xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 09/02/2017 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

09 fevereiro 2017

Crato antigo

Na foto abaixo, como era o conjunto arquitetônico que formava a Casa Mãe da Congregação das Filhas de Santa Teresa de Jesus, nos anos 50 do século passado. Infelizmente a primeira parte do conjunto – onde ficava o auditório – foi destruída para dar lugar à Empresa Gráfica Ltda. cujo prédio também foi destruído, nos anos 80.
Hoje, no local, ergue-se um estacionamento para veículos. E assim foi sendo destruído o patrimônio arquitetônico de Crato.
Como surgiu a Congregação das Filhas de Santa Teresa de Jesus na cidade de Crato
    Uma carta escrita por Dom Quintino, primeiro bispo de Crato,  para Anna Álvares Couto (a futura Madre Ana Couto, co-fundadora da Congregação das Filhas de Santa Teresa de Jesus), mais conhecida como Naninha Couto – residente na cidade de Jardim – expressa bem os anelos e sentimentos de Dom Quintino buscando criar, em Crato, um colégio para jovens do sexo feminino. Dom Quintino, pela própria experiência, era conhecedor de que Deus oferece a quem n’Ele confia coisas melhores do que as solicitadas em orações. Transcrevemos a seguir um texto daquela carta:

“Crato, 23 de janeiro de 1923
Naninha Couto:
Deus seja bendito!

(...) “Por uma carta da provincial das Ursulinas, publicada no jornal “A Região” (que eu lhe tinha mandado dentro da carta) vê-se que falhou o acordo que ela fez comigo, em fins de julho último, de virem instalar-se aqui em Crato, nesse corrente mês.
        Este insucesso, que me contrariou, reavivou em meu espírito aquela ideia, que já tive ocasião de lhe expor, e que já não havia realizado porque convinha esperar, tentando primeiro outra solução, isto é, a instalação de uma congregação aqui.
        Não o tendo conseguido até hoje, entrei a pensar: não será Deus servido que se faça experiência com os fracos elementos de que dispomos?
         É isto o que tenciono fazer com o seu concurso e de mais algumas moças piedosas, duas, três, quatro, que me parecem animadas do espírito de Deus.
          Assim, pois, resolvi fundar um colégio que terá diretoras externas e colaboradoras para o ensino das alunas, mas cuja administração interna ficará a cargo das futuras religiosas, que não é necessário que sejam instruídas para o desempenho de sua missão, bastando apenas que tenham espírito.
            Digamos como Pedro Eremita “Deus o quer, e vamos ver o que podemos com a sua graça”.
            Mas isto tem de ser logo! A abertura do Colégio Santa Tereza de Jesus está anunciada para o dia 15 de fevereiro próximo”.

   Na verdade, a data programada por Dom Quintino, para o início das atividades do Colégio Santa Teresa de Jesus, sofreu um pequeno atraso de apenas dez dias. Partiu, também, do primeiro Bispo de Crato a escolha de Santa Teresa de Jesus, para denominar a nova congregação religiosa e o novo colégio por ele fundados em Crato. Dom Quintino, desde seminarista, era grande devoto dessa santa espanhola, a quem se deve a reforma da Ordem Carmelita. Fundadora dos Carmelitas Descalços, Santa Teresa d’Ávila (ou Santa Teresa de Jesus, como também é conhecida) foi proclamada, em 1970, Doutora da Igreja pelo Beato Papa Paulo VI.

             

Conselhos do preceptor de Dom Pedro II

Um dos personagens mais importantes para a formação do Imperador Dom Pedro II foi o carmelita Frei Pedro de Santa Mariana e Sousa, Conde de Santa Mariana pela Santa Sé, Bispo de Crisópolis e Bispo-auxiliar do Rio de janeiro, aio e preceptor do Imperador Dom Pedro II desde Outubro de 1834, mantendo-se por toda sua infância e adolescência, tendo ele atuado como conselheiro moral do Imperador por toda a sua vida.
Desde pequeno Dom Pedro II e suas irmãs se apegaram ao Frei Pedro, sendo creditada a ele a paixão que o jovem Imperador iria desenvolver pelo conhecimento científico, tendo ele iniciado a educação de Dom Pedro na ciência pura e pesquisa empírica.
Quando já velho, o Frei Pedro de Santa Mariana, soube que o Imperador tinha ido ao teatro sem a Imperatriz Dona Teresa Cristina, que ficara em Petrópolis, logo nos primeiros anos de casamento. De madrugada, tomado pela liberdade que tinha com o jovem Imperador, subiu as escadas e foi dizer ao Imperador:
— Venho pedir-vos um favor.
— Qual é?
— Vossa Majestade não vá mais ao teatro sem a Imperatriz. Fica muito feio.
O Imperador Dom Pedro II atendeu ao pedido do seu estimado mestre, jamais deixando a Imperatriz desacompanhada ou participando de eventos sociais sem ela.
O Frei Pedro de Santa Mariana residiu por todo o resto de sua vida no Palácio de São Cristóvão, por concessão do seu pupilo e amigo, o Imperador. Em 1864, quando o velho Frei Pedro faleceu, Dom Pedro II esteve presente em seu funeral, honra concedida a poucas pessoas, assim como na Missa de Réquiem oferecida um ano após seu falecimento, ficando visivelmente abatido com a perda de seu conselheiro.
O Imperador Dom Pedro II nem em seus últimos meses, já no exílio em Paris, deixou de pensar no “seu bispo”, como o chamava, lamentando-se em seu diário, na data de 22 de abril de 1891, que as pesquisas do Frei Pedro de Santa Mariana em uma formula geral para resolução de equações nunca haviam sido publicadas.
- Baseado em trecho do livro “Revivendo o Brasil-Império”, de Leopoldo Bibiano Xavier. 

Abaixo: retrato do jovem Imperador Dom Pedro II do Brasil, ao lado de suas irmãs, as Princesas Dona Januária e Dona Francisca, em momento de estudo.
             

Depois de 64 anos Correios voltam a lançar selo postal relacionado com Crato

Em 1953 os Correios emitiram um selo comemorativo ao centenário da cidade de Crato

Filatelia é cultura
Segundo Giorgio Radini: “Todo mundo fala que filatelia é cultura; mas não explica nem como e nem porque. A maior parte dos filatelistas, infelizmente, coleciona selos colocando-os um ao lado do outro num álbum, sem prestar a devida atenção nos selos que vão arrumando. É uma pena. Colecionam selos sem saber que cada novo selo lançado é algo muito individual com um significado próprio, ensinando alguma coisa diferente”.

Correios vão lançar selo divulgando o Soldadinho do Araripe
A Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos, ou simplesmente Correios, através da sua Central Filatélica, programou – para 2017 – o lançamento de uma série de três selos postais divulgando três pássaros do Brasil: o Soldadinho do Araripe, o Pararu-espelho e a Rolinha-do-planalto. Em principio, os Correios selecionaram as cidades de Brasília e Cabedelo (PB) para o lançamento desses selos comemorativos. A data já está marcada: 05 de junho próximo. É o caso de se perguntar: por que os Correios não incluíram a cidade de Crato como terceira anfitriã do lançamento? Afinal, o Soldadinho do Araripe (nome científico Antilophia bokermanni) tem seu habitat na Chapada do Araripe. É “lá de nós” como diz o povo caririense...

Só piora a nossa autoestima
Vá lá, sabemos que o cratense anda com a autoestima em baixa, por conta da ausência administrativa e da falta de obras públicas no âmbito municipal nos últimos quatro anos. Sem falar no aspecto de abandono – quiçá de desprezo – a que a cidade foi relegada nos últimos tempos.  Mas será que instituições cratenses de peso, como a Universidade Regional do Cariri, o Instituto Cultural do Cariri (que já apoia um Projeto de Preservação do Soldadinho-do-Araripe), não poderiam unirem-se e entrar em entendimento com os Correios para incluir Crato como o terceiro anfitrião do lançamento desses selos?  Ou, quem sabe, informando ao governador Camilo Santana (que é cratense) ele determinaria que a Secretaria de Cultura do Ceará apoiasse esse lançamento dos Correios também aqui na Cidade de Frei Carlos?


Sobre o Soldadinho do Araripe
Ameaçada de extinção, a ave Soldadinho do Araripe apresenta hábito de vida diurno, costumando voar e se reproduzir em florestas e matas úmidas, próximas às margens de rios e córregos. Uma das características do Soldadinho do Araripe é a diferença de cor entre machos e fêmeas. Os machos, quando adultos são coloridos (preto, branco e vermelho na cabeça), enquanto as fêmeas são verdes. Esta ave se alimenta de insetos e frutas. Só existe essa espécie de ave no sopé da Chapada do Araripe, mais precisamente onde corre algum curso de água. Por falar em sopé, os escritores cratenses antigos gostavam de usar os substantivos “falda” ou “supedâneo” para nominar esse terreno. Mas tanto sopé como falda ou supedâneo significa a mesma coisa: é parte inferior de rocha ou chapada, mais próxima do solo.

Outras selos comemorativos programados para 2017
A Central Filatélica da ECT tem ainda outras séries de selos previstas para este ano. No mês de maio, haverá o lançamento de uma emissão conjunta com os Correios de Portugal comemorativa aos 100 Anos das Aparições de Nossa Senhora de Fátima. Em outubro será a vez da emissão de um selo comemorativo 300 anos do achado da imagem de Nossa Senhora Aparecida, nas águas do Rio Paraíba, fato ocorrido em 1717.

Texto e postagem de Armando Lopes Rafael             



Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30