xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 03/06/2017 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

03 junho 2017

Do Cariri cearense ao Deserto do Atacama (no Chile) sobre duas rodas

O grupo, com jornalista empresários, tabelião, médico, mecânico e coronel reformado, partiu na quinta-feira

No início, o plano de Paulo Ernesto era fazer o trajeto sozinho ( Fotos: André Costa )
Em cada motocicleta, além dos equipamentos de segurança e roupas térmicas, os motociclistas acoplaram câmera tipo GoPro para registrar os detalhes da aventura

Juazeiro do Norte. O escritor e romancista espanhol Miguel de Cervantes de Saavedra certa vez escreveu que "Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando se sonha juntos é o começo da realidade". A celebre frase utilizada por Raul Seixas em sua música "Prelúdio" sintetiza bem a realidade de um grupo de sete apaixonados por motocicletas e aventura. Há pouco mais de dois anos, o jornalista Paulo Ernesto começou a maturar um antigo desejo de percorrer, sobre duas rodas, vários países da América Latina, tal qual fez o revolucionário Ernesto Guevara de la Serna.
"Em 1952, Che Guevara percorreu mais de 10 mil quilômetros pela América do Sul em uma moto Norton 500, apelidada de 'La Poderosa'. A intenção dele era conhecer outros países, outras culturas, inclusive se misturando com pessoas doentes. Isso sempre me instigou e eu tinha vontade de fazer algo semelhante", contou o jornalista, que recebeu o nome em homenagem ao guerrilheiro argentino.
No início, o plano de Ernesto, o caririense, era fazer o trajeto sozinho. Posteriormente, ele compartilhou o desejo com alguns amigos, que prontamente se apropriaram do mesmo sonho. "Sabia que seria muito difícil rodar toda essa quilometragem sozinho. Por conta da falta de experiência, dos perigos e tudo mais. Então conversei com algumas pessoas e elas se interessaram. Inicialmente eram só planos, mas há dois anos, sentamos, colocamos tudo no papel e começamos a nos programar", disse. Nascia, então, a "Expedição Cariri/Atacama".

Equipe heterogênea
O grupo, composto por empresários, jornalista, tabelião, médico, mecânico e um coronel reformado, saiu na madrugada da última quinta-feira, da concessionária Vereda, em Juazeiro do Norte, empresa que patrocinou parte da viagem. Apesar da heterogeneidade da equipe, com profissionais de áreas variadas, o coronel reformado da Polícia Militar do Ceará e um dos líderes do grupo, Klerton Macambira Dantas, garante que "foi apenas coincidência".
"Quando o Paulo começou a nos contar sobre seus planos, a gente foi compartilhando com amigos mais próximos, que tinham o mesmo espírito aventureiro e que também gostavam de motocicletas, e começamos a montar o grupo. Quando vimos, ele estava bem completo no sentido de que os profissionais podem atender a alguma eventual necessidade", explicou.

15 mil quilômetros
Em um mês, eles acreditam que viverão as mais diversas e adversas experiências. "Serão 15 mil quilômetros em 30 dias", pontuou o tabelião Heberth Carvalho de Santana. Durante esse período, os aventureiros farão das motocicletas a extensão do próprio corpo. "É um trajeto muito longo, cansativo. Vamos passar por sete países, incluindo o Brasil", acrescenta o empresário Sonístenes Gomes Figueiredo Campelo. Por dia, o grupo deve rodar, em média, 1.000 quilômetros em solo nacional e 600 quilômetros quando estiverem em território estrangeiro.
A cada dia, uma nova vida. É assim que eles estão encarando essa expedição rumo ao Deserto do Atacama. Paulo conta que não foi feita reserva em nenhum hotel, "justamente para termos liberdade durante a viagem". "Vamos viver um dia de cada vez. Quando for chegada a hora do descanso, a gente busca uma acomodação em hotel. Se fizéssemos reserva, corríamos o risco de ficarmos presos a determinada cidade. Não queremos isso", acrescentou o jornalista.

Preparação 
Para aguentar o trajeto, que inclui uma subida de quase 5 mil metros de altitude, Paulo Ernesto, Thiago Gomes, Pedro Nogueira, Sonístenes Gomes, Frederico Heberth, Francisco Klerton e Pierre de Oliveira iniciaram uma preparação ainda em 2015, com grau de intensidade elevado nos últimos três meses. A mobilização se fez necessária diante dos desafios a serem encontrados ao longo dos 30 dias de expedição. Os sete aventureiros vão pegar, por exemplo, temperaturas que variam de 4ºC a 40ºC. "Numa diferença de poucas horas enfrentaremos mudança climática de até 30ºC", ressaltou Thiago Gomes Araruna, empresário do setor corretagem de seguros.
São extremos em que é preciso, além de um bom preparo físico, orientação com nutricionista, fisioterapeuta e psicólogo. "Eu, por exemplo, parei de fumar e fiz dois meses de pilates. Outros integrantes entraram para o mountain bike. Enfim, o grupo todo se preparou bem. Será uma aventura com o máximo de responsabilidade", destacou Paulo Ernesto. O trajeto entre o Semiárido cearense e o Deserto do Atacama, no Chile, a região mais árida do mundo, será realizado em quatro motos da família Ténéré Yamaha (uma 1200cc, duas 600cc e uma 250cc), uma Suzuki Hayabusa de 1340cc, uma BMW f8004 e uma Yamaha MT-07 de 689 cilindradas.
Além do Brasil, os expedicionários passarão por trechos do Paraguai, Uruguai, Argentina, Peru, Bolívia e Chile. Todo percurso será registrado em fotos, vídeos e textos. "Nossa intenção é mapear a rota. Queremos, além de compartilhar a experiência com outras pessoas, deixar o trajeto todo mapeado para facilitar a vida de outras pessoas que queiram fazer a mesma aventura", explicou Paulo.
Em cada motocicleta, além dos equipamentos de segurança e roupas térmicas, os motociclistas acoplaram câmera tipo GoPro. "Estamos levando vacina de pneu, ferramentas diversas, peças de reposição, kit de primeiros socorros, colete reflexivo, segunda pele, dentre outras coisas", enumerou o mecânico Pedro Nogueira da Silva. Para equipar a máquina que os conduzirá nessa aventura, cada motociclista gastou em torno de R$ 6 mil.

Atacama
O Deserto do Atacama, localizado no norte do Chile, até a fronteira com o Peru, é considerado o deserto mais alto e mais árido do mundo, devido às baixas incidências de chuva na região. Com cerca de 1.000 quilômetros de extensão, as temperaturas do Atacama variam entre 0ºC à noite a 40ºC durante o dia. Por conta destas condições extremas, existem poucas cidades e vilas no deserto
Fonte: Diário do Nordeste, 03-06-2017.

Ministério Público Federal pede prisão de Lula e pagamento de multas de R$ 87 milhões de reais

O Ministério Público Federal de Curitiba (MPF), responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, pediu ontem (2) à noite ao juiz Sérgio Moro a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de outros seis réus pelos crimes de corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro. O MPF quer que todos cumpram as respectivas penas em regime fechado e que Moro determine a apreensão de R$ 87.624.971,26, correspondente ao valor das propinas que teriam sido pagas nos contratos da OAS com a Petrobras.
 Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva-- Foto: Reuters

O pedido foi encaminhado à Justiça Federal de Curitiba e faz parte das alegações finais do processo que apura o suposto pagamento de propina por parte da OAS, envolvendo um apartamento triplex no Guarujá, litoral paulista e que, segundo o MPF, seria entregue a Lula, como contrapartida por contratos que a empreiteira fechou com a Petrobras.
Do total estabelecido pelo MPF, Lula teria recebido cerca de R$ 3 milhões, incluindo os valores do triplex e do contrato entre a OAS e a transportadora Granero, responsável pela guarda de parte do acervo que o ex-presidente recebeu ao deixar o cargo.
Outros réus
Também são réus no caso o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, os executivos da empresa Agenor Franklin Medeiros, Paulo Gordilho, Fábio Yonamine e Roberto Ferreira, e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. Todos são acusados de lavagem de dinheiro e corrupção ativa. A ex-primeira-dama Marisa Letícia teve o nome excluído da ação após a sua morte, em fevereiro passado.
O MPF informou ainda que Léo Pinheiro, Agenor Franklin e Paulo Gordilho devem ter as penas reduzidas pela metade, "considerando que em seus interrogatórios não apenas confessaram ter praticado os graves fatos criminosos..., como também espontaneamente optaram por prestar esclarecimentos relevantes acerca da responsabilidade de coautores e partícipes nos crimes, e tendo em vista, ainda, que forneceram provas documentais... que não eram de conhecimento das autoridades".
Conforme os procuradores que fizeram o pedido, as defesas têm até 20 de junho para contestar os argumentos do MPF. Depois da apresentação das alegações de todos os envolvidos, o processo volta ao juiz Sérgio Moro, que vai definir se condena ou absolve os réus.
Fonte: VEJA On-line


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31