integrar na vida a instituição sagrada do direito de viver e permitir um tanto de modificações no comportamento das criaturas a partir de si. Perceber que ninguém é só mero joguete das circunstâncias, peças de reposição dos que se foram. Receber de bom grado o plano do crescimento dentro do contexto do universo bem mais amplo e justo, harmônico e sábio.

Assim, virá o dever das criaturas conscientes às instituições da prudência, da fé, da esperança, das virtudes, instrumentos de plantação do sonho maior da Felicidade no solo fértil de tudo em todos.

(Ilustração Museu de Paleontologia de Santana do Cariri CE).

Petrópolis, a Cidade Imperial – por Armando Lopes Rafael


  Entrada da cidade, abaixo o brasão de armas do município
 
08 de setembro do corrente mês. Passei o dia em Petrópolis, localizada a 72 km da cidade do Rio de Janeiro.  Petrópolis foi a primeira cidade planejada do Brasil. Como foi seu início? O Imperador Dom Pedro I pernoitou, em março de 1822, na fazenda Córrego Seco (onde se ergue atualmente Petrópolis). Lá desfrutou a amenidade do clima; Ficou deslumbrado com as belezas naturais daquela região serrana de Mata Atlântica. Nosso primeiro imperador resolveu comprar, ao seu proprietário, o Pe. Correia, a fazenda Córrego Seco.    
    Coube, no entanto, ao imperador, Dom Pedro II – que herdou a fazenda após a morte do pai –, assinar, no dia 16 de março de 1843, o Decreto Imperial nº 155, doando lotes de terra da então denominada Fazenda Imperial a colonos livres, vindos da Europa. Dom Pedro II contratou o engenheiro alemão Júlio Frederico Köeler para fazer o traçado da nova cidade.
         Petrópolis possui um clima ameno de janeiro a dezembro. É considerada uma das cidades brasileiras com melhor índice de segurança. Uma tranquilidade que combina com a exuberância natural e a riqueza arquitetônica. Ali foram preservadas as construções do tempo Imperial. A cidade oferece boas atrações turísticas, movimentado comércio, e conserva estilo de vida pacato. Seu povo é educado e acolhedor.
Museu Imperial
       Visitar Petrópolis e não conhecer o Museu Imperial (a residência de veraneio da família imperial) é como ir a Roma e não visitar o Vaticano. É o museu público mais visitado no Brasil. Em 2015, visitaram o museu 429.124 brasileiros. De lá para cá a afluência só aumentou. Outras atrações turísticas da Cidade Imperial: Catedral de São Pedro de Alcântara (Padroeiro de Petrópolis e do Brasil), em estilo neogótico. Ali se encontra o mausoléu onde estão sepultados Dom Pedro II, Imperatriz Teresa Cristina, Princesa Isabel e Conde d’Eu.
 Interior da Catedral de São Pedro de Alcântara
 Mausoléu dos Imperadores Pedro II, Teresa Cristina e da Princesa Isabel e Conde d'Eu

         Outras atrações de Petrópolis: Parque Nacional Serra dos Órgãos, Palácio de Cristal, Casa de Santos Dumont, Palácio Quitandinha, Casa da Princesa Isabel, Museu de Cera, Cervejaria Bohemia, e dezenas de outros lugares pitorescos.
          Hoje, Petrópolis é o exemplo mais visível do que seríamos, se o golpe militar de 15 de novembro de 1889 não tivesse banido a monarquia, exilado a família imperial, e, o pior, impor – sem consultar o povo –, a forma republicana de governo na nossa Pátria. Deu no que deu.
   Petrópolis, nos dias atuais, combina o passado com o presente, através das construções e do charme dos tempos imperiais, sendo dotada de toda a infraestrutura exigida pelos modernos padrões vigentes nos países de Primeiro Mundo.
   Na Cidade Imperial, podemos vivenciar o que escreveu o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial Brasileira, ao traçar um paralelo entre o Brasil-República de hoje e o Brasil-Monarquia do passado: “Cem anos já se passaram e os contrastes entre o Brasil atual e o Brasil-Império só têm crescido. No tempo do Império havia estabilidade política, administrativa e econômica; havia honestidade e seriedade em todos os órgãos da administração pública e em todas as camadas da população; havia credibilidade do País no exterior; havia dignidade, havia segurança; havia fartura, havia harmonia”.


Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30